Wagner Moura e outros esquerdistas talentosos que são lorpas políticas

Ontem assisti o último episódio da primeira temporada de Narcos. Pouco depois, passando os canais, topei com uma reprise de Tropa de Elite e o assisti inteiro.

Não pude deixar de reconhecer o quanto Wagner Moura é talentoso. Aqui no Voltemos à Direita, nas redes sociais e manifestações esparsas, acabo sempre falando dele no contexto da análise política, onde ele se destaca como um dos mais engajados em defesa do indefensável, no melhor lifestyle esquerda caviar.

Resolvi que escreveria algo sobre isso. Sobre como Wagner Moura é um ator brilhante, talvez o único brasileiro que pode ser colocado no primeiro escalão mundial, ao mesmo tempo em que toda vez que abre a boca na “pessoa física”, só fala merda.

Ou seja, Wagner Moura, quando é Wagner Moura, é um desperdício imenso de talento.

Há esquerdistas brilhantes por aí. Gênios em diferentes áreas de atuação, de brilhantismo, irrefutável, que, no entanto, parecem ter em algum ligamento do cérebro algum conector transviado, que os impulsiona à cretinice política.

Hoje em dia os testes de QI se tornaram obsoletos, já que não são efetivos medidores de Inteligência reais, considerando  que os seres humanos, na posição de obra-prima da criação de Deus, possuem uma gama tão vasta de talentos e qualidades, que uma medição extática se torna impossível.

Albert Einstein e Silvester Stallone, por exemplo, tinham o mesmo QI. O direcionamento de seus talentos, entretanto, não poderia diferir mais entre si. Neste contexto, fica patente que não há uma condição sólida de medir linhas diferentes de capacidade intelectual.

Confesso que eu gostaria MUITO de que existisse alguma forma linear de medir a inteligência humana, pois muito me intriga como um sujeito pode ser esplêndido num dificílimo campo de atuação, ao mesmo tempo em que é um lambe botas de ditadores genocidas.

Há algumas semanas reli “Cem anos de solidão”, do laureado Gabriel Garcia Marquez.

A mesma coisa ficou martelando em minha cabeça: como um sujeito que escreveu um livro como aquele, inquestionavelmente uma das obras mais importantes do século XX, conseguia ser o mesmo cretino que legitimou Fidel, Cuba e o Comunismo até o fim de sua vida farta?

Lidamos com muitos esquerdistas idiotas na realidade brasileira. Num contexto que trata Tico Santa Cruz e Gregório Duvivier como pensadores, podemos esquecer que homens de notórios predicados intelectuais e artísticos defenderam e ainda defendem essa doutrina assassina.

O que leva alguém, que consegue transcender a realidade e se eternizar, a se manter a vida toda apoiando o banditismo?

Sei que muitos que me leem têm a resposta na ponta da língua: são aproveitadores. No fundo sabem que estão do lado dos criminosos, mas são amorais o bastante para permanecer defendendo a ideologia e doutrinando incautos, enquanto enchem o rabo de dinheiro, aquele mesmo que adoram odiar.

Sei que há muitos casos assim, mas às vezes me pergunto se não existem alguns idiotas úteis, mesmo entre os gênios, servindo de marionetes, enquanto aviltam a racionalidade daqueles que não tiveram sua mente pervertida.

Confesso que seria muito mais fácil entender isso se todo esquerdista fosse um tapado.

É claro que não sou ingênuo. Sei que MUITOS esquerdistas famosos estão mamando nas tetas estatais. Safados mentecaptos que, vivendo em Paris, defendem a Cubanização brasileira.

Vagabundos que passaram uma década lotando a conta com Lei Rouanet e se converteram à esquerda, sabendo que a estada dela no poder sempre lhes garantiria o mecenato estatal , para quem oferecesse a contrapartida de legitimá-la.

Para esses, tirar do poder a quadrilha que protagonizou o maior escândalo de corrupção da história do país não se justifica. É golpe!

Afinal, o PT realizou uma ascensão social danada para o pessoal das artes…

Entretanto, creio que questionarei muitas vezes o porquê de tantos sujeitos brilhantes apoiarem tudo o que há de errado.

Meu escritor favorito é um progressista, defensor entusiasta do partido democrata americano, ou seja, para os padrões de lá, um espécime puro da esquerda caviar…

Minha música favorita – isso me dói admitir – é de uma banda australiana bastante esquerdista, daquelas bem militantes, mas bem militantes mesmo…

Alguns dos meus filmes favoritos – talvez “favoritos” seja uma palavra muito forte – mas filmes que reputo como ótimos, padecem do mesmo mal.

E esta barreira talvez seja intransponível. Wagner Moura vai continuar sendo um ótimo ator, goste a direita ou não, fale ele merda ou não. Li até que ele recebeu algumas críticas pela pronúncia do espanhol em Narcos, mas me abstenho de assentir com elas. Acho a atuação brilhante, e o fato de acontecer fora do seu idioma nativo, só a qualifica mais.

Meryl Streep vai continuar sendo a melhor atriz de Hollywood e ganhando pencas de prêmios anuais, gostemos ou não. O preço de vê-la atuar brilhantemente talvez seja ter que lidar com seus discursos emburrecedores, durante o recebimento das estatuetas.

Gabriel Garcia Marquez vai continuar marcado na história pelo merecido prêmio Nobel, mesmo sendo um crápula político, desafiando qualquer um a desvelar como era possível que um sujeito tivesse uma capacidade criativa tão vasta ao mesmo tempo que uma consciência política tão mirrada.

Cidade de Deus, Beleza Americana, A Outra História Americana e etc., continuarão sendo filmes fantásticos, mesmo que seus vieses sejam assumidamente políticos, gerados por militantes de esquerda.

E onde a direita fica nisso tudo?

Sinceramente eu não sei. Não serei eu, em meus tenros trinta e um anos que direi à direita o que fazer ou deixar de fazer.

Só respondo por mim. E continuo consumindo o bom, o belo e o destacado. Aplaudirei uma boa obra/apresentação, não importa quão calhorda seja na “pessoa física” seu realizador.

Conseguir distinguir isso, creio, é um sinal de maturidade e coerência. Minha meritocracia deve premiar até quem alega não acreditar nela (mas que sempre negocia seus contratos com seu conceito na ponta do lápis).

Escrevo este artigo ouvindo Midnight Oil, que se soubesse disso, provavelmente me chamaria de fascista e me mandaria parar de ouvi-los, organizando um manifestozinho.

Não é fácil, amigos. Mas faz parte.

Por Renan Alves da Cruz

 

9 comentários em “Wagner Moura e outros esquerdistas talentosos que são lorpas políticas”

  1. Concordo plenamente com você, plenamente. E por estranho que pareça, Wagner moura só é um exemplo de conduta moral como Capitão Nascimento, que é declaradamente contra os Direitos Humanos e a esquerda. Um artista brilhante, um ser humano medíocre, um péssimo pensador! Eu quando soube que Wagner Moura defende o Lula, o PT e a esquerda, fiquei em choque, profundamente decepcionado! É uma pena!

    • É muito triste perceber em alguém tão talentoso uma defesa de condutas tão tortas. Mas faz parte, nossa elite artística não vai morder a mão que a alimenta.
      Grande abraço.

  2. No que diz respeito a Meryl Streep, não dá pra comparar o que se associa mais ao conceito de “esquerda” dos americanos com esta esquerdalha idade da pedra que temos por aqui. Resumindo, Obama e Lula são de galáxias diferentes e estão a anos luz de distância um do outro.

  3. Quando criaram o capitão Nascimento o real intuito era mostrar o lado sem coração da polícia e chamar atenção para a tortura apresentando o monstro Nascimento
    Porém, o que eles conseguiram foi nos dar um novo herói, a figura que representa verdadeiramente o pensamento da população
    Ou seja , foi um belo tiro no pé da esquerda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *