Revista Veja, obrigado por odiar Jair Bolsonaro

Não há anormalidade alguma no fato de a Revista Veja considerar Jair Bolsonaro uma ameaça.

Estranho seria, e me preocuparia, se a revista estivesse o apoiando.

Resultado de imagem para ameaça Bolsonaro

Agradeço inclusive à Veja por me certificar de que as coisas se encontram dentro da normalidade, e que o candidato conservador permanece despertando a fúria dos progressistas e se opondo às suas pautas.

Se em lugar de “Ameaça”, a revista tivesse escrito “Esperança”, certamente Bolsonaro não teria mais os predicados que fazem com que nós, conservadores, o apoiemos.

O interessante é que não se consegue pinçar do texto nenhuma real ameaça proporcionada pelo candidato. É um texto caricato, escrito por uma jornalista estulta e que tentou dar base fática ao que não passa de militância pessoal sua (apoiada pela revista).

Há mentiras, mas se tratando de Veja analisando a direita, elas também são esperadas. Creio que a mais perigosa é a que insinua que Flávio Bolsonaro cria jargões viralizantes com incentivo ao ódio, que são repercutidos por seguidores do deputado. O exemplo que a porca reportagem fornece é “Comunista tem que morrer, gays e feminazis também”.

Esta é uma acusação grave, lesiva e falsa, e creio que os Bolsonaros deveriam processar a Revista e a jornalista por ela. A liberdade de imprensa é um valor essencial, que deve ser resguardado, ademais, este trecho da reportagem acusa os Bolsonaros de crime, e um crime que não praticaram.

No mais, há muita lenga-lenga, conclusões baseadas em meias verdades, situações tiradas de contexto e mentiras puras e simples.

Jair Bolsonaro deve se orgulhar de ser considerado uma ameaça pela Veja. O periódico hoje dista pouco, no campo da militância progressista, de uma Carta Capital, por exemplo. Ao assumir o comando, André Petry, que sempre foi uma das vozes mais à esquerda da revista nas últimas décadas, imprimiu seu tom ao conteúdo geral.

O resultado está aí para todo mundo ver.

Não é de hoje que alertamos sobre o processo de esquerdização da Veja, que hoje parece irreversível.

Todos os artigos a seguir, produzidos aqui em diferentes momentos, mostram esta guinada:

A horrorosa edição de retrospectiva da revista Veja

A decadência da Revista Veja

Veja e PSDB contra Jair Bolsonaro

Revista Veja: Alfred Kinsey ficaria orgulhoso

Revista Veja e a Teoria Queer

Kalleo Coura, o garotinho esquerdista da Veja

Veja começa a campanha contra Bolsonaro

 

O que Veja produz hoje em dia é jornalismo parcial, partidário, militante, incapacitante, desinformador e desinteressante.

Jair Bolsonaro não é perfeito, é um candidato que responde a antigos anseios da sociedade brasileira, cansada da proteção aos bandidos e de financiar privilégios a minorias específicas.

Bolsonaro merece os parabéns. Não é sem mérito que alguém desperta tanto fúria na esquerda progressista.

E tudo continua normal. A direita segue seu caminho e a esquerda assustada, a chama de ameaça.

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

 

 

 

Related Post

Comments

comments

2 comentários em “Revista Veja, obrigado por odiar Jair Bolsonaro”

  1. Nem ler a reportagem consigo, cansei, cansei de verdade, após anos como assinante tentando tirar algo bom daqueles páginas para justificar o pagamento. Chega! É sempre a mesma lenga lenga, um morde e assopra no poderoso de plantão, isso não É JORNALISMO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *