Tragédias e terremotos. Onde está Deus?

Sempre que a humanidade é assolada por alguma tragédia ou desastre, invariavelmente somos levados a indagação: Onde está Deus?

Numa sociedade cada vez mais distante do Criador e a cada dia mais imediatista, diante de tais catástrofes, fazer esse tipo de indagação resulta em muitos casos em acusar Deus, ou simplesmente negá-lo. Oras, se Deus é o Criador de todas as coisas e eternamente bom e misericordioso, por que então ele permite que pessoas inocentes percam suas vidas em terremotos, tsunamis, epidemias, chacinas, etc.?

Esse tipo de indagação não é recente. Já no século XVIII, quando um terremoto atingiu Portugal, Voltaire tratou do tema e sua conclusão foi a de que o mundo estava longe de ser regido pela bondade e misericórdia de Deus.

É importante destacarmos que Voltaire foi um dos mais destacados filósofo do iluminismo, cujo movimento, questionou a idéia de um ser Todo-Poderoso e em contrapartida, valorizou a racionalidade do homem.

De lá para cá, sempre que uma nova tragédia atinge a humanidade, aqueles que se dizem seguir um pensamento racional, apontam o dedo para Deus, ou mais especificamente, para aqueles que crêem em Deus. E a pergunta que fazem é essa: “Você que vive a falar de Deus e de Jesus, diga-me, onde está Deus”?

Pela força desses questionamentos é que após duas guerras mundiais, a Europa trilhou o caminho do secularismo.

Em sua grande maioria, os que fazem tal indagação são ateus convictos. Em sua grande maioria, os que apregoam tal indagação, são adeptos do relativismo e do evolucionismo. Se não existe o Bem absoluto, logo, o Mal também é relativo e isso se aplica tanto a grandes tragédias quanto a pequenos delitos cotidianos. Se em pleno século XXI, (apontam os descrentes) algumas pessoas insistem em acreditar em Deus, isso é resquício de idéias primitivas na caminhada evolutiva.

Evidentemente que esse tipo de pensamento falha ao mencionar os atributos de Deus, restringindo-os apenas em bom e misericordioso. Esquecem, (será mesmo que esquecem?) de mencionar outro: Justo. Mas, um Deus bom, misericordioso e justo permite ainda que terremotos ceifem a vida de milhares de inocentes?

Podem me taxar de insensível, mas levanto a questão. Onde estão os inocentes? Quem, perante Deus é inocente? Quem perante Deus não tem pecados? A criação rebelou-se contra Deus, escolheu não obedecê-Lo e pecar. Na carta de Paulo aos Romanos somos lembrados que o salário do pecado é a morte e que há somente um justo, Cristo Jesus.

Não obstante, Deus não é insensível diante do sofrimento. Vejam esse vídeo.

 Sim, a fala do jornalista não está abordando tragédias naturais. Sua fala é referente à morte de 26 pessoas em uma escola nos EUA. Mas, podemos perfeitamente apontar que, diante de catástrofes, Deus se faz presente através de centenas de voluntários que se arriscam em prol dos mais vulneráveis. Deus está presente por meio das orações que milhões de pessoas fazem em prol daqueles que estão sofrendo e com certeza, serão consolados. Deus está presente ao tocar no coração daqueles que enviam recursos financeiros para a reconstrução de cidades e países.

Para aqueles que insistem que tudo é relativo, isso não é suficiente e continuarão a negar a existência de Deus e a tolerar pequenos delitos e grandes corrupções em nome de uma causa, ou, em busca de uma sociedade mais justa que homem nenhum conseguirá criar.

Continuarão a aplaudir todo tipo de sub-cultura e degradação moral em nome da liberdade do homem, esquecendo-se que homem nenhum, por si só será livre, pois estará eternamente preso à sua imoralidade.

Falar em Deus nesses tempos exige coragem. Negá-lo, além de não trazer nenhum conforto, só demonstra covardia. Covardia em atacar Deus quando o desastre é natural e calar-se quando o mal é cometido por algum companheiro de causa.

Por Jakson Miranda

Leia também: 

O Impeachment e a Bíblia

O silêncio e a Trapaça

Para alguns o único Deus é o Estado

Por que Sou Conservador?

Qual o problema com o Comunismo? Por que não sou comunista?

 

 

2 comentários em “Tragédias e terremotos. Onde está Deus?”

  1. Ateus dizem não acreditar na existência de Deus e os atuais são bem sagazes. Se não acreditam, porque vivem a citá-los nestes momentos? Nepal tem mais seis deuses para cada pessoa. Não acreditam e nem tem o Deus todo poderoso como Senhor de suas vidas. O número de convertidos é mínimo. Logo, não é agora que o Nepal vai pensar neste Deus desconhecido para eles. Como o invocarão ou o acusarão se nem O conhece?
    Deus é Soberano sobre todas as coisas e sabem o que está acontecendo. As vítimas podem sim ser inocentes em relação ao desastre, não em relação a Deus e muitas delas, creem no Senhor Jesus Cristo e o segue fielmente.
    Estes julgamentos e perguntas, são completamente infundados e nenhuma destas pessoas querem saber a resposta, senão voltariam para Deus e encontrariam respostas às suas indagações. Notemos que a pergunta tem um efeito padrão, um chavão simplesmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *