Governo de Donald Trump atua contra o aborto

O governo de Donald Trump, segundo a grande mídia, marcaria o início de uma Era apocalíptica para os EUA e o mundo. Para entender essa nossa afirmação, é importante que o leitor leia nosso primeiro post sobre Donald Trump. Clique AQUI agora e veja o que afirmamos à época em que Trump era apenas motivo de chacota para os “especialistas” de plantão.

Pois bem, até agora muitos insistem na ladainha de que o atual presidente dos EUA é um caos, embora a administração Trump tenha se mostrado na esmagadora maioria das vezes, infinitamente melhor que os oito anos de Barack Hussein Obama.

Nesse post mencionarei de forma sucinta, apenas mais um exemplo do que digo.

Nesta sexta feira, Donald Trump se tornará o primeiro presidente americano a enviar uma mensagem de saudação, do jardim das Rosas da Casa Branca, para a Marcha para a Vida, evento contra o aborto que acontece anualmente na capital federal, Washington, DC.

Leia também

Frio nos EUA é culpa do aquecimento global

Saída da Unesco é um pé na bunda que o governo Trump dá na ONU globalista

Em quarenta e cinco anos de Marcha para a Vida, que esse ano tem a estimativa de reunir mais de 100 mil pessoas, nenhum ocupante da Casa Branca havia mandado mensagem de apoio ao ato.

Jeanne Mancini, presidente da organização Marcha para a Vida, deixou claro o papel do presidente Trump na luta contra o aborto:

“Desde o seu primeiro dia no cargo, o presidente Trump manteve-se firme em suas promessas de campanha para a causa pró-vida e trabalhou ativamente para proteger o feto”.

Bem, o que Jeanne afirma é apenas um dos casos da Era apocalíptica que o governo de Donald Trump iniciou. Claro, se olharmos isso sob a perspectiva da CNN, GlobonewsLixo, Foice de S. Paulo, entre outras.

Para essa turma, o governo de Donald Trump tem uma mensagem: São todos Fake News!

Por Jakson Miranda

Pabllo Vittar tem a voz de uma ratazana morrendo sim!

Publiquei um artigo chamado O que mais a militância gayzista quer e nele sentenciei que a voz de Pabllo Vittar se parece com a de uma ratazana morrendo.

E eu acho que parece mesmo. E por que não poderia achar?

Usei o argumento justamente como constatação de que a turma da lacração hoje está tão “empoderada”, para usar um termo esquerdóide, que mesmo alguém sem qualquer talento vocal como o senhor Pabllo Vittar é capaz de fazer sucesso por aqui como cantor.

Vivemos debaixo de um novo jugo totalitário que sequer posso achar que o sujeito canta mal! Agora, só porque ele é homossexual sou obrigado a achar super legal, senão sou homofóbico?

Enlouquecemos todos?

Freddie Mercury era homossexual e possuía uma das mais belas vozes, senão a mais bela, da história do rock, meu gênero musical preferido. Adoro Queen! Freddie Mercury é um mito vocal.

Agora, me desculpem, ou melhor, tomem vergonha na cara! Não vou achar que Pabllo Vittar canta bem só porque é lacrativo.

Canta sim como uma ratazana morrendo.

Não adianta chiar que não vou pedir desculpa.

E se pedir, pedirei às ratazanas.

Por Renan Alves da Cruz 

 

 

 

 

Salário dos políticos, quanto deveria ser?

Muito se fala sobre o elevado salário dos políticos brasileiros:  deputados federais e senadores, deputados estaduais e vereadores. Além dos ocupantes do Executivo. O valor embolsado por nossas excelências fica ainda mais robusto quando se acrescenta à conta os inúmeros benefícios tais como auxilio moradia, apartamento funcional, passagens aéreas e diversas outras verbas cuja fonte, como não poderia deixar de ser, é o suado salário mínimo que a grande maioria dos brasileiros recebem, sem nenhuma outra verba extra.

De fato, o salário dos nossos congressistas figura entre os maiores do mundo, maior, inclusive, que o salário dos políticos de países de primeiríssimo mundo como Japão, Alemanha e Noruega.

Já escrevemos um interessante artigo sobre reforma política. Clique AQUI, leia e entenda nosso ponto de vista.

Por conta das enormes disparidades econômicas e sociais do Brasil, muitos defendem o fim dos supersalários para deputados e senadores. Particularmente, faço parte dessa turma. Mas, qual deveria ser o salário dos políticos? Qual métrica deveria ser utilizada? Em recente vídeo, o youtuber Nando Moura afirmou que como salário, nossos políticos deveriam receber um pirulito.

Decerto seria uma medida extremada que mais causaria danos do que benefícios. No entanto, trata-se de um tema de enorme interesse da sociedade, todavia,  não é abordado, até o momento, por nenhum dos pré-candidatos ao cargo de presidente da República. Alô Jair Bolsonaro!

Mas então, qual a sugestão? Acredito que todos nós estamos de acordo que os benefícios concedidos a essas autoridades representam um verdadeiro tapa na cara do trabalhador brasileiro. Assim, não há dúvidas de que eliminar auxílios e verbas seria uma medida de bom senso. E quanto aos representantes de outros estados, o que fazer quanto à moradia e deslocamento para seus estados de origem?

Leia também:

O PT está com medo de você! Durma com este barulho!

Por que sou conservador?

Bem, estamos em pleno século XXI. Qualquer pessoa de qualquer lugar do Brasil e do mundo pode manter-se bem informada sobre o que está acontecendo no estado do Pará, por exemplo. Então, que se limite o benefício das passagens aéreas a tão somente uma passagem por mês. Quanto à moradia, que nossas autoridades ocupem moradias populares, construídas unicamente para este fim, e não os luxosos apartamentos funcionais. Que o parlamentar ocupe casas e apartamentos luxuosos, por sua própria conta.

Por fim, quanto ao salário dos políticos que tão bem nos representam, entendo que por ser uma função que requer dedicação integral por parte do eleito, seria contraproducente estabelecer uma remuneração simbólica de um salário mínimo, por exemplo. Por quê? Porque tal medida afastaria da vida pública aqueles indivíduos que têm boa formação acadêmica. Assim, tendo em vista esse ponto, acredito ser de bom tom adotar o seguinte critério para estabelecer a remuneração parlamentar:

Cada deputado ou senador receberá a média salarial de sua profissão ou formação acadêmica, com a ressalva de tais vencimentos não ultrapassarem o teto de R$ 15.000. Nada mais justo, não? Se a média salarial de um médico é de R$ 14.000, como parlamentar ele receberá esse mesmo valor. Bom senso e coerência como principio basilar!

Logicamente que o que vai acima requer estudos mais aprofundados. Trata-se de um tema que obrigatoriamente deve sim, ser debatido e por estarmos em ano eleitoral, nada mais oportuno do que trazer essa questão à mesa de discussão. O que não é justo e compreensível é o trabalhador brasileiro ter um salário mínimo inferior a mil reais e seus representantes terem altos salários e todos os tipos de regalias e mordomias.

Supersalários e mordomias são um dos principais fatores que levam nossa política a ser tomada por oportunistas de plantão e aventureiros. E isso tem que acabar!

E você, concorda com nossa opinião? Responda nossa enquete e mande-nos seu comentário!

 

Por Jakson Miranda

O calcanhar de Aquiles de Jair Messias Bolsonaro

Em sua carreira política, Jair Messias Bolsonaro já foi filiado a oito partidos, indo em 2018 para o nono. Nesse aspecto, enquanto a grande mídia critica o deputado, pondero que as referidas e recorrentes mudanças se dão primordialmente por falta de um escopo ideológico dos partidos políticos brasileiros.

Todavia, admitimos que nesse particular, reside, a meu ver, o ponto frágil do deputado Jair Messias Bolsonaro. Oras, se os partidos políticos brasileiros não primam por sólidas diretrizes que representem os valores da sociedade, por que não criar uma legenda que atenda a essa demanda? Sim, seria mais uma, porém, seria um partido de valores sólidos e autentico.

Em junho passado escrevemos um artigo intitulado Emmanuel Macron envia recado a Bolsonaro. Abaixo, reproduzimos alguns pontos do texto:

Apesar de se apresentar como um outsider e contra o establishment, Donald Trump contou com o apoio logístico, nada mais, nada menos, que do Partido Republicano, além de ser ele próprio um magnata. Observem que a situação de Bolsonaro é diametralmente oposta! Não tem um grande partido que lhe dê suporte e não é um magnata. A não ser por seus filhos, podemos contar nos dedos outros políticos que devam apoiá-lo e trabalhar em suas bases eleitorais em prol de Bolsonaro.

Leia também:

Escreva um artigo sobre o julgamento de Lula e concorra a um livro

O que mais a militância gayzista quer?

Em síntese, é impossível que Jair Bolsonaro saia do PSC e filie-se a um partido maior. Qual? Vou além, é impossível que Bolsonaro saia do PSC e vá para um partido que não esteja envolvido em algum escândalo de corrupção recente. Ou seja, Jair Bolsonaro é um exercito de um homem só.

É nesse contexto que ecoa hipoteticamente, Emmanuel Macron enviando um recado para Bolsonaro.

Diria Macron  a Bolsonaro: “Eu vi o interior do nosso sistema político, que interrompe a maioria das ideias porque elas podem ameaçar a máquina, os partidos tradicionais e os interesses velados”.

O diagnóstico de Macron para o sistema político francês não é diferente do diagnóstico que Donald Trump fez do sistema político americano e não é diferente do que qualquer brasileiro consegue fazer do nosso sistema político. E enquanto Donald Trump contou com o apoio (a contragosto em alguns momentos) do portentoso Partido Republicano, Emmanuel Macron optou por criar seu próprio partido. Não se enganem, goste-se de suas ideias ou não, o atual presidente da França tem plenas condições de mesmo após o fim do seu mandato, continuar a ser um importante líder no tabuleiro político da França e Europa.

Enquanto isso, Bolsonaro vive a migrar de um partido tradicional a outro.

Nesse ponto, o recado não vem de Macron e deixa de ser um recado hipotético. Somos nós que ansiamos por um partido político conservador no Brasil que mandamos um recado para Bolsonaro: Por que ao invés de perambular de um partido a outro o deputado não encabeça a criação de um partido que efetivamente represente a direita?

Encerramos

A falta de um partido politico efetivamente conservador é o principal calcanhar de Aquiles do deputado Jair Messias Bolsonaro. Obrigando-o a recorrer com frequência ao expediente de ter que mudar de legenda, o que não é bom para seu projeto político e menos ainda para o Brasil.

Por Jakson Miranda

Escreva um artigo sobre o julgamento de Lula e concorra a um livro

O julgamento de Lula já é um dos temas mais falados na internet. E a cada dia brotam novos textos. Alguns defendendo o petista, outros, o criticando. Até o julgamento, que ocorrerá no dia 24, muitos outros artigos serão escritos e publicados.

Apesar disso, sempre ficamos com aquela sensação de que há algo a mais a dizer. E se eu escrever um artigo sobre o Lula? Será que aquilo que penso não é o mesmo que muitos pensam, ou melhor, não solucionará a dúvida de muita gente?

Leia também:

Diferenças entre a direita conservadora e a liberal: O debate entre Nando Moura e Arthur Moledo do Val

Ratinho detona Globo: ‘tem muito viado’

É pensando nessa pluralidade de ideias e com o objetivo de alargar ainda mais o debate, tanto àqueles que defendem o petista quanto àqueles que se opõem às suas ideias, nós, do voltemos à direita resolvemos criar um CONCURSO DE ARTIGOS SOBRE O JULGAMENTO DE LULA.

Para o pontapé inicial, criamos o seguinte tema: O JULGAMENTO DE LULA É…  A partir dessa premissa, muita coisa poderá ser dita, a favor ou contra o ex-presidente. A favor ou contra seu julgamento; condenação ou absolvição.

Como funcionará o concurso?

À medida que formos recebendo os artigos faremos a publicação no Voltemos à Direita, dando ampla divulgação em nossas redes sociais.

Os artigos deverão ser enviados para nosso e-mail voltemosadireita@gmail.com até o dia 20/01. (Não aceitaremos artigos após essa data).

Entre os dias 21 e 25 de janeiro, abriremos espaço para que o público vote e eleja o melhor artigo da série.

Ainda no dia 25, anunciaremos o texto/autor mais votado.

Na possibilidade de empate, caberá ao Voltemos à Direita desempatar e eleger o artigo vencedor.

Por fim, o autor do artigo vencedor receberá como premiação, o livro: Mentiram Para mim sobre o desarmamento.

E então? O julgamento de Lula já está dando o que falar. O que você tem a dizer? Pense, escreva, argumente, defenda seu ponto de vista e nos apresente um desfecho.

Nós, do Voltemos à Direita teremos a honra de publicar suas ideias!

Estamos aguardando. Boa sorte…

Por Jakson Miranda

O que mais a militância gayzista quer?

Ministrei um curso sobre Guerra Cultural há uns 5 anos atrás e lembro de ter tratado de algumas questões ligadas à militância gayzista.

Naquela época, cuja ofensiva gayzista já era irrefreável, algumas situações que vivemos hoje eram projetadas como metas futuras da estratégia do movimento.

Algumas coisas que já estão acontecendo, eu, em minha inocência otimista – mesmo num estudo que era perpassado por extremo pessimismo – considerei que deveriam se concluir na década de 2020. Ademais, em 2017 boa parte delas já estão fazendo parte do nosso cotidiano.

O gayzismo é um movimento incansável. Nunca estará satisfeito. O que começou como uma exigência de igualdade, QUE JÁ FOI CONQUISTADA,  se transformou na busca por privilégios e na perseguição de grupos conservadores.

A qualquer momento do dia há algum programa de TV, blog ou jornalista influente, hashtag ou tweet em destaque nas redes, com alguém espremendo as glândulas lacrimais para se vitimizar num país em que os homossexuais possuem liberdade para se casar, se beijar, andar de mãos dadas juntos, se acariciar em público, enfiar crucifixos no ânus na Paulista, trabalhar, produzir arte e se tornar um cantor de sucesso mesmo tendo a voz de uma ratazana morrendo (Sim, estou falando do Pablo Vittar. E sim. Chamei de cantor, com “o”).

Nem todos os homossexuais fazem todas estas coisas, claro, mas há liberdade para se fazer.

Mas o sanguessuguismo gayzista, truculento e insaciável, permanece à procura de novas subcausas que lhes possibilitem realizar a alquimia fétida de transformar vitimismo em penetração social (sem trocadilhos).

Publiquei aqui no Voltemos à Direita um texto rebatendo um famoso ativista LGBTXYZ que, sem qualquer pudor, defendia a censura contra cristãos.

Também publiquei o artigo Totalitarismo LGBT que ilustra um pouco disso. Nele escrevi:

O ativismo LGBT gosta de se vitimizar, acusando os cristãos de persecução, considerando-se um movimento reativo, entretanto, é só ler as notícias que fica fácil perceber quem é que detém a influência na mídia e nas universidades e que está disposto a fazer qualquer coisa para calar as vozes discordantes.

Leia também: 

Cristãos: os únicos que não podem se sentir ofendidos

Primeiro o Gayzismo, depois o feminismo

O conservadorismo cristão foi expurgado da grande mídia. Mas é claro que é muito mais conveniente aos progressistas continuar repetindo a ladainha de que lutam contra um establishment cristão, quando na verdade, eles se tornaram o establishment há 30 anos atrás!

Quando eles vão se dar por satisfeitos?

Não sabemos. Talvez os mais raivosos, que fizeram do ativismo sua carreira profissional, só se deem por satisfeitos quando enforcarem o último hétero com as tripas do último conservador, ansiosos pela espera do fim da humanidade, já que aparelho excretor não reproduz…

Talvez quando a Bíblia tiver sido editada nos textos considerados “homofóbicos” e os ministros religiosos forem obrigados por lei a casá-los.

Talvez quando houver cotas para homossexuais nas universidades e nos concursos públicos.

Talvez quando as escolas públicas estiverem ensinando crianças de 5 anos que eles devem beijar na boca amiguinhos e amiguinhas para ver de qual gostam mais.

Ou talvez quando você tomar uma lapada do médico simplesmente por sugerir querer saber se o bebê será menino ou menina baseado apenas no sexo biológico.

Na minha família vocês não mexerão.

Nunca.

Por Renan Alves da Cruz 

 

As repetidas demonstrações da natureza antidemocrática do PT: parte 6

Este artigo conclui a série de Alexandre B. Cunha, publicada no portal O Direitista, sobre a natureza torpe do PT e os males que sua administração causou ao Brasil.

Novamente agradeço ao Alexandre pela cessão dos textos para publicação aqui no Voltemos à Direita.

Aos nossos leitores, recomendamos a página O DireitistaAcesse o portal e assine a newsletter para receber os artigos do Alexandre B. Cunha por email. Vale a pena!

 

Este é o último de uma série de seis textos nos quais são discutidas algumas das recentes demonstrações da natureza antidemocrática do PT. Discute-se abaixo como o comportamento dos seus militantes, após Lula ter sido condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, agride a justiça e a democracia.

Conforme é de conhecimento público, o PT deseja que Lula concorra ao cargo de presidente da República nas eleições de 2018. Contudo, se a sentença condenatória proferida pelo juiz Sérgio Moro for confirmada em segunda instância ao longo do próximo ano, então é possível que Lula seja impedido de concorrer devido à chamada Lei da Ficha Limpa.

Evidentemente, a mera sugestão de que uma pessoa condenada por corrupção ocupará a presidência da República é uma ofensa aos brasileiros honestos. Porém, a menos de algum impedimento legal como aquele mencionado no parágrafo anterior, é um direito do partido da estrela vermelha apresentar a candidatura de Lula ao eleitorado brasileiro. Ou seja, se os petistas desejam ter um condenado encabeçando a sua chapa em 2018 e isso não ferir nenhuma norma legal, então eles certamente podem seguir esse caminho.

Se por um lado os militantes socialistas têm todo o direito de sonhar com a candidatura do seu condenado preferido, por outro não é correto que eles, a pretexto de defender o Sr. Lula, ataquem a justiça e a democracia. Mas como o leitor bem sabe, os petistas jamais perdem uma oportunidade de se comportar de maneira antidemocrática…

Algumas declarações da senadora Gleisi Hoffman, atual presidente do PT, ilustram perfeitamente a postura descrita no parágrafo anterior. Aquela Sra. recentemente afirmou que “Uma eleição presidencial sem Lula não é eleição. É fraude à democracia brasileira” e que “nós não aceitaremos” que Lula seja impedido de se candidatar. Essas duas falas são reproduzidas nos vídeos que se seguem.

As declarações da Sra. Gleisi Hoffmann são simplesmente absurdas. Considere inicialmente a questão da ‘fraude’. O Sr. Lula foi condenado em um processo legítimo em que ele teve amplo direito de defesa. Se porventura Lula não puder ser candidato devido aos seus problemas com a justiça, então haverá um único culpado por isso: o próprio Lula. Qualquer afirmativa em contrário não passa de uma tentativa desesperada dos petistas de intimidar a justiça brasileira.

A noção de que os petistas não aceitarão que Lula seja impedido de concorrer é simplesmente patética. O que eles farão? Provavelmente, não mais do que algumas manifestações seguidas do tradicional vandalismo da extrema esquerda. De toda forma, não se pode deixar de mencionar que tal declaração é uma ameaça velada. Felizmente, os brasileiros já estão cientes de que o PT não está apto a impor a sua vontade pela força das armas.

Os petistas estão desde já afirmando que a eleição de 2018 será fraudada caso Lula não possa concorrer. Contudo, se ele efetivamente não estiver apto a se candidatar, isso será consequência de decisões judiciais absolutamente legítimas. Desta forma, o que está ocorrendo aqui é muito simples: os petistas estão atropelando a justiça e a democracia simplesmente por que isso lhes é politicamente conveniente. Curiosamente, eles procedem exatamente da mesma forma ao discutir o impeachment de Dilma Rousseff. E, conforme discutido em um texto anterior, esse comportamento agride a democracia.

O PT já governou o Brasil por treze anos. Os seus militantes e simpatizantes estão infiltrados nas universidades, nas escolas, nas redações dos principais veículos de comunicação do Brasil e entranhados em diversas instituições do estado brasileiro. O que está acontecendo é um ataque, promovido por uma poderosa organização extremista, à justiça e à democracia. Isso não deve ser tratado como uma simples brincadeira ou algo de baixa relevância. Afinal de contas, o PT ainda é o principal inimigo do Brasil e está em busca de uma oportunidade para concluir o seu projeto de transformar este país em uma tirania socialista.

Por Alexandre B. Cunha

 

 

Bolsonaro é o preferido entre os jogadores de futebol

Juca Kfouri, José Trajano, André Rizek, Antero Greco, Flávio Gomes e tantos outros jornalistas esportivos que lustram as partes pudendas do petismo já começam 2018 com bons motivos para dar chilique e se psicanalisar.

A classe futebolística, segundo evidencia pesquisa do UOL, está com Jair Bolsonaro.

A petistada já surge de seus bueiros para questionar a inteligência dos futebolistas, tradicionalmente conhecidos por não primarem por muita capacidade intelectual.

Pois é, petistas. Chegamos ao momento em que os jogadores de futebol se tornaram mais inteligentes e capazes de exprimir os anseios gerais da nação do que os intelectuaizinhos uspianos, com sua tara freudiana por ditadores e sujismundos assassinos.

A notícia foi publicada no portal O Antagonista: 

Os jogadores de futebol torcem para Jair Bolsonaro.

O UOL realizou uma enquete com 111 jogadores dos maiores clubes brasileiros e descobriu que 20,72% deles pretendem votar no deputado do Rio de Janeiro.

Lula, o xodó dos comentaristas esportivos pernas-de-pau, tomou uma goleada, conquistando o apoio de apenas 5,4% dos atletas.

A corrida eleitoral e eleitoreira começou. Todo valor agregado é importante. Os canalhas inventam mentiras diárias contra Bolsonaro, ou mesmo ampliam o potencial negativo de informações irrelevantes, porque sabem que o anseio conservador constante na população é explícito, e que Bolsonaro é o único que apresenta soluções condizentes às expectativas da população brasileira. 

Odeio aqueles trocadilhos infantiloides que são feitos sempre que surgem notícias extra-campo que envolvem futebol, do tipo: “Fulano marca gol de placa também fora do campo”, ou “Bola fora de Beltrano”. Por conta disso, me absterei de dizer que a imprensa esportiva que se pautar por defender Lula e atacar Bolsonaro estará fazendo um gol contra.

Podem colocar Lula no ataque, mas não vai adiantar. Se marcar, estará impedido. O juiz vai anular.

E não adianta chorar. A regra é clara!

Por Renan Alves da Cruz 

 

Temer e a polêmica do indulto de natal

O indulto de natal 2017 tem gerado polêmica e controvérsia. Todavia, muitos podem estar se perguntando: Mas o que é indulto de natal? Será que o presidente Michel Temer pretendia soltar todos os condenados da Lava Jato?

Indulto de natal ou indulto natalino é um dispositivo constitucional que concede ao apenado a possibilidade de ter parte de sua sentença abrandada mediante o cumprimento de alguns requisitos.

Ou seja, o indulto de natal não significa o perdão da pena nem a exclusão da culpa. E embora o decreto do presidente Michel Temer gere desconfianças, ao menos nesse ano de 2017, nenhum condenado na Lava Jato se beneficiaria da medida.

Leia também:

Afinal, quem foi Carlos Alberto Brilhante Ustra?

Qual a ideologia da Direita Conservadora?

Por outro lado, mesmo se algum condenado na Lava Jato fosse alcançado por tal decreto, não vejo motivos para polêmicas, isso porque, consta no decreto o seguinte:

O indulto coletivo será concedido a pessoas que tenham cumprido um quinto da pena, se não reincidentes, e um terço da pena, se reincidentes, em crimes praticados sem grave ameaça ou violência; um terço da pena, se não reincidentes, e metade da pena, se reincidentes, nos crimes praticados com grave ameaça ou violência, quando a pena privativa de liberdade não for superior a quatro anos; metade da pena, se não reincidentes, e dois terços da pena, se reincidentes, nos crimes praticados com grave ameaça ou violência quando a pena for entre quatro e oito anos, entre outros casos”.

O trecho acima em negrito foi justamente um dos itens suspensos por meio de liminar concedido pela ministra do STF Cármen Lucia. Liminar concedida creio eu, apenas porque trata-se de uma decisão contrária ao governo de Michel Temer. Não sei se Carminha faria o mesmo caso o presidente fosse Lula ou Dilma.

Estou defendendo Michel Temer? Nesse imbróglio, sim. E todos os que nos acompanham sabem o quanto consideramos o atual presidente sem nenhuma condição ética e moral para ocupar o cargo. Não obstante, no caso do indulto, as críticas que se avolumam são descabidas.

Por fim, aceitando a hipótese de que o indulto de natal beneficia os autores de crimes de colarinho branco, justamente os corruptos e corruptores alcançados pela Lava Jato, deve-se ponderar que não é o indulto em si que favorece a soltura dessa gente, mas sim, a errônea ideia assentada na jurisprudência brasileira, de que lavagem de dinheiro, desvio de verbas, caixa dois e propina não são crimes de altíssima gravidade contra o a sociedade.

Enquanto não se criarem leis mais rígidas contra a corrupção, não adianta exigir rigidez nos indultos. José Dirceu, Pizzolato, Jacob Barata, Garotinho e tantos outros, continuarão sendo soltos. Continuarão debochando e rindo da sociedade. Para tanto, continuarão contando com o silêncio, se não a anuência mesmo das excelências que presidem o STF e a PGR.

Por Jakson Miranda

Veja o que essa professora fez! O próximo pode ser o seu filho.

Você o carrega nove meses em sua barriga e o traz à vida com dores.

Perde madrugadas de sono para acudi-lo sempre que ele chora, troca suas fraldas malcheirosas tantas vezes quantas forem preciso, se derrete a cada sorriso que ele dá, trabalha incessantemente para dar a ele o melhor, passa noites em claro quando ele adoece, dispõe-se a trocar sua felicidade pela dele.

Ele começa a ir para a escola. No primeiro dia ele chora do lado de dentro e você chora do lado de fora. Ele está crescendo. Mas para você sempre será o seu bebê.

Aprende a ler e a escrever e você fica com os olhos marejados quando traz o seu nome escrito num papel pela primeira vez, ainda com letras espelhadas, reconhecendo o elo eterno que Deus permitiu que vocês tivessem.

E continua crescendo.

Chega a fase das paqueras, a aproximação da adolescência e a percepção de que você precisa explicar algumas coisas a ele, de forma consonante aos seus princípios morais e familiares.

Mas o que você não sabia é que o seu jeito de criá-lo não é bom bastante. A professora que foi abarrotada de Paulo Freire e progressismo na faculdade não acha que você está fazendo o seu trabalho de educá-lo direito.

Então ela vai ensinar seu filho sobre sexo.

E como ela quer afrontar o padrão reaça vigente, demonstrará de forma bastante… digamos… lúdica, como colocar um preservativo sem quebrar o clima, usando seu espaço de aula, o espaço em que você lhe confiou a educação do seu filho, para simular que está fazendo sexo oral nele:

Pronto!

Pode ficar tranquila. Uma responsabilidade a menos para você! A professora já demonstrou de maneira beeeeeeeeem descontraída como certas coisas devem acontecer.

E se você quiser colaborar com a educação dele pode dar uma forcinha na matemática… A maioria dos estudantes brasileiros estão abaixo da média segundo critérios internacionais.

Por Renan Alves da Cruz