Emmanuel Macron envia recado para Bolsonaro

Somos nós que ansiamos por um partido político conservador no Brasil que mandamos um recado para Bolsonaro

É evidente que o título não é verídico. O presidente da França, Emmanuel Macron, não enviou recado para Bolsonaro. Todavia, se o título não é verídico, mas hipotético, o que diria Macron a Bolsonaro? Qual seria o teor de um recado do jovem político francês para um dos pré-candidatos a presidente do Brasil?

Acredito que Macron em nenhum momento endossaria alguma ideia de Bolsonaro que, por sua vez, é associado pelos que o apoiam ao presidente americano Donald Trump.

Há inconciliáveis diferenças entre Macron e Bolsonaro. Mas também há enormes diferenças entre Trump e Bolsonaro. Por ora, constato decepcionado, outra grande diferença: Macron foi eleito presidente da França. Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos e Jair Bolsonaro NÃO será eleito presidente do Brasil.

Sei que muitos dos nossos leitores não concordarão com essa previsão. Temo que outros deixem de nos ler. Afinal, Bolsonaro, em todas as pesquisas de opinião, está em segundo lugar com chances reais de ir ao segundo turno.

Apesar da previsão pessimista, este que escreve o presente artigo ficaria muito feliz em estar redondamente enganado, aliás, Bolsonaro é meu candidato e só mudarei meu voto em 2018 se surgir alguma denúncia de corrupção contra o deputado. Não obstante, faço diariamente o seguinte questionamento: Por qual partido Jair Bolsonaro concorrerá à presidência?

Leia também:

Um desafio a todos aqueles que odeiam Bolsonaro

Para datafolha Lula lidera, mas quem cresce é Bolsonaro

Apesar de se apresentar como um outsider e contra o establishment, Donald Trump contou com o apoio logístico, nada mais, nada menos, que do Partido Republicano, além de ser ele próprio um magnata. Observem que a situação de Bolsonaro é diametralmente oposta! Não tem um grande partido que lhe dê suporte e não é um magnata. A não ser por seus filhos, podemos contar nos dedos outros políticos que devam apoiá-lo e trabalhar em suas bases eleitorais em prol de Bolsonaro.

Em síntese, é impossível que Jair Bolsonaro saia do PSC e filie-se a um partido maior. Qual? Vou além, é impossível que Bolsonaro saia do PSC e vá para um partido que não esteja envolvido em algum escândalo de corrupção recente. Ou seja, Jair Bolsonaro é um exercito de um homem só.

É nesse contexto que ecoa hipoteticamente, Emmanuel Macron enviando um recado para Bolsonaro.

Diria Macron a Bolsonaro: “Eu vi o interior do nosso sistema político, que interrompe a maioria das ideias porque elas podem ameaçar a máquina, os partidos tradicionais e os interesses velados”.

O diagnóstico de Macron para o sistema político francês não é diferente do diagnóstico que Donald Trump fez do sistema político americano e não é diferente do que qualquer brasileiro consegue fazer do nosso sistema político. E enquanto Donald Trump contou com o apoio (a contragosto em alguns momentos) do portentoso Partido Republicano, Emmanuel Macron optou por criar seu próprio partido. Não se enganem, goste-se de suas ideias ou não, o atual presidente da França tem plenas condições de mesmo após o fim do seu mandato, continuar a ser um importante líder no tabuleiro político da França e Europa.

Enquanto isso, Bolsonaro vive a migrar de um partido tradicional a outro.

Nesse ponto, o recado não vem de Macron e deixa de ser um recado hipotético. Somos nós que ansiamos por um partido político conservador no Brasil que mandamos um recado para Bolsonaro: Por que ao invés de perambular de um partido a outro o deputado não encabeça a criação de um partido que efetivamente represente a direita?

Hoje Bolsonaro é nacionalmente conhecido e sua atual projeção sendo direcionada para um projeto que fortaleça ainda mais a direita brasileira, com certeza, tem potencial de atrair jovens, adultos, profissionais liberais e empresários que hoje estão desiludidos com o atual sistema político. E com razão visto que os atuais partidos políticos ou são de esquerda ou são de aluguel.

Finalizando com mais um recado para Bolsonaro:

Ainda em 2015, Macron anunciou que romperia qualquer laço que restasse com o partido governista. Naquele momento não se sabia, mas Macron estava gestando o movimento do qual seria fundador algum tempo mais tarde: em abril de 2016, nascia o “Em Marcha!”, partido pelo qual se candidatou e venceu as eleições à presidência. Parecia uma aventura quixotesca, mas o carisma do candidato, o descrédito dos partidos tradicionais e o modelo extremamente aberto – ao contrário das siglas tradicionais, o EM não exige que seus novos membros se desfiliem de outros partidos, o que ajudou a atrair curiosos – levaram a legenda de Macron a somar mais de 200 mil filiados em poucos meses.

Bolsonaro tem alguma dúvida ou dificuldade em seguir esse mesmo receituário?

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

 

Related Post

Comments

comments

Um comentário em “Emmanuel Macron envia recado para Bolsonaro”

  1. O fato é que a candidatura de Bolsonaro é tão somente voluntarismo – infelizmente essa é a verdade.

    Bolsonaro não tem apoio suficiente e Eduardo Bolsonaro trouxe essa questão à tona na semana passada, trazendo à lume a constatação de que estão sendo abandonados por ditos aliados em prol de João Doria.

    Desde 2011 o Deputado Federal Capitão Augusto está tentando montar o Partido Militar Brasileiro, sendo que só agora Jair Bolsonaro está apoiando a criação do que será o primeiro partido de direita do Brasil em nossa infame “nova república”, pois teve sua proposta de candidatura rejeitada pelo PR e PTB.

    Sendo sincero, não acredito na viabilidade da candidatura de Bolsonaro porque não temos sequer um partido para nos unir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *