Presidente Michel Temer quer o fim da Lava Jato?

O presidente Michel Temer quer o fim da Lava Jato? Muitos indícios apontam para isso.

É certo que em diversas ocasiões se decretou o fim da Lava Jato. Dilma Rousseff, Lula e o PT tentaram por diversas vezes acabar com a principal investigação contra a corrupção no país. Não deu certo!

Agora é a vez de o presidente Michel Temer, tudo indica, investir a fim de barrar o avanço das investigações.

É curioso constatarmos que parte dos manifestantes que foram as ruas pedir a saída de Dilma Rousseff em atos históricos, prefere agora a permanência de Michel Temer.

É curioso porque não há nenhuma justificativa para sua permanência, ao contrário, há abundantes motivos para qualquer um que deseje um país minimamente decente pedir a saída do atual presidente.

Leia também:

É urgente que o povo volte às ruas pela Lava Jato

Ministro Gilmar Mendes critica prisões da Lava Jato

PT e PMDB: que a Lava Jato os sepulte

Se o governo Temer já era moralmente indecente por formar uma equipe ministerial com nomes investigados pela Lava Jato, tornou-se moralmente criminoso com a divulgação da conversa entre o presidente e o dono da JBS.

Decretou-se o fim de Michel Temer! Que, no entanto, cambaleia para manter-se na presidência, repetimos, com senão anuência de grande parte da população, ao menos com a indiferença desta.

Nesse ponto, engana-se quem pensa que a contraofensiva do Planalto se restringiu e se restringirá apenas a laudos fajutos da gravação. Ou a discursos evasivos que nada trazem de respostas concretas.

Temer quererá o fim daqueles que jogaram seu nome no centro das investigações. Nem que para isso atue pelo fim da Lava Jato.

Ao tomar posse, o novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, ao mesmo tempo em que afirma cinicamente que a Lava Jato é intocável, admite que pode fazer mudanças em cargos estratégicos da investigação.

O site O Antagonista resumiu bem a questão em duas notas que deixam claro que quem decidirá o futuro da Lava Jato não será o novo ministro, mas, Michel Temer.

Michel Temer já entregou a Torquato Jardim a missão de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. A seguinte é substituir os delegados da Lava Jato.

Ele só vai parar quando acabar. 

E o mais revelador

Michel Temer asfixia financeiramente a Lava Jato, tenta garantir foro privilegiado a Rocha Loures, o seu homem da mala, faz chicana para evitar depor sobre a sua relação subterrânea com Joesley Batista — que afirma ter comprado o silêncio de Eduardo Cunha –, nomeia um ministro da Justiça para ser o seu advogado de defesa informal e, agora, manda esse mesmo ministro trocar a direção da PF.

O presidente da República sente-se livre para obstruir a Justiça diante de uma nação inerte.

É impressionante.

Encerramos

Engana-se quem pensa que algum político deseja a continuidade das investigações. O que eles querem isto sim, é o fim da Lava Jato.

O PT de Dilma e Lula não conseguiu. Não conseguiram porque estavam acuados pelas críticas e pela oposição das ruas.

Temer, aqui e ali, pode estar sendo duramente criticado, porém, neste momento, conta com a benevolência das ruas vazias. Estas, quando minimamente ocupadas, são por grupelhos vermelhos, tão picaretas quanto os atuais políticos, que hoje trabalham assiduamente pelo fim da lava jato.

Nesse ponto vale a indagação seguida de uma dúvida: Onde está a direita? Faz parte da direita quem defende a manutenção de Michel Temer na presidência?

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

[aps-counter]

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *