Somos todos Bolsonaro

Centenas de milhares de pessoas se solidarizam com o deputado Jair Bolsonaro. Homens e mulheres.

As feminazis e os trogloditas de plantão da extrema esquerda ficam alucinados que mulheres, de todas as classes sociais e de todas as idades, saiam em defesa de Bolsonaro.

Para quem não sabe, Jair Messias Bolsonaro virou réu no STF acusado de apologia ao crime de estupro e injúria.

Fizemos ontem um pequeno comentário e reiteramos seu conteúdo. A acusação não tem base.

Bolsonaro pode ser condenado a pena de 6 a 10 anos de reclusão. É o que diz o código penal em seu artigo 213.

Acontece que o referido artigo não deixa margem para dúvidas ao tipificar o crime: Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso.

Sob qualquer ponto de vista, a fala do deputado não se enquadra nesse ponto.

Recai sobre Bolsonaro, a queixa-crime de injúria, ação movida pela deputada Maria do Rosário.

Calúnia, difamação e injuria, consta no artigo 140 do Código Penal. E no caso específico de injúria, a questão é clara:

Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

  • 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:

I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;

II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.

Justiça seja feita, esse dado foi prontamente lembrado pelo líder do MBL, Kim Kataguiri. Desta vez, certo blogueiro famoso, não chamará carinhosamente Kataguiri de “menino”.

A conclusão a que qualquer pessoa com o mínimo de bom-senso pode chegar é a de que Bolsonaro não será condenado.

No entanto, como nossa justiça tem certa tendenciosidade ao nonsense, há o risco de haver condenação.

Nesse caso, embora a primeira vista pareça um combate ao estupro, a ação seria vitoriosa porque NÃO MERECEU SER ESTUPRADA.

Independente do resultado, a única pessoa que tirará proveito de toda essa história será o próprio réu.

Se condenado, não resta dúvida que foi de forma injusta, com ampla possibilidade de perseguição política e censura.

Se absolvido, poderá usar a famosa frase feita: Aquilo que não me mata me fortalece. Para choro e desespero dos esquerdosos.

Querem calar Bolsonaro! Será medo?

Não conseguirão! Não farão nenhuma injustiça, porque, somos todos Bolsonaro!

Por Jakson Miranda

 

Related Post

Comments

comments

6 comentários em “Somos todos Bolsonaro”

  1. Esse “certo blogueiro famoso”, que fez carreira criticando o PT e agora que seu partido virou situação está mostrando a cara, está desiludindo muita gente.

    Os arroubos trotskistas dele passaram a ficar cada vez mais frequentes e a defesa de Romero Jucá (!) quase conjuntamente com seus chiliques contra Olavo de Carvalho foram a gota d’água para mim. Bastou o PSDB apoiar Temer que tudo ficou melhor e o Olavo perdeu, sendo que esses arroubos contra Bolsonaro, além de ser pistolagem política contra um pré-candidato (Marina Silva também está passando por isso, embora esta dê razão por ter se beneficiado do esquema de Eduardo Campos que está aparecendo na Operação Turbulência), serve também para tentar inutilmente esconder a verdade que “Olavo tem razão” nesse ponto. Eu mesmo discordo de muita coisa que o Olavo fala, mas ele está acertadamente alertando que o impeachment é apenas o primeiro passo para a desbolivarianização de nosso país, não a solução defendida por tucanos e similares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *