Lula: O cerco está se fechando

Esta semana escrevi um texto apontando que Lula é a única opção do PT para as eleições de 2018. Ou isso, ou se acovardar. Pois bem, caso seja ele mesmo o candidato petista a presidência, terá muito que explicar ao eleitor brasileiro.

Leiam essa reportagem do Estadão

Por Fábio Fabrini, de Brasília, e Fausto Macedo

Documento da Petrobrás indica que o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa viajou a Brasília para se reunir com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2006 com o objetivo de tratar da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), um mês antes de a controversa compra da planta de refino ser autorizada.

A agenda consta de relatório intitulado “Viagens Pasadena”, no qual a companhia lista deslocamentos feitos por seus funcionários e executivos, no Brasil e no exterior, em missões relacionadas ao negócio, considerado um dos piores da história da petroleira.

Conforme o documento obtido pelo Estado, o encontro entre Lula e Costa se deu em 31 de janeiro daquele ano, no Palácio do Planalto, exatos 31 dias antes de o Conselho de Administração da Petrobrás, na época chefiado pela então ministra da Casa Civil Dilma Rousseff, dar aval à aquisição de 50% da refinaria. O ex-presidente nunca admitiu participação nas tratativas para a aquisição, que, segundo auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), causou prejuízo de US$ 792 milhões aos cofres públicos.

A conversa foi inscrita na agenda de Lula apenas como “Reunião Petrobrás”. Mas o Planalto não descreveu, na época, quais foram os participantes. O relatório mostra que o ex-diretor ficou em Brasília dois dias, retornando em 1.º de fevereiro. O motivo registrado foi “reunião com o presidente Lula”.

Questionado pelo Estado sobre a agenda com Costa, o ex-presidente afirmou, por meio de sua assessoria, que “a reunião com a Petrobrás” foi “há mais de nove anos” e “não tratou de Pasadena”. Não informou, contudo, qual foi, então, a pauta debatida.

Voltamos

Qual o teor da reunião? Bem, para isso, Lula já deve ter uma resposta: Não sabe. Todavia, já deve ser de conhecimento do ex-presidente que esse tipo de explicação não “cola” mais.

De fato, caso saia candidato, terá muito que explicar a população. O ex-presidente deve explicar quais foram os motivos que o levaram a indicar Paulo Roberto Costa para diretor de abastecimento da Petrobrás; o mesmo Costa que tratou do caso Pasadena, que se reuniu com Lula nas tratativas de compra da refinaria texana,  responsável por causar a estatal um prejuízo de 792 milhões do dólares.

O cerco está se fechando. Dificilmente alguém terá dúvidas de quem é o verdadeiro chefe da turma.

 

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

Chico Buarque está certo: tenho medo de Lula

Impeachment da presidente Dilma: Fatos novos devem ocorrer

Fizeram tanto diabo, que o Brasil acabou virando um inferno

Ricardo Pessoa fará delação premiada

Será que Lula se esconde quando ouve uma sirene?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *