Segundo turno: o que o PT tem a oferecer?

(Artigo publicado em 08/10/2018)

Muitos aspectos da eleição realizada ontem poderiam ser analisados. De momento, faremos apenas um breve comentário acerca do editorial publicado pelo O Globo cujo titulo é: Segundo turno precisa discutir, enfim, programas.

É obvio que em todo pleito eletivo, há a necessidade de se discutir programas de governo, seja no primeiro, seja no segundo turno. Mas, como já foi discutido AQUI  partilho da ideia de que o essencial de uma eleição para presidente da República não é um programa de governo e sim o eleitor ter consciência do nível de sociedade que queremos ter personificados em um líder.

Não obstante, faremos uma concessão e comentaremos a sugestão levantada pelo referido editorial sobre o segundo turno. Logo de cara, nota-se que O Globo esquiva-se de fazer uma importante indagação:

O Partido dos Trabalhadores tem condições de oferecer algum programa de governo diferente do que já conhecemos? Em português claro, o PT tem algo a oferecer que não seja aparelhamento de Estado e mais estatismo, causas primárias da corrupção?

Na mesma linha, cobrar do candidato Jair Bolsonaro a apresentação de algum programa de governo é fazer vista grossa e mal intencionada ao que está cristalino pelo resultado das urnas. Bolsonaro personifica o antipetismo e isso não é mera linguagem retórica eleitoreira. Em matéria do portal Uol (quanta irônia!) ao abordar a transformação do pequeno e insignificante PSL em uma potência no Congresso, o consultor Lucas de Aragão dá a seguinte opinião:

“O PSL é um novo capítulo na história política do Brasil. É um grupo que abraça uma tese única de austeridade fiscal, de governo menor, de reforma da Previdência”

Não há como ignorar ou desconhecer esse fato!

Por fim, reiteramos que querer forçar a necessidade de discutir esse ou aquele programa de governo não deve ser o eixo central da discussão. O que se discute, desde que se sabe quem o PT é em sua essência, é se o Brasil se tornará melhor, e por qual motivo se tornará melhor, sendo governado por um fantoche, já que a autentica e indiscutível voz de comando da claque encontra-se presa, como consequência do verdadeiro programa de governo implantado enquanto estavam no poder.

Por Jakson Miranda

Siga o Voltemos à Direita nas redes sociais e assine a newsletter para receber todos os nossos artigos.

4 comentários em “Segundo turno: o que o PT tem a oferecer?”

  1. O PT, em seu horário eleitoral, exibiu um filme onde há uma tortura explícita. Como esse filme foi exibido em vários horários, crianças ficaram horrorizadas com as cenas. É legal isso?

  2. Causa revolta a notícia que os grandes chefes do crimes controlam suas quadrilhas da prisão. Agora, um chefão controlar o Brasil da cadeia causa horror. É o que o PT tem para oferecer!

  3. O Bolsonaro está sendo acusado de incitar a violência durante a campanha eleitoral. Então foi o PT ou o Lula que incitou o Maninho a agredir um cidadão quando o Lula foi preso? E, por falar em violência, o que foi que o MST fez durante mais de dez anos sob a complacência do governo do PT?
    Sobre o assunto, certa figurinha carimbada, que já foi da guerrilha, sequestrou pessoas e assaltou bancos, falou sobre Bolsonaro “quem semeia violência colhe violência”.
    Certas pessoas têm dificuldade em semântica: a bandeira do PT era “ética” e “honestidade” e o que fizeram? Parece que, naquela agremiação, as palavras não têm o significado condizente o “Aurélio”. Agora eles estão dizendo “democracia” e “direitos”. O que será que estas palavras significam para eles?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *