Odebrecht pagava partidos para cederem tempo de TV à campanha de Dilma

Será que restará pedra sobre pedra depois da delação da Odebrecht?

Todas as informações vazadas a este respeito atestam que o volume a ser delatado causará uma autêntica devassa no establishment político brasileiro. Políticos de todos os matizes e partidos terão seus nomes trazidos à tona.

Mesmo após as recorrentes revelações sobre a corrupção sistemática vigente no Brasil, surpreende a variação e a, por que não, macabra criatividade dos corruptos e corruptores.

Leia esta nota da coluna Radar:

Entre muitas revelações, a delação da Odebrecht trará em detalhes a compra do apoio de alguns partidos à campanha de Dilma em 2014. A empresa dava dinheiro para que eles cedessem seu tempo de televisão à campanha.

Além do PDT, legendas como PRB, PR e PROS receberam da empreiteira.

Retomo:

Alguém ainda insistirá em dizer que Dilma Rousseff não se beneficiou diretamente da corrupção?

O que percebemos é uma engrenagem bem urdida, com estrutura profissional, trabalhando em frentes diversas, no propósito de beneficiar sua candidatura.

A corrupção é multipartidária. As delações que se avizinham demonstrarão.

Entrementes, não devemos esquecer do teor dos discursos da Dona Dilma, amplificados por boa parte da imprensa, onde sua lisura era tida como inquestionável.

Narrativa que era o ingrediente principal da tese do golpe.

Foram eles que deram o golpe. A quadrilha incansável.

E lugar de quadrilha é atrás das grades.

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *