Por que não assistir ao filme Vingadores – Guerra Infinita?

O filme Vingadores – Guerra Infinita simplesmente alcançou o recorde de possuir, até aqui, a maior bilheteria de estreia do cinema de todos os tempos. Apenas no Brasil, o filme já arrecadou mais de R$ 40 milhões.

Cumprindo minhas obrigações paternas, fui assistir ao blockbuster baseado em personagens da Marvel. Com um elenco recheado de estrelas hollywoodianas e eximia produção, é compreensível que o filme lidere as bilheterias mundo afora.

Ao sair da sala de cinema, minha esposa, que nos aguardava do lado de fora, indagou-me se eu havia gostado do filme. Não, não gostei. Foi minha resposta. E por que não gostei?

Talvez eu possa ser visto por muitos como um esquisitão, mas, os super-heróis tanto da Marvel quanto da DC Comics não fizeram parte da minha infância e juventude. Das histórias em quadrinhos, meus personagens favoritos eram Chico Bento e Cascão. Assim, me surpreende o fascínio que tantos jovens e adultos nutrem por super-heróis como superman, Batman, Capitão América ou Thor.

Mesmo assim, não faço grandes objeções para assistir produções do gênero.

Então, por que recomendo vocês a não assistir ao filme Vingadores – Guerra Infinita?

Vamos lá! Ao assistir ao filme Vingadores – Guerra Infinita com um olhar mais atento e treinado, é inescapável identificarmos a enorme quantidade, de forma implícita ou não, de mensagens não cristãs. Logo, para um cristão, torna-se um filme desconfortável.

Leia também:

Nosso mundo é The Walking Dead

True Detective: um embate entre luz e trevas

Nesse sentido, a mensagem não cristã que claramente aparece no filme e que permeia toda a trama, diz respeito às tais “Joias do Infinito” surgidas com o “Big Bang” e possuidoras de fortes poderes sobre o universo: espaço (azul) mente (amarela), poder (roxo), tempo (verde), realidade (vermelha) e alma (laranja). Assim, em muitas passagens do filme, encontramos falas sobre o “equilíbrio do cosmos” E “equilíbrio do universo”.  Aonde se encaixa, nessas tais “joias”, a existência de um Deus Trino, onipresente e onipotente?

Mocinhos X vilão

Logicamente que não seria um filme de super-heróis se não houvesse o embate dos mocinhos lutando em defesa da humanidade contra uma poderosa e perigosa ameaça que no caso do filme Vingadores – Guerra Infinita , responde pelo nome de Thanos. É Thanos o grande vilão da história.

O problema é que Thanos é um monstro que tenta ter em mãos, literalmente, as já citadas “Joias do Infinito”, cuja finalidade, com o poder conferido por elas, é exterminar metade da humanidade e assim, evitar que todos perecem com a escassez de recursos. É um necessário e misericordioso mal, com um verniz malthusiano, em nome de um bem maior: a preservação da espécie.

Não obstante, é na figura do vilão que o filme desperta uma boa discussão, afinal, podemos ver em Thanos, uma analogia ao papel do Estado, cada vez mais gigante, cada vez mais poderoso e com uma fome insaciável por mais poder; tornando-se o responsável por dar de forma arbitrária a última palavra sobre quem tem o direito de viver e quem foi o escolhido para morrer.

Também é possível enxergarmos em Thanos figuras como Hitler e tantos outros genocidas que sempre justificaram e justificam seus atos em nome de um bem maior. No filme, esse mal é combatido pelos super-heróis.

Em essência, são os super-heróis os responsáveis por defender os mais fracos: são fortes, corajosos e possuem os meios materiais e habilidades que a grande maioria dos meros mortais não possui, ou seja, têm poderes sobre humanos. Também faz parte desses poderes o senso de justiça, bondade, gratidão, amor e um estoico comportamento ético e moral que sobrepuja todas as suas fraquezas humanas.

Portanto, na descrição de um super-herói, descobrimos que suas qualidades são quase inatingíveis pela grande maioria da população. E esse dado contribui para reforçar minha desaprovação pelo filme Vingadores – Guerra Infinita e mais ainda, não recomendar vocês a assisti-lo

Não recomendo  o filme e saí do cinema com essa certeza porque o mal que Thanos representa e que está longe de ser uma mera ficção pode ser combatido por todos os indivíduos que compõem nossa sociedade, desde que, todos, possuam coragem, justiça, gratidão, amor, senso ético e moral, logo, prontos para defender os fracos e indefesos.

Mas como isso é possível se já foi falado que ser um super-herói é algo inalcançável à grande maioria?  Na sala ao lado em que se passava o filme da Marvel passava outro, cujo personagem central deixou-nos, dentre muitos outros, o seguinte ensinamento: Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo.

Jesus Cristo é nosso verdadeiro herói. Foi Ele quem morreu e ressuscitou por nós. E embora Seu padrão moral, Seu amor e Sua bondade sejam inalcançáveis por nós, o Espírito Santo de Deus, através do apóstolo Paulo, nos exorta a imitá-lo.

É desta forma e não de outra, que conseguiremos vencer o mal representado por Thanos, Hitler, principados e todos os dominadores deste mundo.

Mas infelizmente, é isso que jovens e adultos já vazios dos padrões de Deus e cheios do relativismo do nosso tempo, deixam de aprender e apreender ao assistirem ao filme Vingadores – Guerra Infinita. Ao assistirem, ficam ainda mais distantes da Verdade porque alimentam o imaginário de que algumas virtudes estão tão naturalmente distantes que são apenas para alguns poucos afortunados.

Nesse sentido, não recomendo o filme Vingadores – Guerra Infinita.

Por Jakson Miranda

Seja um direitoso e apoie o Voltemos à Direita nas Redes Sociais!!

Related Post

Comments

comments

5 comentários em “Por que não assistir ao filme Vingadores – Guerra Infinita?”

  1. Crer tambem é pensar , titulo de um otimo livro do john stott .
    Não devemos ser tolhidos da nossa capacidade de pensar e opinar, devemos ate respeitar o individuo em opinar, mas tambem temos o direito de não concordar com a opinião alheia.
    Gostamos de diversão , gostamos das fantasias e isso que o filme é, não vi nada de politico ou religioso no filme guerra infinita.

  2. Eu não vi o filme, mas baseado no que já ví anteriormente não deve fugir à nada. Aliás outro ponto é que realmente não existe mais estória a ser contada, tudo muito baseado nos efeitos especiais, sem conteúdo concreto e que mexa com a opinião das pessoas e se for para mexer, vão dar destaques ao politicamente correto, daqui a pouco aparece um super herói homossexual ou do islã, já que para muitos os cristãos são os opressores desse grupo de pessoas, mas enfim, tudo segue seu percurso, até que tudo se cumpra conforme determina a palavra de Deus.

  3. “Jesus Cristo é nosso verdadeiro herói. Foi Ele quem morreu e ressuscitou por nós. E embora Seu padrão moral, Seu amor e Sua bondade sejam inalcançáveis por nós, o Espírito Santo de Deus, através do apóstolo Paulo, nos exorta a imitá-lo.”

    Para imitar a Cristo, a primeira coisa que vocês deviam fazer é apagar esse blog. Pq é uma baita hipocrisia usar a Bíblia como forma de legitimar posições políticas quando a Biblia, por si só, é totalmente contrária à política mundana.

    • Você é cristão?
      Se sim, acredita que cristãos não devem se envolver com política?
      Se a resposta for sim, quais os textos bíblicos que amparam sua posição?
      E, por fim, você consegue perceber que o que você está defendendo é a seu modo também um posicionamento político?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *