ORDEM E PROGRESSO NÃO FAZ PARTE DA NOSSA HISTÓRIA

(Artigo publicado em 15 de novembro de 2019)

Há exatamente um ano, escrevi neste espaço um artigo abordando e questionando nossa República. Na ocasião, fiz a seguinte observação: O slogan ‘Ordem e Progresso’ cravado na bandeira do Brasil deixa implícito que na visão dos defensores do republicanismo a Monarquia representava o exato oposto disto”.  

Passados 130 anos de República, aqui e ali, as pessoas clamam por ordem e progresso, principalmente depois de anos de destruição do país protagonizados por governos de esquerda. De fato, todo e qualquer país precisa de ordem. É através da ordenação das coisas, dos direitos e deveres que o cidadão comum consegue ter uma vida tranquila e um futuro melhor (progresso).

Por outro lado, para que a ordem e o progresso façam parte do nosso dia a dia, não é necessário que tais palavras estejam em nossa bandeira. Alguma outra nação possui tal menção em um símbolo tão caro quanto a bandeira? Não! O que faz da bandeira do Brasil o único exemplar. Com o agravante de tais palavras não remeterem necessariamente à ordenação legal, mas sim, à ideologia positivista. Em outras palavras, um dos mais importantes símbolos nacionais, carrega em si, princípios ideológicos.

Não é necessário ser um pós-doutor em Ciências Humanas para saber que o Brasil não foi constituído sob a égide do Positivismo, assim, ao destacar de forma tão ostensiva os termos “Ordem e Progresso”, tais palavras em nada remetem ao sentimento patriótico. Note-se ainda que são termos que não constam em nosso Hino Nacional.

Nesse sentido, quando nos debruçamos sobre a história do Brasil, constatamos uma grotesca ruptura entre os elementos que compõem nossa formação enquanto nação e o novo paradigma apresentado pelo advento da República. Expressarei em termos mais direitos, Ordem e Progresso não faz parte de nossa história, logo, não contribui para que se desenvolva o senso de patriotismo.

Em suma, o Brasil não foi formado com a República. Os valores que professamos não foram estabelecidos pelos Positivistas. Nossa formação e nossos valores remetem a Portugal cristão, goste-se ou não. Possuímos uma história riquíssima e as palavras “Ordem e Progresso” não sintetiza e muito menos se harmoniza com essa história.

É óbvio que ninguém vai sugerir mudar o slogan da nossa bandeira. É possível que se algum parlamentar mencione tal hipótese, o STF logo afirmará que se trata de algo inconstitucional. Assim, o presente artigo ficará apenas no campo da mera especulação e já ficarei satisfeito se uma meia dúzia de leitores concordarem com o que vai aqui. Para finalizar, lanço uma questão e suas alternativas:

Qual elemento melhor se enquadra em nossa bandeira com poder capaz de gerar o senso de nacionalidade e patriotismo?  “Ordem e Progresso” ou, “Pátria amada, Brasil”?

Por Jakson Miranda

Sigam-nos pelas redes sociais

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *