Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Constantino e a implosão da “high” direita

Começou com Kim Kataguiri. O líder do MBL fez críticas infundadas a Bolsonaro. Não acredito que Kim quis soltar uma dinamite na direita, mas, talvez por ser um inexperiente jovem de 19 anos, foi inconsequente e inverídico.

Recebeu muitas críticas, afinal, não era o momento para desferir fogo amigo. Olavo de Carvalho, que já não poupava críticas à movimentação política do MBL e dos outros grupos “pró-impeachment”, também se manifestou, afirmando que os jovens estavam sendo mal orientados, por aqueles que constituíram como norteadores de suas ações.

Então Reinaldo Azevedo entrou em cena, e veio como aquele amigo que chega para separar um morno empurra-empurra com uma voadora. Abriu a caixa de ferramentas contra Bolsonaro e seus apoiadores, acusando todos de golpistas e entusiastas da ditadura militar.

Reinaldo é hábil com as palavras e sabe usar linhas e entrelinhas com maestria. Seu artigo de mão pesada tinha endereço e, entre rosnados – para usar a metáfora canina que a antiga ombudsman da Folha lhe atribuiu e ele assumiu – e perdigotos, alguns recados foram diretos ao ponto de destino.

Neste ponto, não há como relativizar. Reinaldo Azevedo, a quem muito admiro, foi inverídico, improcedente e inconclusivo em tudo o que apontou contra Bolsonaro. Com uma argumentação risível, acusava o deputado que ascende na direita – assustando o tucanato – de intolerância, com uma estridência ilógica e, ela sim, intolerante.

Ao mesmo tempo que atacava Bolsonaro e todos aqueles que apreciam as realizações políticas do deputado, num contraponto sincopado, tecia loas a Kim e aos movimentos… Os “meninos”, como os chama Reinaldo, seriam as verdadeiras vítimas da turba bolsonariana, e o único hausto de frescor recente na política brasileira.

Olavo de Carvalho entendeu os recados e escreveu a Reinaldo, questionando as acusações a Bolsonaro.

Reinaldo respondeu com um artigo enfezado, em que alegava ter defendido Olavo muitas vezes, chamava-o de vaidoso e insinuava que o filósofo precisava aprender a ser um mestre.

Quem acompanha Olavo de Carvalho sabe que algo assim, para usar o slogan daquela cerveja, não desceria redondo…

Olavo soltou os cachorros em cima de Reinaldo, e soltou com gosto. No facebook uma sequência pugilística de manifestações, questionamentos, contestações e etc.

De um lado e de outro, apoiadores de Olavo e de Reinaldo, os defendiam e, como é de praxe em situações assim, punham lenha na fogueira.

Rodrigo Constantino escreveu um artigo muito bom sobre a situação. Convidava os envolvidos a refletir, deixar passar, e manter a união em prol do enfrentamento ao inimigo comum.

O problema foi que Constantino argumentou que alguns seguidores de Olavo de Carvalho agem como se pertencessem a uma “seita secreta” em defesa de seu guru.

Olavo não digeriu. Chamou Constantino de “bosta” e o mandou fazer aquilo que sempre manda alguém fazer quando acha que o interlocutor merece. Rodrigo disse que ele tinha alguma obsessão com o orifício retal e, de maneira surreal, até o modo de cada um se referir ao ânus alheio virou motivo de querela.

Acho que Rodrigo, se queria mesmo acalmar os ânimos, não deveria ter usado termos como “seita” e “guru”, ainda mais sabendo que Olavo estava com a metralhadora giratória ligada, mas entendi o que ele quis dizer. Ele não generalizou, quis dizer que a postura de veneração acrítica era utilizada por alguns, não todos.

Talvez num dia em que as coisas estivessem mais pacificadas, não tomassem tamanha proporção.

O engraçado é que, enquanto o circo pegava fogo, Kim Kataguiri, o estopim de tudo, permaneceu em recatado silêncio.

Depois de um erro crasso, uma decisão sábia.

Bolsonaro, o grande difamado na história toda, também manteve uma postura exemplar. Enviou mensagens objetivas e respeitosas ao blog do Reinaldo Azevedo, que foram reproduzidas pelo próprio. Mostrou a grandeza de um estadista ao não deixar inflamar-se ante tanta pirotecnia.

Kim é um menino de 19 anos. Está fazendo muito mais nesta idade do que a maioria de nós fez. Mas é inexperiente e precisa cercar-se de conselheiros apartidários. Não pode deixar o sucesso subir a cabeça, e se submeter a agenda de seu grupo ao PSDB, antes que perceba, já terá sido defenestrado ou cooptado.

Uma carreira política, Kim, pode até se tornar uma consequência, mas não ser a base de seu projeto.

Olavo de Carvalho é um pilar conservador sem paralelo no Brasil contemporâneo. Acho até que poderia relevar algumas coisas, mas não travei a luta que ele travou, sozinho, durante décadas.

Isto lhe dá um alvará para fazer qualquer coisa sem ser questionado? Não. Mas certamente o gabaritou a medir a intensidade de suas reações com mais propriedade do que eu.

Rodrigo Constantino é um combatente devotado, que merece ser respeitado. Se falhou, o fez na melhor das intenções.

Reinaldo Azevedo recebe a nota mais baixa do episódio. Baseou-se em mentiras para superdimensionar uma situação, num momento inoportuno. Encabeçou uma cisão que não beneficia ninguém, queimou-se  e suscitou dúvidas a respeito de sua atuação.

Afinal, a ascensão de Bolsonaro incomoda o tucanato, pois tende a roubar votos do partido, já que a direita que votava no PSDB por falta de opção, migrará para um candidato autenticamente direitista.

Reinaldo, frequentemente mais alinhado à linha tucana do que à direita propriamente dita, estaria cumprindo uma agenda?

Não creio nisso. De todos os citados aqui, Reinaldo é o que leio há mais tempo, desde que nosso colunista Jakson Miranda me apresentou seu trabalho em  meio a nossa cansativa e esquerdopática faculdade de história.

Não creio que Reinaldo seja um traidor, um infiltrado ou um vendido.

Mas falhou. Muito. E precisa rever conceitos e ações.

E Bolsonaro?

Bolsonaro, se Deus quiser, será nosso presidente em 2018.

E vamos lá, meu povo. O inimigo é outro.

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

Leia Também:

 

Jair Bolsonaro desmascara o programa CQC

“Kim Kataguiri é um mosquito”. Olavo tem Razão?

Intervenção militar e o blá,blá,blá de Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo: O “Ombudsman” da Lava-Jato

As estranhas ideias de Reinaldo Azevedo

 

14 comentários em “Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Constantino e a implosão da “high” direita”

  1. Concordo plenamente com o último parágrafo. Nosso inimigo é outro, não vamos desperdiçar munição. Foco! O Brasil é muito maior que todos eles. União e foco!!!

  2. Muito bom texto! Parabéns, estamos precisando de pessoas que pensem, e que não sejam levadas apenas por aquilo que se fala, mas pelas evidências e legado que um ótimo político, como Bolsonaro, tem deixado para compará-lo com outros candidatos a presidente.

  3. Excelente texto amigo! Nós brasileiros teremos que ter a serenidade necessária para compreender as estratégias da Esquerda. O próprio Reinaldo já está falando asneiras dizendo que o Olavo de Carvalho é um “Petralha disfarçado”. Sinceramente, precisamos difamar essas estratégias da Esquerda e divulgar a verdade ao povo brasileiro. O Reinaldo a muito tempo é amigo íntimo do FHC e seus comparsas do PSDB. O MBL infelizmente também já foi afetado. São patrocinados pelo PSDB e podemos comprovar pelas recentes escutas telefônicas captadas na Lava-Jato. O Kim e seus “amiguinhos” não passam de jovens títeres dos tucanos.

    Bolsonaro 2018! Nossa única esperança!

  4. O que incomoda o PSDB não são as naturais migrações de votos para Bolsonaro. Mas como agem alguns militantes bolsonaristas ficam a demonizar o PSDB para este fim.

  5. Um texto sóbrio de quem examina as partes sem ser tendencioso! Por mais que tenha declarado o seu voto no final, não comprometeu a imparcialidade do mesmo. Parabéns!

  6. Um texto sóbrio de quem examina as partes sem ser tendencioso! Por mais que tenha declarado o seu voto no final, não comprometeu a imparcialidade do texto. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *