A serviço de Temer, perito Ricardo Molina faz descoberta impressionante

O perito Ricardo Molina foi contratado pelos advogados do presidente Michel Temer para analisar o áudio da gravação entre o presidente e Joesley Batista. Repito, agora em letras garrafais: O PERITO RICARDO MOLINA FOI CONTRATADO PELOS ADVOGADOS DO PRESIDENTE MICHEL TEMER!!!

Oras, se contrato alguém, é claro que a pessoa contratada irá me entregar o serviço que espero que ela me entregue. Não é preciso um perito para entender isso, certo?!

Leiam a conclusão a que chegou  Ricardo Molina.

O perito Ricardo Molina, contratado pela defesa do presidente Michel Temer (PMDB), afirmou nesta segunda-feira (22), em entrevista coletiva em Brasília, que a gravação da conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista não tem condições técnicas de ser utilizada num processo e contestou a interpretação de um dos principais pontos do diálogo.

Molina contestou a transcrição do trecho no qual Joesley teria usado a frase “todo mês”, quando supostamente se referia a pagamentos para comprar o silêncio do exdeputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“Não é todo mês. É ‘tô no meio'”, disse o perito.

Segundo Molina, essa conclusão foi possível por meio da comparação com outros trechos da gravação nos quais Joesley usou termos foneticamente semelhantes.

O trecho a que o perito se refere é este:

[Joesley]: Isso, que o Geddel é que andava sempre ali, mas o Geddel também com esse negócio eu perdi o contato, porque ele virou investigado e eu também não posso encontrar ele.

[Presidente Temer]: É complicado. […]

[Joesley]: Isso. O negócio dos vazamentos. O telefone lá do Eduardo com o com Geddel, volta e meia citava alguma coisa meio tangenciando a nós e não sei o quê, e eu tô lá me defendendo. Como é que eu… o que eu mais ou menos dei conta de fazer até agora? Eu tô de bem com o Eduardo.

[Presidente Temer]: Tem que manter isso, viu? […]

[Joesley]: Todo mês, também, e tô segurando as pontas, tô indo. Nesses processos eu tô meio enrolado aqui, né, no processo assim…

[Presidente Temer]: Você está sendo investigado.

Os advogados de Temer contrataram o perito para analisar o áudio gravado por Joesley de um encontro com Temer no Palácio do Jaburu no dia 7 de março.

A gravação foi um dos principais elementos utilizados pela PGR (Procuradoria Geral da República) para pedir a abertura de um inquérito contra o presidente. A investigação foi autorizada por decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, que também homologou um acordo de delação premiada de Joesley.

Molina também afirmou que a maior parte da gravação é de trechos sobre os quais não é possível determinar o significado do que foi dito.

“Mais da metade, com toda certeza, é ininteligível”, disse.

O perito afirmou ainda que a gravação contém uma série de falhas, como trechos descontínuos e ruídos que impedem entender o que é dito.

“Em um processo normal essa gravação sequer seria aceita como prova, em função do excesso de vícios que ela tem”, disse Molina.

O perito afirmou ainda que no trecho de 17 segundos no qual o presidente responde Joesley com a frase “Tem que manter isso, viu” contém seis pontos com sinais de que pode ter havido edição do áudio.

Molina afirmou que ao analisar o perfil das ondas sonoras do áudio verificou uma série de anomalias que podem indicar que a gravação foi manipulada.

“A pergunta que o perito deve se fazer é: você pode garantir que essa gravação é autêntica? Um perito honesto diria: não. E diria não em qualquer situação jurídica normal”, respondeu.

Molina afirmou que a partir de perícia desse tipo não é possível ser conclusivo sobre se houve ou não edição no áudio, mas, perguntado por jornalistas, o perito afirmou acreditar ser mais provável que a gravação tenha sofrido algum tipo de edição.

O perito afirmou que o mais provavelmente é que tenha ocorrido a extração de trechos da conversa.

Encerramos

Viram a descoberta impressionante feita pelo perito Ricardo Molina? De fato, não está na reportagem acima, mas é fácil descobrir.

O perito descobriu que pode ganhar uma boa grana de alguém em pleno desespero.

Em seu pronunciamento no sábado, Temer citou uma pericia contratada pela Folha que apontava aproximadamente 50 edições no áudio. O perito contratado por Temer nada falou a respeito.

Por fim, ou o caso é de policia ou de palhaçada em estado puro. Por que digo isso? Destaco três importantes pontos da fala do perito:

O perito afirmou ainda que a gravação contém uma série de falhas, como trechos descontínuos e ruídos que impedem entender o que é dito.

Ok, ok. E o que ele poderia dizer sobre o que ouviu e entendeu?

O perito afirmou ainda que no trecho de 17 segundos no qual o presidente responde Joesley com a frase “Tem que manter isso, viu” contém seis pontos com sinais de que pode ter havido edição do áudio.

Como poderiam editar uma frase tão simples? Te – m – que – manter – isso – , – viu –

E Molina encerra sua conclusão de forma magistral

Molina afirmou que a partir de perícia desse tipo não é possível ser conclusivo sobre se houve ou não edição no áudio, mas, perguntado por jornalistas, o perito afirmou acreditar ser mais provável que a gravação tenha sofrido algum tipo de edição.

O perito Ricardo Molina fez uma descoberta impressionante!!

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Crise política no Brasil: de quem é a culpa?

Querem saber de quem é a culpa pela crise política no Brasil? Vamos lá!

Na quarta feira pela manhã, nosso blog publicou um post aonde trazia um vídeo mostrando a realidade da política norte-americana. Se lá é como diz o vídeo, aqui no Brasil não é muito diferente e certamente é muito pior.

Revejam o vídeo

Finalizávamos o post com a seguinte observação

E a resposta, amigos, nos inquieta, nos dá um choque de realidade e nos mostra que se há algo de muito errado com a atuação dos nossos políticos é porque há algo extremamente errado com a formação que temos proporcionado a cada criança, jovens e adultos que saem dos nossos lares, adentram em nossas universidades e frequentam assiduamente nossas igrejas.

Logo, a pergunta a ser feita é outra. Como podemos melhorar e mudar a nós mesmos e consequentemente nossa sociedade?

Pois bem, no final da tarde de quarta feira, Lauro Jardim reportava a noticia bomba da gravação entre o dono da JBS e o presidente Michel Temer.

Desde então, temos acompanhado diuturnamente o noticiário, buscado informações e ponderando, em cada post, o melhor caminho, a nosso juízo, para o Brasil.

Nesse sentido, ao publicarmos o primeiro artigo sobre o escândalo que coloca Temer no epicentro da corrupção e da promiscua relação entre políticos e empresários, registramos o seguinte:

A culpa é da direita xucra, claro! Culpa do que, mesmo? Vejamos

E prosseguíamos

É daí que nasce o termo direita xucra. Lógico que se trata de um termo depreciativo que tem como objetivo desqualificar e neutralizar o crescimento dessa direita que não enxerga nesse governo Temer e em um governo tucano uma mudança à direita.

Para os lacaios criadores e propagadores do termo, qualquer “derrota” do atual governo era culpa da direita xucra. Qualquer implicação ou menção em delações de nomes do atual governo, a culpa é da direita xucra. Qualquer queda em intenções de votos de presidenciáveis tucanos, a culpa é da direita xucra.

Para esta direita, os que lhe chamam de xucra defendem de forma escandalosa e incompreensível, a manutenção dos mesmos agentes que desde a redemocratização dominam nosso país e do mesmo ideário político que faz a cabeça desses agentes, ou seja, tem que manter isso aí, viu?

Este blog orgulha-se de ser enquadrado na direita xucra! Este blog orgulha-se da credibilidade conquistada por aqueles que são chamados de xucros. Somos todos xucros, mas não desejamos manter isso aí na política nacional.

Independentemente dos próximos acontecimentos e do futuro de Temer, os apoiadores do governo peemedebista deverão ter em mente o seguinte:

Tem que manter isso aí, viu?   Significa a continuidade da corrupção.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o sistemático desvio de verbas.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o malfadado toma lá, dá cá.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o pagamento e recebimento de propinas.

Tem que manter isso aí, viu? Significa colocar as relações de compadrio acima da lei.

Algum brasileiro que deseja o bem do Brasil apoia isso aí?

Encerramos

De quem é a culpa pela crise política no Brasil? Fica claro que a culpa não é da direita “xucra”. Ao contrário, a culpa deve ser computada na conta daqueles que a todo custo, tentam justificar o atual estado de coisas e pior, com eloquência, tentam ludibriar parte da população.

Ou seja, o atual momento pelo qual passa o país tem seus responsáveis e não digo apenas que esses responsáveis sejam os políticos, mas, e talvez com igual grau de responsabilidade, aqueles que num verniz enganoso de ultra conservadorismo, jogam a ética e a moral do lixo e defendem com unhas e dentes a praticidade da velha expressão, Tudo continua como antes no quartel de Abrantes.

Como sabem tal visão política hoje, é a responsável pelo reagrupamento da esquerda. Cabe agora, uma vez mais, a direita xucra manter-se firme, lutar por mudanças e evitar que a esquerda continue dando as cartas no jogo.

A crise política no Brasil tem seus responsáveis e a direita “xucra” é a única que os quer responsabilizar. Melhor, a direita xucra é a única que quer o bem do Brasil.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Pronunciamento de Temer e a pergunta que não quer calar

O pronunciamento de Temer, na tarde deste sábado, não foi capaz de responder algumas importantes perguntas.

Antes, porém, leiam o que disse o presidente

O presidente Michel Temer fez neste sábado um pronunciamento afirmando que o áudio gravado pelo dono da JBS, Joesley Batista, foi adulterado, teve mais de 50 edições, e pediu a suspensão do processo que foi aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigá-lo. Temer disse que permanece na Presidência e negou que tenha cometido o crime de corrupção passiva, pois os pleitos do empresário não foram atendidos. Chamou Joesley de “fanfarrão” e afirmou que não acreditou nas afirmações do empresário de que havia cooptado juízes e promotores.

– O que ele fala em seu depoimento não está no áudio. E o que está no áudio demonstra que ele estava insatisfeito com o meu governo. Essa é a prova cabal de que meu governo não estava aberto a ele. Fica patente o fracasso de sua ação. O CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) não decidiu a questão solicitada por ele. O governo não atendeu a seus pedidos. Não se sustenta, então, a acusação pífia de corrupção passiva – disse Temer.

Este foi o segundo pronunciamento do presidente em menos de três dias.

No pronunciamento, Temer também fez duros ataques a Joesley:

– O autor do grampo está livre e solto, passeando pelas ruas de Nova York. O Brasil que já tinha saído da mais grave crise econômica vive agora dias de incerteza. Ele não passou nenhum dia na cadeia, não foi preso, julgado e punido. Pelo jeito não será, cometeu o crime perfeito. Graças a essa gravação fradulenta, especulou contra a moeda nacional. A notícia foi vazada por gente ligada ao grupo do empresário, que antes de entregar a gravação comprou 1 bilhão de dólares porque sabia que isso ia provocar o caos no câmbio – afirmou Temer.

Encerramos

O pronunciamento de Temer foi rápido. O presidente entrou e saiu sem falar com a imprensa e assim, não deu a ninguém a possibilidade de lhe fazer algumas perguntinhas básicas:

Por que um presidente da República aceita receber um empresário investigado pela justiça, na calada da noite e sem registro na agenda oficial?

Qual a relação do presidente com o deputado Rodrigo Rocha Loures?

Qual a opinião do presidente sobre o afastamento determinado pelo STF, do referido deputado, por este ter recebido R$ 500 mil da JBS, cujo dono, Temer mantivera conversa clandestina?

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Presidente Michel Temer ouve relato de crimes e nada faz

O que o áudio da conversa entre Temer e o dono da JBS comprova? Que o presidente Michel Temer ao ouvir relatos de crimes praticados por seu interlocutor, tais como, pagamento de propina e tentativa de obstrução de justiça, nada fez, ao contrário, aquiesceu.

Leiam reportagem do O Globo

Os áudios gravados por Joesley Batista, da JBS, revelam que o presidente Michel Temer (PMDB) ouviu, sem fazer objeção e nem depois reportar aos órgãos competentes, um relato de um empresário — dono de um grupo que foi alvo de cinco operações da Polícia Federal em menos de um ano — com detalhes sobre mecanismos usados por ele para obstruir a Justiça, como a cooptação de juízes e procuradores. Temer também escutou, sem repreender o interlocutor, declaração sobre pagamentos ilegais ao ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB).

No documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), no qual solicitou a abertura de inquérito para investigar Temer, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou: “Joesley fala que segue pagando propina ‘todo mês, também’ a Eduardo Cunha, acerca da qual há a anuência do presidente da República”. Cunha está preso desde outubro do ano passado e, em março deste ano, foi condenado pelo juiz Sergio Moro a mais de 15 anos de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A conversa de Joesley com Temer foi gravada em março, no Palácio do Jaburu. Quando o empresário questionou o presidente sobre a relação com o presidiário Cunha, Temer afirmou que o ex-deputado “resolveu fustigá-lo” ao enviar perguntas, no âmbito de um dos processos que correm na Justiça Federal do Paraná, que relacionavam o presidente com réus e condenados da Lava-Jato. Temer foi arrolado por Cunha como testemunha de defesa, mas o juiz Moro indeferiu 21 das 41 perguntas feitas pelo ex-deputado ao presidente.

Encerramos

No inicio da matéria está o cerne da questão. Aliás, o simples fato do presidente da República receber na residência oficial um empresário sem que tal encontro conste na agenda da presidência, já seria motivo suficiente de escândalo. Isso em países decentes.

Mais escandaloso ainda é o presidente da república, repito em letras garrafais, o PRESIDENTE DA REPÚBLICA ouvir o que ouviu e nada fazer.

Não, presidente Michel Temer, a montanha não pariu um rato. Não estamos falando de algo insignificante, ou estamos presidente Michel Temer?

O que veio a público só é avaliado como insignificante quando se está habituado a coisas piores e nesse caso, a expressão mais adequada seria: chafurdar na lama. Ou seja, algo que os porcos fazem com maestria e graça até, mas que, para um homem de terno e gravata, cuja missão é dirigir um país, torna-se algo que vai do grotesco à deselegância; da molecagem irresponsável à perversão dos valores do Estado Democrático de Direito.

Quem assim o age, não tem condições morais de continuar no posto de presidente da República.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Vaza, Temer! Todo corrupto é golpista e ilegítimo

Desde o Impeachment de Dilma a esquerda se refere a Michel Temer como presidente ilegítimo e golpista.

Sabemos bem que é o tipo de indignação oportunista, não de quem quer um país livre das algemas corruptivas, mas de quem possui seus próprios crápulas preferenciais.

A delação da JBS desossou Temer em velocidade assombrosa. Publico este texto antes de se completarem 24 hs da divulgação dos fatos e as consequências são catastróficas. Ele não possui mais credibilidade e legitimidade para liderar o país nesta longa e brutal travessia.

Temer tem que ser extirpado da vida pública, porque a corrupção não pode mais ser tolerada. Porque um presidente não pode ser leniente ante a informação de que um cala-boca está sendo pago a um político que ameaça falar o que sabe.

Na verdade sequer sabemos que informações Cunha possui, mas sabemos que a ameaça levou Temer a arriscar seu mandato. A lógica nos leva a presumir que há algo a ser temido, fosse de outra forma o presidente teria se recusado a anuir com a sugestão dos bandidos da JBS.

Temer acabou para a política. Sua longa e até então ascendente trajetória chega ao ocaso com este episódio torpe. E nada há a ser lamentado. Se há algo que o Brasil não precisa é de políticos desta estirpe.

Todo político corrupto é golpista.

Todo político corrupto é ilegítimo.

Fora Golpista.

Fora presidente ilegítimo.

Por Renan Alves da Cruz 

 

De Temer a Aécio Neves: A culpa é da direita xucra ou, tem que manter isso aí, viu?

A culpa é da direita xucra, claro! Culpa do que, mesmo? Vejamos

Não fossem os grupos da direita, das diferentes vertentes e com as inúmeras divergências entre si, o governo petista de Dilma Rousseff não teria sofrido o processo de impeachment.

Por outro lado, em nenhum momento do processo que culminou com a saída da ex-presidente, foi condicionado apoio irrestrito ao governo de Michel Temer. Obviamente que após o fim da era petista, todos tinham esperanças no novo governo. Esperança é diferente de apoio.

Diante do avanço nas investigações da Lava Jato, e da politicagem de bastidores praticadas por Temer para manter próximas a si figuras implicadas nas delações, ficou claro que apoiar o governo peemedebista seria uma atitude de oportunistas e lacaios.

É assim que grande parte da direita que foi às ruas pedir o impeachment de Dilma passou a fazer duras criticas ao governo de Michel Temer. Não só isso. Grande parte da direita que pediu o impeachment, nunca negou que Temer era parte integrante do grupo da petista e que tanto PT, como o PMDB e o PSDB, são coirmãos e que os dois últimos não representam uma guinada à direita que a política do país pede e necessita.

É daí que nasce o termo direita xucra. Lógico que se trata de um termo depreciativo que tem como objetivo desqualificar e neutralizar o crescimento dessa direita que não enxerga nesse governo Temer e em um governo tucano uma mudança à direita.

Para os lacaios criadores e propagadores do termo, qualquer “derrota” do atual governo era culpa da direita xucra. Qualquer implicação ou menção em delações de nomes do atual governo, a culpa é da direita xucra. Qualquer queda em intenções de votos de presidenciáveis tucanos, a culpa é da direita xucra.

Para esta direita, os que lhe chamam de xucra defendem de forma escandalosa e incompreensível, a manutenção dos mesmos agentes que desde a redemocratização dominam nosso país e do mesmo ideário político que faz a cabeça desses agentes, ou seja, tem que manter isso aí, viu?

Este blog orgulha-se de ser enquadrado na direita xucra! Este blog orgulha-se da credibilidade conquistada por aqueles que são chamados de xucros. Somos todos xucros, mas não desejamos manter isso aí na política nacional.

Independentemente dos próximos acontecimentos e do futuro de Temer, os apoiadores do governo peemedebista deverão ter em mente o seguinte:

Tem que manter isso aí, viu?   Significa a continuidade da corrupção.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o sistemático desvio de verbas.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o malfadado toma lá, dá cá.

Tem que manter isso aí, viu?  Significa o pagamento e recebimento de propinas.

Tem que manter isso aí, viu? Significa colocar as relações de compadrio acima da lei.

Algum brasileiro que deseja o bem do Brasil apoia isso aí?

Em 2014, o tucano Aécio Neves esteve perto de ser eleito presidente da República. A vitória de sua adversária, Dilma Rousseff, foi decidida ali… Na parte final das apurações de votos.  Ficou como a campanha mais acirrada da história do Brasil.

Grande parte do sucesso do candidato tucano deveu-se, inegavelmente e imerecidamente, aos votos da direita então emergente naquele momento. Após o pleito, em entrevista ao O Globo, Aécio Neves cunha a seguinte frase: “Para a direita não adianta me empurrar que eu não vou“. Fez bem!

De lá pra cá, Aécio Neves fez jus a sua frase. Enquanto escrevo isso, leio que o STF acaba de determinar seu afastamento do senado e decidirá se ordena sua prisão por ser ele, alvo de investigação da Policia Federal sob a suspeita de recebimento de propina. Sua irmã foi presa!

Aécio Neves mostrou quem é. Não quis ser empurrado para a direita, mas, empunhou com firme convicção a bandeira de que Tem que manter isso aí, viu?

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Gilmar Mendes não julga habeas corpus que está há um ano em suas mãos

O ministro do STF Gilmar Mendes não julga habeas corpus que está há um ano em suas mãos e retira processo da pauta do Supremo. O caso seria julgado ontem, 11/05.

Logicamente que não estamos falando do habeas corpus de Eike Batista que, entre uma decisão contrária do TRF2 e a decisão final de Mendes, favorável ao empresário, durou pouco mais de um mês.

Entendam o caso

O ministro Gilmar Mendes, relator do habeas corpus da defesa do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, retirou o processo da pauta do Supremo Tribunal Federal (STF). O recurso apresentado pela defesa seria julgado nesta quinta-feira (11) e definiria finalmente se o ex-parlamentar iria ou não ser submetido a júri popular.

De acordo com a assessoria de imprensa do STF, não há previsão para que o pedido seja recolocado em pauta. As famílias de Carlos Murilo de Almeida, de 20 anos, e Gilmar Rafael Souza Yared, 26, mortos em um acidente de trânsito provocado por Carli Filho, esperam pelo julmento do ex-deputado há oito anos.

Com o habeas corpus, a defesa quer cancelar o júri popular e fazer o réu responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. O pedido de habeas corpus foi negado em fevereiro de 2016 pela Justiça do Paraná, mas os advogados recorreram ao STF.

Carli Filho é acusado de duplo homicídio com dolo eventual. Na denúncia do Ministério Público a acusação afirma que, na noite do dia 7 de maio de 2009 o ex-deputado dirigia embriagado (com 7,8 decigramas por litro de sangue) e a uma velocidade entre 161 km/h e 173 km/h, em uma via onde a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. No entendimento do MP, o então deputado assumiu o risco de matar.

Por envolver um deputado, o caso teve repercussão nacional e gerou comoção. Os carro do ex-parlamentar praticamente “decolou” e passou por cima do veículo das vítimas, arrancando o teto do automóvel. Os dois jovens morreram na hora.

Encerramos

A família das vitimas estão aguardando por justiça há oito anos. Isso, por óbvio, não é nenhuma novidade da nossa justiça e vergonhosamente escancara que para alguns magistrados, a lei e agilidade em julgar os casos, devem ser aplicadas apenas quando lhes convém.

Gilmar Mendes não julga qualquer habeas corpus.

Gilmar Mendes não julga habeas corpus contrários a políticos e poderosos.

Se não é isso, é o quê?

Devemos falar da alongada demora em julgar um simples habeas corpus, ministro Gilmar Mendes.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

Lula-lá: Sentença de Moro deve sair até julho

Caso não haja atrasos, no máximo em julho saberemos qual a sentença de Moro no processo em que Lula é réu.

Leiam

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ser sentenciado pelo juiz federal Sergio Moro, da Operação Lava Jato, em Curitiba, até o final de junho – se não houver suspensões do andamento processual –, por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá (SP).

O interrogatório de Lula desta quarta-feira (10), o Dia D da Lava Jato, marca o final da etapa de oitiva dos réus do processo em que ele é acusado pela Procuradoria-Geral da República por suposto recebimento de R$ 3,7 milhões em propinas da construtora OAS.

O Ministério Público Federal imputa prática de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro – pena prevista de até 22 anos de prisão, se condenado. A ampliação, reforma e decoração de um tríplex, no Guarujá, e o custeio do armazenamento de bens, de 2011 a 2016, seriam “benesses” dadas ao petista, em troca de negócios na Petrobras.

O interrogatório é a oportunidade dos réus do processo falarem sobre as acusações de crimes que são imputadas a ele e marca o fim da etapa de instrução da persecução penal. Os outros seis réus do processo já foram interrogados por Moro. Lula é o último deles.

Terminada a fase de interrogatórios dos réus, o juiz abre prazo de 10 dias para o Ministério Público Federal fazer suas alegações finais da acusação contra Lula e os demais réus. Entregue os memoriais ao juízo, é aberto mais 10 dias para as alegações finais da defesas.

Superada essa etapa, Moro começa a contar o prazo para sua sentença, o que deve acontecer entre o final de junho e meados de julho, se não houver suspensão do processo.

Nas últimas duas semanas, os advogados de Lula tentaram suspender a ação penal do tríplex, com recursos, que foram negados por Moro, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, segunda instância da Lava Jato, e no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Julgado em primeira instância, se for condenado por Moro, o TRF passa a julgar a apelação das defesas. Em outros processos da Lava Jato, as ações levaram, em média, um ano para serem julgadas.

Encerramos

Qual será a sentença de Moro? Melhor, alguém acredita na inocência do palhaço Jararaca? Bem, é claro que se trata de uma pergunta retórica, mas, se tal disparate vier a ocorrer, o famoso triplex do Guarujá será o primeiro imóvel sem dono, mas que a construtora o fez pensando em um único dono…

Deixe seu voto

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

 

 

O STF que soltou Dirceu é o mesmo que indultou os mensaleiros

Sabe aquele blogueiro tucano que se gaba de ter muitos empregos? Aquele mesmo, o da linguinha presa, o rottweiler de uns que é o poodle de tantos outros, e que agora, pelas conveniências já imaginadas, tem um ministro do STF para chamar de seu? Aquele, sabe, que submete seu caráter e sua pena a uma legenda?

Ele e outros de mesmo quilate aplaudiram com efusão a decisão do trio que revogou a prisão preventiva de José Dirceu.

Alegaram, com a velha empáfia sorrateira, que a decisão não influenciava em nada o rumo da operação e das demais delações premiadas. Excesso de retórica e verborragia para ensombrecer o maquiavelismo argumentativo de uma decisão que afrontava o brasileiro, que enfrenta uma cleptocracia hedionda.

Com ironia calculada, ironizam o que seriam “teorias da conspiração” de complôs para barrar a Lava Jato. Apenas os xucros duvidariam da lisura de um tribunal tão honrado como o digníssimo STF!

Nesta hora a memória seletiva opta por esquecer que mesmo durante o julgamento do mensalão a quadrilha encimada por alguns dos agora vitimizados sequer absteve-se de continuar o roubo sistemático que praticavam contra o Estado brasileiro.

Este STF, o STF de Mendes, Toffoli e Lewandowski, é o mesmo STF que perdoou os mensaleiros há tão pouco tempo condenados. José Genoíno, João Paulo Cunha e José Dirceu foram indultados pelo Supremo. Dirceu só estava preso porque sua prática constante de crimes o engatou diretamente do mensalão ao petrolão.

O STF já demonstrou no único escândalo que de alguma forma poderia chegar perto da dimensão do Petrolão qual sua jurisprudência para político ladrão:

Indulto, discurso elogioso e tapinha nas costas.

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

Hotéis de Curitiba recusam Lula

Curitiba, cidade linda e hospitaleira, recusa-se em aceitar um nada ilustre visitante. É o que informa-nos o blog do Reinaldo Bessa. Leiam.

A assessoria do ex-presidente Lula teve dificuldade para encontrar um hotel para ele se hospedar em Curitiba para o depoimento desta quarta-feira (10) ao juiz Sergio Moro. Todos os estabelecimentos consultados recusaram o hóspede, segundo disse ao blog uma fonte do setor, por temer represálias e manifestações dos apoiadores da Lava Jato.

Os advogados do ex-presidente acabaram convencendo a gerência do Bourbon Curitiba, no Centro, para hospedá-lo por algumas horas, o que a direção do hotel não confirmou após a publicação da informação pelo blog, dizendo não haver reserva em nome de Lula. O blog foi procurado há pouco pela assessoria de imprensa da Rede Bourbon para comentar a notícia.

A equipe jurídica de Lula já se hospeda lá sempre que vem à capital. Inclusive, os advogados solicitaram uma sala do hotel para realizar a entrevista coletiva após a audiência de Lula com Moro, com o que a empresa não concordou por temer possíveis manifestações em sua porta. Segundo a assessoria do Bourbon, o hotel está com todas as salas de eventos ocupadas.

A entrevista acabou sendo marcada em outro local.

Encerramos

Dizer o quê? Foi-se o tempo em que o senhor Luiz Inácio Lula da Silva se portava como rei. Foi-se o tempo em que grande parte da população do país adorava o senhor Luiz Inácio Lula da Silva. A máscara caiu!

Qual estabelecimento comercial quer ter sua marca associada, mesmo que remotamente, a Lula? Lula, que além de ser acusado por diversos crimes não passa de um covarde que por meio de seus advogados tenta a todo custo não encarar o juiz Sergio Moro.

No mais, fica a dica: Porque o ex-presidente, ao invés de hospedar-se em um hotel de luxo de Curitiba, não se hospeda em algum acampamento do MST?

Nunca antes na história deste país tivemos um presidente tão covarde quanto Lula.

Nunca antes na história deste país um ex-presidente sentou-se no banco dos réus. A republica de Curitiba nos dá esse presente.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS!