Ocupação de escolas no Paraná e seu legado

A Ocupação de escolas, que sempre devem ser ocupadas com o único proposito de ensinar e aprender, nos leva ao seguinte questionamento: com qual outro propósito se ocupou as unidades escolares à revelia de sua única finalidade? A morte de um jovem em uma escola ocupada Paraná só evidencia que essas ocupações não passam de uma criminosa irresponsabilidade

Leiam reportagem do Estadão:

Um estudante de 16 anos foi morto a facadas no interior de uma escola invadida, na tarde desta segunda-feira, 24, na zona norte de Curitiba. Lucas Eduardo de Araújo Mota teria brigado com outro aluno após consumir drogas e foi atingido no abdome e na região da clavícula. Segundo a polícia, os adolescentes brigaram por “motivos pessoais”, não tendo a morte relação com o movimento dos secundaristas. O agressor foi apreendido.

A briga teria começado após ambos terem ingerido uma droga sintética no banheiro da unidade. “Segundo relato do menor autor do crime, eles dividiram uma droga que chamam de ‘balinha’. Foram então até o alojamento, onde tiveram uma discussão”, disse o secretário de Segurança Pública do Estado, Wagner Mesquita. 

O delegado Fabio Amaro, da Delegacia de Homicídios do Paraná, enfatizou que o caso não tem relação com o movimento dos estudantes. “Não tem nada a ver com a ocupação da escola”, afirmou, ao deixar prédio, no fim da tarde. “Eles usaram droga e brigaram”, resumiu.

Alunos da escola relataram a professores que o menor que atacou Lucas não seria do grupo da invasão. “Os meninos estão contando que esse rapaz não era da ocupação e teria pulado o muro da escola”, disse uma professora, diante do colégio, localizado na Rua Bortolo Paulin, no bairro Santa Felicidade. O delegado Fabio Amaro, porém, reafirmou que os dois adolescentes “estavam no piquete da ocupação”.

Voltamos

Qual a motivação da ocupação? Reivindicar um ensino de qualidade? Não!

Está provado que a principal causa da ocupação de escolas, no Paraná ou em qualquer outro Estado e cidade, passa ao largo da educação. Trata-se na verdade, da nova forma de fazer política que a esquerda tem adotado.

Após anos de doutrinação, estão antecipando o uso descarado dos “idiotas úteis” como massa de manobra.

Sobre o ocorrido com o jovem, cedo ou tarde algo do gênero viria à tona. Era questão de tempo!

O que se observa nessas invasões é que elas são promovidas por jovens irresponsáveis, orientados e apoiados por adultos irresponsáveis: pais, professores, líderes políticos, etc.

Será que apenas nessa unidade escolar houve o consumo de drogas?

Sobre isso, é extremamente lamentável a fala do delegado de que o “caso não tem relação com o movimento dos estudantes. “Não tem nada a ver com a ocupação da escola”. Errado! Tem tudo haver com a ocupação da escola.

Quantas mortes serão necessárias para que pais e a sociedade como um todo percebma que há algo extremamente errado com essas ocupações?

Se a esmagadora maioria das crianças desses “movimentos” não consomem drogas, é evidente que estão subjugadas por uma droga ideológica cujo único objetivo é usá-los como massa de manobra. Como idiotas úteis.

É isso que nossa educação promove de mais relevante? É esse o legado educacional?

A esquerda não se envergonha de lambuzar suas mãos com o sangue de inocentes.

Por Jakson Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *