Ministro Ricardo Velez e as aves de rapina

(Artigo publicado em 28/03/2019)

Confesso que para mim, foi uma surpresa grande quando foi anunciado o nome do colombiano Ricardo Veléz Rodriguez para o Ministério da Educação. Embora uma de suas obras estivesse na minha infinita lista de compras, confesso que não conhecia seu pensamento.

Logo, a surpresa que na realidade era uma desconfiança, tornou-se uma grata surpresa após conhecer o currículo do professor Ricardo Veléz Rodriguez. Estou convicto de que o MEC está em boas mãos.

Antes de prosseguir, é importante registrarmos que o Voltemos à Direita é mantido por dois educadores que se preocupam com o futuro da nossa nação. Por vezes, lamentamos a doutrinação esquerdista nas escolas, nos livros didáticos e entre nossos colegas de profissão.

Mas não ficamos apenas no lamento. Da nossa parte, não medimos esforços para combatermos tais doutrinações, seja em sala de aula, seja aqui em nosso site. Um dos nossos últimos artigos sobre a educação foi publicado justamente no dia da tragédia em escola de Suzano (Qual o caminho para resgatar a escola pública?).

Pois bem, deve estar claro que se os livros didáticos seguem uma interpretação marxista, seguida pela formação dos professores na mesma linha, não é diferente dentro do MEC e em suas diversas secretarias. Estamos falando de um órgão governamental que possui cerca de 1 mil servidores efetivos! Vejam a estrutura.  

Obviamente que esses servidores de carreira não são em sua unanimidade alinhados com a esquerda. É impossível quantificarmos isso. Porém, dado o período em que o país esteve governado pela esquerda, arriscamos dizer que uma grande parte desses servidores são simpáticos à “luta de classes”.

Fazemos essas observações porque é esse o quadro que o ministro Ricardo Velez encontra. Que baita desafio!

Quem é da educação e não alinhado com a esquerda sabe que o trabalho de desintoxicação do MEC será árduo e feito sem alardes. Há muitos infiltrados que pouco a pouco terão que sair mas que antes, tentarão boicotar o trabalho do atual ministro.

Sob esse prisma, é correto afirmarmos que o ministro Ricardo Veléz Rodriguez se encontra em meio a verdadeiras aves de rapina.

Ontem, 27/03, o ministro esteve presente ma comissão de educação da Câmara dos Deputados. Tratou-se de uma sessão que teve uma duração extenuante de 5 horas!

É saudável quando um ministro de Estado é arguido pelos representantes da sociedade (deputados). Nessas cinco horas, alguns poucos deputados demonstraram genuíno interesse pelo avanço da boa educação no país. Infelizmente o número de deputados na referida comissão, que estavam preocupados com a educação eram poucos. Pouquíssimos!

A grande maioria dos parlamentares  presentes na comissão da educação estavam mais preocupados em verberar demagogias, ofensas ao ministro, exaltação a Paulo Freire e defesa da UNE. O que esperar da nobre deputada Maria do Rosário na comissão da educação?

Mais uma vez o ministro da Educação estava em meio a famigeradas aves de rapina.

Discordo daqueles que criticaram as intervenções do ministro. Precisamos entender que ali o ministro estava pisando em ovos e tudo o que alguns queriam era encontrar um motivo para fazer barraco ou um factoide. Foi o que fez a ciosa deputada Tabata Amaral, criou um factoide!

Muito poderia ser escrito sobre muitas das falas proferidas na tal comissão, mas, finalizo esse texto reforçando minha convicção de que o presidente Jair Bolsonaro estará cometendo um erro monumental se optar pela demissão do ministro Ricardo Veléz Rodriguez.

A demissão do ministro é tudo o que a esquerda e a extrema imprensa estão pedindo.

Só em saber que a esquerda, que por anos idiotizou nossas crianças e jovens, pede a demissão do Ministro da Educação, nos deixa certos de que Ricardo Veléz Rodriguez está no caminho certo.

Por Jakson Miranda

Siga o Voltemos à Direita nas redes sociais e assine a newsletter para receber todos os nossos artigos.

4 comentários em “Ministro Ricardo Velez e as aves de rapina”

    • Acredito que ele está no caminho certo. Essa ideia de que está um caos no MEC é mais uma vez a imprensa e a esquerda superdimensionando problemas pontuais.

  1. Nem de Karl Marx eu gosto, mas, também não gosto da idéia de ter um ministro da educação um estrangeiro! No Brasil entre os lambe botas do presidente da República não tem gente competente que possa assumir o ministério da educação? Todos os correligionários, amigos, companheiros de Jair Bolsonaro não tem preparo para ajudá-lo a governar o país? Não estou falando da competência do ministro, mas, deveria ser um brasileiro, principalmente os cargos de 1° escalão!

  2. Cara cegueira ideológica é demais. Assistam o vídeo do Ministro na comissão na Câmara, o cara é totalmente despreparado, não sabe o que está fazendo lá. Se não fora os servidores de carreira a coisa estaria pior. Mas, está duro conversar nesta extrema direita, parece petista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *