Veja o que essa professora fez! O próximo pode ser o seu filho.

Você o carrega nove meses em sua barriga e o traz à vida com dores.

Perde madrugadas de sono para acudi-lo sempre que ele chora, troca suas fraldas malcheirosas tantas vezes quantas forem preciso, se derrete a cada sorriso que ele dá, trabalha incessantemente para dar a ele o melhor, passa noites em claro quando ele adoece, dispõe-se a trocar sua felicidade pela dele.

Ele começa a ir para a escola. No primeiro dia ele chora do lado de dentro e você chora do lado de fora. Ele está crescendo. Mas para você sempre será o seu bebê.

Aprende a ler e a escrever e você fica com os olhos marejados quando traz o seu nome escrito num papel pela primeira vez, ainda com letras espelhadas, reconhecendo o elo eterno que Deus permitiu que vocês tivessem.

E continua crescendo.

Chega a fase das paqueras, a aproximação da adolescência e a percepção de que você precisa explicar algumas coisas a ele, de forma consonante aos seus princípios morais e familiares.

Mas o que você não sabia é que o seu jeito de criá-lo não é bom bastante. A professora que foi abarrotada de Paulo Freire e progressismo na faculdade não acha que você está fazendo o seu trabalho de educá-lo direito.

Então ela vai ensinar seu filho sobre sexo.

E como ela quer afrontar o padrão reaça vigente, demonstrará de forma bastante… digamos… lúdica, como colocar um preservativo sem quebrar o clima, usando seu espaço de aula, o espaço em que você lhe confiou a educação do seu filho, para simular que está fazendo sexo oral nele:

Pronto!

Pode ficar tranquila. Uma responsabilidade a menos para você! A professora já demonstrou de maneira beeeeeeeeem descontraída como certas coisas devem acontecer.

E se você quiser colaborar com a educação dele pode dar uma forcinha na matemática… A maioria dos estudantes brasileiros estão abaixo da média segundo critérios internacionais.

Por Renan Alves da Cruz 

 

Um comentário em “Veja o que essa professora fez! O próximo pode ser o seu filho.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *