Primeiro o Gayzismo, depois o feminismo

Os líderes do movimento gayzista nunca negaram que há um objetivo último por trás de sua “causa”.

E o objetivo é proibir e/ou editar a Bíblia, por ser um livro “homofóbico”.

Se duvida, observe que toda vez que a militância emplaca uma vitória em sua causa, algum líder aparece para dizer que isso é só o começo, e que ainda falta muita coisa para que todos os direitos da comunidade LGBT sejam contemplados.

Na ótica deles, se os cristãos não consideram haver normalidade natural na homossexualidade, em virtude de pautarem suas vidas pela Bíblia, logo, é perda de tempo combater a consequência e não a causa. Se quem diz que a homossexualidade é anti-natural e pecaminosa é a Bíblia, é nela que os esforços devem ser concentrados.

E não adianta tentar argumentar com quem tem a consciência de tal maneira cauterizada, apelando à lógica inequívoca de que se a heterossexualidade não fosse o padrão natural de relações, nenhum de nós estaríamos aqui…

Usarão o contra-argumento de que a homossexualidade sempre existiu. E não negamos isso, a Bíblia mesmo o atesta. A questão é que sempre existiu em condição de exceção, e agora o querem tornar normativo.

Logo, a vitória mais almejável do movimento gayzista é conseguir alegar que a laicidade do Estado está sendo ferida por um livro religioso, na medida em que ele promove a discriminação de cidadãos. No momento em que um juiz afinado com a militância acatar o argumento, a porteira se abrirá.

O feminismo de extrema-esquerda agora ameaça também entrar na briga. Para elas, a Bíblia seria misógina. Partindo da mesma alegação dos gayzistas, atacarão a Santa Palavra, sob o pretexto de que ela fomenta a discriminação de gênero, na medida que é um livro totalmente patriarcal.

Antes afundados num charco de insignificância, tais grupos cada vez ganham mais voz. Suas mentiras espúrias, repetidas à exaustão, começam a ganhar status de verdade e, o mundo ocidental também conhecerá a perseguição aos cristãos.

Se você já se perguntou como será a perseguição aos salvos no tempo do fim, te digo:

Será por causa da farsa da discriminação de minorias.

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

Leia Também:

 

Babás de terroristas

Pactos com o Diabo

Os ateus e o problema do mal 

Cristãos esquerdistas?

Contra o terror revolucionário

4 comentários em “Primeiro o Gayzismo, depois o feminismo”

  1. Sintetizou tudo aqui… “Se você já se perguntou como será a perseguição aos salvos no tempo do fim, te digo: Será por causa da farsa da discriminação de minorias”. Penso que sempre convivemos com classes e categorias diferentes, sem a segregação ou destaque tão acirradas como agora. Eu vejo o problema na ideologia de esquerda, que promove o ódio entre as diferentes instâncias. Abraços!

  2. É o velho provérbio militar: “dividir e conquistar”. Dividem sociedade em grupelhos de revoltadinhos, uns contra os outros e, dado o espírito demoníaco que os impulsionam, todos acabam sendo especialmente contra o homem branco, cristão e heterossexual, pior ainda se for empresário – visando, obviamente, anular e destruir a influência do cristianismo na sociedade. Irmão, diz-se que, no tempo do fim, antes da crise final, o Espírito Santo será retirado da Terra, não porque Deus esteja abandonando os ímpios, mas por causa de sua recusa insistente em aceitar a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor, expulsando a influência do Espírito Santo de suas vidas.

    • E muitos dentro da própria igreja não conseguem lidar com a impopularidade de se opor às pautas politicamente corretas e cedem em sua fé, para agradar os impositores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *