Meu google reaça. Episódio 1: O “Intelectual de esquerda”

Acho que devido à convivência, meu google virou reacionário. Para desespero da petralhada, a ferramenta de buscas tem se mostrado um reaça de primeira! Sempre que possível revelarei aqui algumas das constatações bem vindas deste meu novo oráculo.

Hoje mesmo, digitei no dito-cujo uma sentença paradoxal, que se anula por definição: “intelectual de esquerda”

O google reaça me retornou, tentando limitar minha busca e maximizar o resultado:

“Você quis dizer sociopata totalitário?”

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

Leia também: 

Eduardo Suplicy, o bichinho de estimação de Mano Brown

Viva o aparelho excretor reprodutor!

Impeachment é a Nova Geni

É dona Dilma… Em terra de saci, todo chute é voadora!

Dilma manda Tico e Teco para Entrevista: o resultado foi risível

Related Post

Comments

comments

2 comentários em “Meu google reaça. Episódio 1: O “Intelectual de esquerda””

  1. Mas isso foi perfeito, Renan! Sobretudo se o conteúdo for um apurado sobre a tentativa dede destacar os talentos humanitários e a noção de justiça pra dividir os bens dos outros.. Hahahahh.. Parabéns pela postagem! Genial!

  2. Mais devagar com o andor. Não vamos esquecer que a pseudomarxização do grupo de maior bagagem cultural formal , escolar, acadêmica foi um presente da ditadura militar assim como a angelização do extremista militante da ditadura do proletariado. Com as restrições políticas e culturais os militares tornaram o socialismo de inspiração revolucionária totalitária virtuoso por sua obstrução ( mais ou menos como os ‘ufólogos’ ‘provam’ a existência de E.T.s a partir da alegação de ocultamento oficial). Assim criaram um campo fecundo para que o discurso dito ‘revolucionário’ ( entenda-se: a tomada do poder pela via externa à ordem jurídica como forma de reorientação de processo histórico, o que cai na malha deste próprio processo, submetido o pretenso transformador inovativo a categorias de pensamento político comuns da era vitoriana ) concedesse a seus praticantes um ingresso automático e sem esforço ao status de intelectual respeitável. Nem todos são de fato ‘sociopatas totalitários’. Na maioria apenas burrinhos ignorantes tentando por pura aclamação consensual equivocada, ficar bem na fita sem ter que estudar ou produzir qualquer arte ou ciência que seja relevante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *