O PT errou ou todo mundo virou nazista?

Nazista, fascista, extremista, Hitler, ditador, racista, homofóbico, misógino, machista, membro da Ku Klux Klan, neofascista, genocida em potencial, xenófobo, etc.

Os adjetivos acima listados foram utilizados vezes sem conta nos últimos meses para se referir a Jair Bolsonaro e seus eleitores. Jovenzinhos sabichões choraram seu desespero nas redes sociais. 2018 seria o último respiro da civilização antes da instalação dos campos de concentração do governo Bolsonaro.

Há muitos aproveitadores no meio, que inflaram a gritaria porque de algum modo estavam se beneficiando do sistema vigente e perderam alguma mamata.

Entretanto, muitos deles acreditam realmente nisso. Foram educados a pensar dessa forma. E não conseguem enxergar além daquilo que lhes ordenaram. A eleição de Jair Bolsonaro, creem, caracteriza o início do período nazista brasileiro e todos os milhões de eleitores que o elegeram sabendo quem ele é são igualmente nazistas.

Estamos lidando com uma geração que diz que printar uma mensagem numa rede social é uma prática fascista.

Resultado de imagem para pratica fascista de dar prints

Gente que nunca ouviu NÃO antes e agora não consegue lidar com o fato de que sua vontade, neste particular, não se realizou. Para uma geração mimada, ultraconectada, apupada por pais metidos a moderninhos e ensinada por professores “libertadores”, ouvir um “não” do tamanho desse, com retumbância nacional, é indigerível.

Se torna, portanto, muito mais fácil chamar todo mundo de nazista do que refletir sobre o país que saiu de 4 eleições consecutivas vencidas pelo PT.

Leia também

8 memes que PROVAM a hipocrisia da esquerda

O esquerdismo se sustenta na esperteza de alguns e na ignorância de muitos

O Partido dos Trabalhadores não perdia uma eleição nacional desde 2002. É tempo suficiente para medir os impactos de sua liderança.

E o que o PT fez?

Usou cada período de 4 anos para conquistar mais 4 anos de poder.

O cerne do lulopetismo foi a determinação de permanecer no poder a qualquer custo e perpetuar o domínio do partido no país. Para consegui-lo o PT fraudou a democracia no mensalão e se prostituiu com as empreiteiras no petrolão. O dinheiro sujo era essencial para manter a máquina funcionando e comprar o apoio parlamentar que garantiria o sucesso da empreitada.

Assim, cada mandato de 4 anos do PT tinha como propósito a garantia da conquista do mandato seguinte.

Na era petista a autoridade policial foi desmontada. A castração do poder da polícia pariu uma escalada de violência, com 70 mil homicídios anuais. Números de Guerra Civil. Os bandidos se munindo de armamento bélico e a polícia desautorizada a atirar nas pobres “vítimas da sociedade”.

O estratagema macabro se concluiu com o desarmamento da população. A polícia não pode atirar, o cidadão de bem está desarmado e o bandido está de fuzil.

A farda do policial, antes uma referência, tem que ser escondida. Não pode mais ser colocada para secar no varal de sua casa. Quem tem que viver entocado é o policial, não o bandido.

O aparelhamento na educação e na cultura transformou as salas de aula em laboratórios sociais, onde o conteúdo necessário ao aperfeiçoamento do estudante foi substituído por debates e papos-cabeça sobre sexualidade, maconha e etc. Funks com teor sexual explícito foram elevados à categoria de cultura.

O PT comprou o apoio de artistas mediante leis de incentivo cultural, transformando grande parte da classe artística em soldados do partido.

Na retaguarda, professores doutrinadores usam o espaço de aula para detratar adversários, aterrorizando estudantes com a ideia de que qualquer um que se opõe ao PT é nazista, fascista, elitista, machista, racista e outros “istas”.

O uso expressivo destas táticas dividiu o país. A esquerda seguia fomentando o ódio que dizia combater. Amplificava o racismo para se colocar como sua defensora. Discursava sobre homofobia como se estivéssemos num estado muçulmano, como se a direita conservadora e cristã estivesse jogando homossexuais de prédios pelo fato de serem gays.

E enquanto tudo isso acontecia não houve nenhuma autocrítica. Nenhuma diminuição das práticas. NEM ENQUANTO O JULGAMENTO DO MENSALÃO ACONTECIA O PT PAROU DE ROUBAR.

E quando o encontro com a justiça chegou, com provas abundantes, o partido alegou perseguição política, mesmo tendo aparelhado todas as instituições.

E agora, com seu líder maior preso, e seus caciques todos sob investigação, o PT foi enfim derrotado nas urnas.

Neste momento faz uma autocrítica?

Não. É mais fácil dizer que todo mundo virou nazista.

 

Por Renan Alves da Cruz 

30/10/2018

 

Siga o Voltemos à Direita nas redes sociais e assine a newsletter para receber todos os nossos artigos.

Related Post

Comments

comments

3 comentários em “O PT errou ou todo mundo virou nazista?”

  1. Um artigo que eu li falava da força do socialismo demonstrada na votação nessas eleições. Embora eu tenha que destacar a virulência da oposição, o Bolsonaro sofreu com “fogo amigo” (por exemplo as declarações do vice e o caso de seu próprio filho), sem o quê, talvez, a diferença tivesse sido bem mais folgada. Como a cartilha política prescreve, o eleitor deve fiscalizar o seu candidato durante o mandato, mas, no caso, deve fiscalizar com o maior empenho a oposição, que não está aí para brincadeira. Partidos como o PT são dependentes de ambientes de diferenças sociais e misérias. No nordeste brasileiro, de tantas oligarquias, foi criada a famosa “indústria da seca” que gerou o combustível para a criação e manutenção dessa agremiação. Ali, o PT é imbatível. Isso, aliado ao fato de que o brasileiro vota movido pelo interesse “fulano não pode ser eleito ou perco meu emprego”. Agora veja: quem votava por botina ou dentadura passou a votar pelo bolsa família. Um alto negócio. Infelizmente, o brasileiro não vota por saúde, educação, segurança pública ou contra a corrupção, como se falou em “o Brasil que eu quero”. Ele vota pensando no próprio umbigo.

  2. O que mudou foi a percepção da maioria. Os erros e a roubalheira do pt eram aceitados ou ignorados até que começou a Lava-jato. Agora o Brasil não aceita mais. Por isso o pt MORREU! E vai continuar morto. Mesmo porque aquilo não é um partido político.. é uma seita chefiada por um bandido, que hoje está (e vai continuar) na JAULA.

    • Exato. A luta contra a corrupção continua. Há muitos petistas e corruptos de outros partidos soltos. Precisamos apoiar continuamente os mecanismos de combate à corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *