A serviço de Temer, perito Ricardo Molina faz descoberta impressionante

O perito Ricardo Molina foi contratado pelos advogados do presidente Michel Temer para analisar o áudio da gravação entre o presidente e Joesley Batista. Repito, agora em letras garrafais: O PERITO RICARDO MOLINA FOI CONTRATADO PELOS ADVOGADOS DO PRESIDENTE MICHEL TEMER!!!

Oras, se contrato alguém, é claro que a pessoa contratada irá me entregar o serviço que espero que ela me entregue. Não é preciso um perito para entender isso, certo?!

Leiam a conclusão a que chegou  Ricardo Molina.

O perito Ricardo Molina, contratado pela defesa do presidente Michel Temer (PMDB), afirmou nesta segunda-feira (22), em entrevista coletiva em Brasília, que a gravação da conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista não tem condições técnicas de ser utilizada num processo e contestou a interpretação de um dos principais pontos do diálogo.

Molina contestou a transcrição do trecho no qual Joesley teria usado a frase “todo mês”, quando supostamente se referia a pagamentos para comprar o silêncio do exdeputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“Não é todo mês. É ‘tô no meio'”, disse o perito.

Segundo Molina, essa conclusão foi possível por meio da comparação com outros trechos da gravação nos quais Joesley usou termos foneticamente semelhantes.

O trecho a que o perito se refere é este:

[Joesley]: Isso, que o Geddel é que andava sempre ali, mas o Geddel também com esse negócio eu perdi o contato, porque ele virou investigado e eu também não posso encontrar ele.

[Presidente Temer]: É complicado. […]

[Joesley]: Isso. O negócio dos vazamentos. O telefone lá do Eduardo com o com Geddel, volta e meia citava alguma coisa meio tangenciando a nós e não sei o quê, e eu tô lá me defendendo. Como é que eu… o que eu mais ou menos dei conta de fazer até agora? Eu tô de bem com o Eduardo.

[Presidente Temer]: Tem que manter isso, viu? […]

[Joesley]: Todo mês, também, e tô segurando as pontas, tô indo. Nesses processos eu tô meio enrolado aqui, né, no processo assim…

[Presidente Temer]: Você está sendo investigado.

Os advogados de Temer contrataram o perito para analisar o áudio gravado por Joesley de um encontro com Temer no Palácio do Jaburu no dia 7 de março.

A gravação foi um dos principais elementos utilizados pela PGR (Procuradoria Geral da República) para pedir a abertura de um inquérito contra o presidente. A investigação foi autorizada por decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, que também homologou um acordo de delação premiada de Joesley.

Molina também afirmou que a maior parte da gravação é de trechos sobre os quais não é possível determinar o significado do que foi dito.

“Mais da metade, com toda certeza, é ininteligível”, disse.

O perito afirmou ainda que a gravação contém uma série de falhas, como trechos descontínuos e ruídos que impedem entender o que é dito.

“Em um processo normal essa gravação sequer seria aceita como prova, em função do excesso de vícios que ela tem”, disse Molina.

O perito afirmou ainda que no trecho de 17 segundos no qual o presidente responde Joesley com a frase “Tem que manter isso, viu” contém seis pontos com sinais de que pode ter havido edição do áudio.

Molina afirmou que ao analisar o perfil das ondas sonoras do áudio verificou uma série de anomalias que podem indicar que a gravação foi manipulada.

“A pergunta que o perito deve se fazer é: você pode garantir que essa gravação é autêntica? Um perito honesto diria: não. E diria não em qualquer situação jurídica normal”, respondeu.

Molina afirmou que a partir de perícia desse tipo não é possível ser conclusivo sobre se houve ou não edição no áudio, mas, perguntado por jornalistas, o perito afirmou acreditar ser mais provável que a gravação tenha sofrido algum tipo de edição.

O perito afirmou que o mais provavelmente é que tenha ocorrido a extração de trechos da conversa.

Encerramos

Viram a descoberta impressionante feita pelo perito Ricardo Molina? De fato, não está na reportagem acima, mas é fácil descobrir.

O perito descobriu que pode ganhar uma boa grana de alguém em pleno desespero.

Em seu pronunciamento no sábado, Temer citou uma pericia contratada pela Folha que apontava aproximadamente 50 edições no áudio. O perito contratado por Temer nada falou a respeito.

Por fim, ou o caso é de policia ou de palhaçada em estado puro. Por que digo isso? Destaco três importantes pontos da fala do perito:

O perito afirmou ainda que a gravação contém uma série de falhas, como trechos descontínuos e ruídos que impedem entender o que é dito.

Ok, ok. E o que ele poderia dizer sobre o que ouviu e entendeu?

O perito afirmou ainda que no trecho de 17 segundos no qual o presidente responde Joesley com a frase “Tem que manter isso, viu” contém seis pontos com sinais de que pode ter havido edição do áudio.

Como poderiam editar uma frase tão simples? Te – m – que – manter – isso – , – viu –

E Molina encerra sua conclusão de forma magistral

Molina afirmou que a partir de perícia desse tipo não é possível ser conclusivo sobre se houve ou não edição no áudio, mas, perguntado por jornalistas, o perito afirmou acreditar ser mais provável que a gravação tenha sofrido algum tipo de edição.

O perito Ricardo Molina fez uma descoberta impressionante!!

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Crise política no Brasil: de quem é a culpa?

Querem saber de quem é a culpa pela crise política no Brasil? Vamos lá!

Na quarta feira pela manhã, nosso blog publicou um post aonde trazia um vídeo mostrando a realidade da política norte-americana. Se lá é como diz o vídeo, aqui no Brasil não é muito diferente e certamente é muito pior.

Revejam o vídeo

Finalizávamos o post com a seguinte observação

E a resposta, amigos, nos inquieta, nos dá um choque de realidade e nos mostra que se há algo de muito errado com a atuação dos nossos políticos é porque há algo extremamente errado com a formação que temos proporcionado a cada criança, jovens e adultos que saem dos nossos lares, adentram em nossas universidades e frequentam assiduamente nossas igrejas.

Logo, a pergunta a ser feita é outra. Como podemos melhorar e mudar a nós mesmos e consequentemente nossa sociedade?

Pois bem, no final da tarde de quarta feira, Lauro Jardim reportava a noticia bomba da gravação entre o dono da JBS e o presidente Michel Temer.

Desde então, temos acompanhado diuturnamente o noticiário, buscado informações e ponderando, em cada post, o melhor caminho, a nosso juízo, para o Brasil.

Nesse sentido, ao publicarmos o primeiro artigo sobre o escândalo que coloca Temer no epicentro da corrupção e da promiscua relação entre políticos e empresários, registramos o seguinte:

A culpa é da direita xucra, claro! Culpa do que, mesmo? Vejamos

E prosseguíamos

É daí que nasce o termo direita xucra. Lógico que se trata de um termo depreciativo que tem como objetivo desqualificar e neutralizar o crescimento dessa direita que não enxerga nesse governo Temer e em um governo tucano uma mudança à direita.

Para os lacaios criadores e propagadores do termo, qualquer “derrota” do atual governo era culpa da direita xucra. Qualquer implicação ou menção em delações de nomes do atual governo, a culpa é da direita xucra. Qualquer queda em intenções de votos de presidenciáveis tucanos, a culpa é da direita xucra.

Para esta direita, os que lhe chamam de xucra defendem de forma escandalosa e incompreensível, a manutenção dos mesmos agentes que desde a redemocratização dominam nosso país e do mesmo ideário político que faz a cabeça desses agentes, ou seja, tem que manter isso aí, viu?

Este blog orgulha-se de ser enquadrado na direita xucra! Este blog orgulha-se da credibilidade conquistada por aqueles que são chamados de xucros. Somos todos xucros, mas não desejamos manter isso aí na política nacional.

Independentemente dos próximos acontecimentos e do futuro de Temer, os apoiadores do governo peemedebista deverão ter em mente o seguinte:

Tem que manter isso aí, viu?   Significa a continuidade da corrupção.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o sistemático desvio de verbas.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o malfadado toma lá, dá cá.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o pagamento e recebimento de propinas.

Tem que manter isso aí, viu? Significa colocar as relações de compadrio acima da lei.

Algum brasileiro que deseja o bem do Brasil apoia isso aí?

Encerramos

De quem é a culpa pela crise política no Brasil? Fica claro que a culpa não é da direita “xucra”. Ao contrário, a culpa deve ser computada na conta daqueles que a todo custo, tentam justificar o atual estado de coisas e pior, com eloquência, tentam ludibriar parte da população.

Ou seja, o atual momento pelo qual passa o país tem seus responsáveis e não digo apenas que esses responsáveis sejam os políticos, mas, e talvez com igual grau de responsabilidade, aqueles que num verniz enganoso de ultra conservadorismo, jogam a ética e a moral do lixo e defendem com unhas e dentes a praticidade da velha expressão, Tudo continua como antes no quartel de Abrantes.

Como sabem tal visão política hoje, é a responsável pelo reagrupamento da esquerda. Cabe agora, uma vez mais, a direita xucra manter-se firme, lutar por mudanças e evitar que a esquerda continue dando as cartas no jogo.

A crise política no Brasil tem seus responsáveis e a direita “xucra” é a única que os quer responsabilizar. Melhor, a direita xucra é a única que quer o bem do Brasil.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Pronunciamento de Temer e a pergunta que não quer calar

O pronunciamento de Temer, na tarde deste sábado, não foi capaz de responder algumas importantes perguntas.

Antes, porém, leiam o que disse o presidente

O presidente Michel Temer fez neste sábado um pronunciamento afirmando que o áudio gravado pelo dono da JBS, Joesley Batista, foi adulterado, teve mais de 50 edições, e pediu a suspensão do processo que foi aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigá-lo. Temer disse que permanece na Presidência e negou que tenha cometido o crime de corrupção passiva, pois os pleitos do empresário não foram atendidos. Chamou Joesley de “fanfarrão” e afirmou que não acreditou nas afirmações do empresário de que havia cooptado juízes e promotores.

– O que ele fala em seu depoimento não está no áudio. E o que está no áudio demonstra que ele estava insatisfeito com o meu governo. Essa é a prova cabal de que meu governo não estava aberto a ele. Fica patente o fracasso de sua ação. O CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) não decidiu a questão solicitada por ele. O governo não atendeu a seus pedidos. Não se sustenta, então, a acusação pífia de corrupção passiva – disse Temer.

Este foi o segundo pronunciamento do presidente em menos de três dias.

No pronunciamento, Temer também fez duros ataques a Joesley:

– O autor do grampo está livre e solto, passeando pelas ruas de Nova York. O Brasil que já tinha saído da mais grave crise econômica vive agora dias de incerteza. Ele não passou nenhum dia na cadeia, não foi preso, julgado e punido. Pelo jeito não será, cometeu o crime perfeito. Graças a essa gravação fradulenta, especulou contra a moeda nacional. A notícia foi vazada por gente ligada ao grupo do empresário, que antes de entregar a gravação comprou 1 bilhão de dólares porque sabia que isso ia provocar o caos no câmbio – afirmou Temer.

Encerramos

O pronunciamento de Temer foi rápido. O presidente entrou e saiu sem falar com a imprensa e assim, não deu a ninguém a possibilidade de lhe fazer algumas perguntinhas básicas:

Por que um presidente da República aceita receber um empresário investigado pela justiça, na calada da noite e sem registro na agenda oficial?

Qual a relação do presidente com o deputado Rodrigo Rocha Loures?

Qual a opinião do presidente sobre o afastamento determinado pelo STF, do referido deputado, por este ter recebido R$ 500 mil da JBS, cujo dono, Temer mantivera conversa clandestina?

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Presidente Michel Temer ouve relato de crimes e nada faz

O que o áudio da conversa entre Temer e o dono da JBS comprova? Que o presidente Michel Temer ao ouvir relatos de crimes praticados por seu interlocutor, tais como, pagamento de propina e tentativa de obstrução de justiça, nada fez, ao contrário, aquiesceu.

Leiam reportagem do O Globo

Os áudios gravados por Joesley Batista, da JBS, revelam que o presidente Michel Temer (PMDB) ouviu, sem fazer objeção e nem depois reportar aos órgãos competentes, um relato de um empresário — dono de um grupo que foi alvo de cinco operações da Polícia Federal em menos de um ano — com detalhes sobre mecanismos usados por ele para obstruir a Justiça, como a cooptação de juízes e procuradores. Temer também escutou, sem repreender o interlocutor, declaração sobre pagamentos ilegais ao ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB).

No documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), no qual solicitou a abertura de inquérito para investigar Temer, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou: “Joesley fala que segue pagando propina ‘todo mês, também’ a Eduardo Cunha, acerca da qual há a anuência do presidente da República”. Cunha está preso desde outubro do ano passado e, em março deste ano, foi condenado pelo juiz Sergio Moro a mais de 15 anos de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A conversa de Joesley com Temer foi gravada em março, no Palácio do Jaburu. Quando o empresário questionou o presidente sobre a relação com o presidiário Cunha, Temer afirmou que o ex-deputado “resolveu fustigá-lo” ao enviar perguntas, no âmbito de um dos processos que correm na Justiça Federal do Paraná, que relacionavam o presidente com réus e condenados da Lava-Jato. Temer foi arrolado por Cunha como testemunha de defesa, mas o juiz Moro indeferiu 21 das 41 perguntas feitas pelo ex-deputado ao presidente.

Encerramos

No inicio da matéria está o cerne da questão. Aliás, o simples fato do presidente da República receber na residência oficial um empresário sem que tal encontro conste na agenda da presidência, já seria motivo suficiente de escândalo. Isso em países decentes.

Mais escandaloso ainda é o presidente da república, repito em letras garrafais, o PRESIDENTE DA REPÚBLICA ouvir o que ouviu e nada fazer.

Não, presidente Michel Temer, a montanha não pariu um rato. Não estamos falando de algo insignificante, ou estamos presidente Michel Temer?

O que veio a público só é avaliado como insignificante quando se está habituado a coisas piores e nesse caso, a expressão mais adequada seria: chafurdar na lama. Ou seja, algo que os porcos fazem com maestria e graça até, mas que, para um homem de terno e gravata, cuja missão é dirigir um país, torna-se algo que vai do grotesco à deselegância; da molecagem irresponsável à perversão dos valores do Estado Democrático de Direito.

Quem assim o age, não tem condições morais de continuar no posto de presidente da República.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Caso Aécio Neves e a comédia involuntária de Reinaldo Azevedo

Foi um dia longo e tenso.

Michel Temer perdeu a credibilidade pra governar.

Aécio Neves foi gravado em conversar pouco republicanas.

E, talvez o mais doloroso: Chris Cornell, o excelente vocalista das bandas Soundgarden e Audioslave, deixou a vida para entrar na história.

Ainda bem que em meio a este desconcerto do mundo, para citar Camões, existe Reinaldo Azevedo.

Reinaldo se tornou para muitos que o admiravam, como era o meu caso, algo como aquele louco do bairro que faz coisas extravagantes e engraçadas, e que as pessoas espiam comentando umas com as outras: “o que será que ele vai fazer agora?”

Tio Rei permanece todo empavonado diante de sua ainda enorme audiência. Levará tempo para perceber que não se é lido somente por ser influente. E ele já foi.

Mas agora há um grande contingente de sua audiência que, como eu faço, já entram esfregando as mãos para ver o que o doidinho do bairro está fazendo de engraçado.

Reinaldo, ultra-defensor do tucanato e do governo Temer, tinha hoje uma tarefa inglória: explicar aos seus leitores que estava certo o tempo todo e tinha antevisto tudo, e que a direita xucra era a responsável por dois de seus mais estimados políticos terem sido enovelados pelos açougueiros da JBS.

Mas ele não falha, e admiro isso no Reinaldo. Ele ainda se empenha em divertir a gente!

Vejam que primor este trecho publicado em seu blog na Veja:

No caso de Aécio, o que vazou até agora não caracteriza exatamente que crime teria cometido.

Não é proibido receber dinheiro vivo de ninguém. Não se deve fazê-lo, mas não é crime nem mesmo mentir sobre a motivação de um dinheiro que se pede a um ente privado — a menos que, no caso do político, haja contrapartida.

Genial, não acham? Eu esperava isso de um Paulo Henrique Amorim, de um Emir Sader, e agora, pelo visto, devo esperar também de um Reinaldo.

Nosso louco da casa não consegue entender qual foi o crime de Aécio Neves. Reinaldo acha normal um senador eleito, presidente de um dos principais partidos do país, pedir dinheiro vivo a empresários do alto escalão brasileiro. Só não pode pedir se tiver contrapartida…

Claro. Certamente Joesley dava dinheiro a Aécio porque ele era um cara legal. Ser senador e presidente do PSDB não influenciava em nada.

Joesley deve ser um cara gente fina, né Reinaldo? Dando dinheiro assim para seus amigos, sem esperar nada em troca… Deve ser legal ser amigo do Joesley.

Num outro artigo, Reinaldão vaticinou:

Bem, afinal, o jogo convergiu para os vermelhos, não é?, conforme aqui se anteviu tantas vezes.

Essa foi de gargalhar!

Que beleza, não é? Nosso amigo não nos desaponta. Ele havia avisado que as coisas se encaminhavam para um fortalecimento da esquerda.  Só o que esqueceu de avisar é que ele dizia que isso se daria através da “direita xucra”, e não através dos políticos que ele ama defender!

Foram eles, Reinaldo, que foram gravados fazendo besteira. Foram eles, Rei, que jogaram no lixo a oportunidade de apaziguar o país e ganhar a confiança da população demonstrando que eram honestos.

A direita xucra estava certa, Reinaldo.

Foram estes que você tanto defende que, de novo, deram sobrevida ao PT.

Por Renan Alves da Cruz

 

 

 

Prisão de Aécio pode ser contrapeso importante à prisão de Lula

Lula é o centro do Powerpoint como já esclareceu Deltan Dallagnol. Não tenho dúvidas de que será condenado por Moro e sua condenação será referendada na segunda instância. Pode ser protegido pelo STF, mas creio que pelo menos preso será.

Ser preso, entenda, não é a mesma coisa que permanecer na prisão. Ouve-se aqui e ali sobre tramas sendo urdidas nos bueiros para que o chefe não padeça muitos males.

Na primeira instância, porém, Lula não conta com asseclas. Está sendo investigado com todo o rigor, dentro dos limites da justiça. Mas a esquerda é a esquerda. São amorais profissionais e se orgulham desta condição. Maquiavelicamente espalham e repetem a falácia de que Lula está sendo perseguido.

Eduardo Cunha está na cadeia há tempos e eles ignoram o assunto. Se outro político que não Lula tivesse cometido os mesmos desmandos, já estaria enclausurado.

O fato de não estar não representa demérito da justiça. A questão é que, gostemos ou não, Lula não é um cidadão qualquer. É um ex-presidente da República que conta com uma turba barulhenta a seu favor, além de amigos togados poderosos. Uma prisão dele tem que estar muito bem embasada, para que se corra o risco de reforçar a tese de perseguição política ou, pior, forneça justificativa para que um de seus amiguinhos assine uma soltura imediata.

No atual das coisas, a prisão de um oposicionista graúdo vem a calhar. É é claro que não estou dizendo aqui para prendermos qualquer um só para fornecer uma narrativa de isenção que diminua o impacto da prisão de Lula. Seria útil dentro de critérios ilibados e legítimos.

Como Aécio foi pego de maneira indefensável e inquestionável na prática de um ilícito, sendo gravado, de forma a haver prova flagrante, não se torna exagerada a defesa de sua prisão.

Com Aécio Neves, até então presidente do PSDB, preso o discurso de perseguição a Lula se torna ainda mais frágil.

Se a delação da JBS confirmar tudo o que foi revelado nos últimos dias, Aécio não tem para onde fugir. Não condescendemos com corruptos de qualquer matiz ideológico. Não nos importa que o tom de vermelho do esquerdismo aecista seja mais desbotado que a estrela vermelha do PT.

Lugar de corrupto é na cadeia.

E cautela nunca é demais. Os lulistas farão um inferno quando chegar a vez de seu messias.

A melhor coisa é Aécio ir primeiro.

Se for com calma, cabe todo mundo.

Por Renan Alves da Cruz

Pronunciamento de Temer: o caridoso estava preocupado com a família de Eduardo Cunha!

Temer acaba de se pronunciar. Após tantas reuniões e indefinições o ainda presidente empostou a voz, mencionou feitos do seu ano na presidência e mencionou a importância das reformas que quer aplicar.

As reformas são importantes, Temer.

Os feitos do governo, ante a situação de terra arrasada deixada pelo PT, são razoáveis.

Contudo, o que esperávamos mesmo era um pronunciamento enfático não no que diz respeito a estes assuntos, mas sim a respeito da acusação que o ensombrece. Queríamos uma explicação meramente plausível para sua anuência com o pagamento para Eduardo Cunha.

O ainda presidente não entregou o esperado. Pelo contrário, assumindo ares de caridoso, saiu-se com a desculpa de que considerou que o dinheiro mencionado era uma ajuda à família de Eduardo Cunha.

Ao final, com sua expressão draculínica, elevou o tom para anunciar que não renuncia.

E contou com uma vergonhosa meia dúzia de aplausos. Se estivesse amparado pelo entorno, receberia uma ovação.

Temer acabou.

Esperemos que saia logo para que o Brasil não acabe junto.

Por Renan Alves da Cruz 

O sepultamento da carreira política de Aécio Neves é mais uma vitória da Lava Jato

O Brasil vive nos surpreendendo, então às vezes é temerário emitir juízos antecipatórios, ademais parece certo que a carreira política de Aécio Neves foi sepultada no histórico dia 17 de Maio de 2017.

Sei que o Brasil, depois de tudo, ainda deu a Collor uma vistosa e propinosa carreira política e até considero que Aécio possa ser eleito futuramente para cargos no legislativo, mas sua inocultável pretensão de ocupar a presidência do Brasil foi soterrada.

Aécio poderia ter sido eleito em 2014. A Deus pertence a sapiência daquilo que não nos proporcionou vivenciar. Não seria possível saber quais os efeitos de uma vitória tucana no pleito, entretanto, sabemos que o triunfo petista nos lançou num abismo sem fundo. Há anos esperamos sair do buraco, mas a luz e a paz parecem ainda distantes.

Independente do que aconteça com Aécio Neves em seu futuro trajeto político, o trabalho conduzido pela Lava-Jato alcança mais um triunfo impressionante: mais um figurão do alto escalão da política brasileira é desnudado e perde seu capital político, além de ver-se às voltas com a possibilidade da prisão.

Espero que os deputados e senadores percebam que não adianta tramar nos submundos para travar a operação. Que a luta contra a corrupção transcende a vontade de procuradores e policiais federais. Que agora se tornou uma demanda nacional, uma necessidade, uma obsessão.

Não aguentamos mais. Não é mais suportável.

Aécio Neves é mais um tubarão da política brasileira capturado com a boca na botija.

Que Deus nos permita descobrir e punir devidamente todos os outros, não importa de que partido, não importa de qual linha ideológica.

Toda vez que um político corrupto é desmascarado o país é presenteado.

O sepultamento da carreira política de Aécio Neves é uma vitória da Lava-jato e, mais do que isso, uma vitória do Brasil.

Por Renan Alves da Cruz

Vaza, Temer! Todo corrupto é golpista e ilegítimo

Desde o Impeachment de Dilma a esquerda se refere a Michel Temer como presidente ilegítimo e golpista.

Sabemos bem que é o tipo de indignação oportunista, não de quem quer um país livre das algemas corruptivas, mas de quem possui seus próprios crápulas preferenciais.

A delação da JBS desossou Temer em velocidade assombrosa. Publico este texto antes de se completarem 24 hs da divulgação dos fatos e as consequências são catastróficas. Ele não possui mais credibilidade e legitimidade para liderar o país nesta longa e brutal travessia.

Temer tem que ser extirpado da vida pública, porque a corrupção não pode mais ser tolerada. Porque um presidente não pode ser leniente ante a informação de que um cala-boca está sendo pago a um político que ameaça falar o que sabe.

Na verdade sequer sabemos que informações Cunha possui, mas sabemos que a ameaça levou Temer a arriscar seu mandato. A lógica nos leva a presumir que há algo a ser temido, fosse de outra forma o presidente teria se recusado a anuir com a sugestão dos bandidos da JBS.

Temer acabou para a política. Sua longa e até então ascendente trajetória chega ao ocaso com este episódio torpe. E nada há a ser lamentado. Se há algo que o Brasil não precisa é de políticos desta estirpe.

Todo político corrupto é golpista.

Todo político corrupto é ilegítimo.

Fora Golpista.

Fora presidente ilegítimo.

Por Renan Alves da Cruz 

 

De Temer a Aécio Neves: A culpa é da direita xucra ou, tem que manter isso aí, viu?

A culpa é da direita xucra, claro! Culpa do que, mesmo? Vejamos

Não fossem os grupos da direita, das diferentes vertentes e com as inúmeras divergências entre si, o governo petista de Dilma Rousseff não teria sofrido o processo de impeachment.

Por outro lado, em nenhum momento do processo que culminou com a saída da ex-presidente, foi condicionado apoio irrestrito ao governo de Michel Temer. Obviamente que após o fim da era petista, todos tinham esperanças no novo governo. Esperança é diferente de apoio.

Diante do avanço nas investigações da Lava Jato, e da politicagem de bastidores praticadas por Temer para manter próximas a si figuras implicadas nas delações, ficou claro que apoiar o governo peemedebista seria uma atitude de oportunistas e lacaios.

É assim que grande parte da direita que foi às ruas pedir o impeachment de Dilma passou a fazer duras criticas ao governo de Michel Temer. Não só isso. Grande parte da direita que pediu o impeachment, nunca negou que Temer era parte integrante do grupo da petista e que tanto PT, como o PMDB e o PSDB, são coirmãos e que os dois últimos não representam uma guinada à direita que a política do país pede e necessita.

É daí que nasce o termo direita xucra. Lógico que se trata de um termo depreciativo que tem como objetivo desqualificar e neutralizar o crescimento dessa direita que não enxerga nesse governo Temer e em um governo tucano uma mudança à direita.

Para os lacaios criadores e propagadores do termo, qualquer “derrota” do atual governo era culpa da direita xucra. Qualquer implicação ou menção em delações de nomes do atual governo, a culpa é da direita xucra. Qualquer queda em intenções de votos de presidenciáveis tucanos, a culpa é da direita xucra.

Para esta direita, os que lhe chamam de xucra defendem de forma escandalosa e incompreensível, a manutenção dos mesmos agentes que desde a redemocratização dominam nosso país e do mesmo ideário político que faz a cabeça desses agentes, ou seja, tem que manter isso aí, viu?

Este blog orgulha-se de ser enquadrado na direita xucra! Este blog orgulha-se da credibilidade conquistada por aqueles que são chamados de xucros. Somos todos xucros, mas não desejamos manter isso aí na política nacional.

Independentemente dos próximos acontecimentos e do futuro de Temer, os apoiadores do governo peemedebista deverão ter em mente o seguinte:

Tem que manter isso aí, viu?   Significa a continuidade da corrupção.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o sistemático desvio de verbas.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o malfadado toma lá, dá cá.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o pagamento e recebimento de propinas.

Tem que manter isso aí, viu? Significa colocar as relações de compadrio acima da lei.

Algum brasileiro que deseja o bem do Brasil apoia isso aí?

Em 2014, o tucano Aécio Neves esteve perto de ser eleito presidente da República. A vitória de sua adversária, Dilma Rousseff, foi decidida ali… Na parte final das apurações de votos.  Ficou como a campanha mais acirrada da história do Brasil.

Grande parte do sucesso do candidato tucano deveu-se, inegavelmente e imerecidamente, aos votos da direita então emergente naquele momento. Após o pleito, em entrevista ao O Globo, Aécio Neves cunha a seguinte frase: “Para a direita não adianta me empurrar que eu não vou“. Fez bem!

De lá pra cá, Aécio Neves fez jus a sua frase. Enquanto escrevo isso, leio que o STF acaba de determinar seu afastamento do senado e decidirá se ordena sua prisão por ser ele, alvo de investigação da Policia Federal sob a suspeita de recebimento de propina. Sua irmã foi presa!

Aécio Neves mostrou quem é. Não quis ser empurrado para a direita, mas, empunhou com firme convicção a bandeira de que Tem que manter isso aí, viu?

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS!