Jean Wyllys foge de debate com Malafaia

Virou rotina.

Depois de tomar uma épica e impiedosa invertida intelectual de Kim Kataguiri, a quem Jean, numa mesa redonda com Boulos, Sakamoto (e um Che pintado na parede), chamara de analfabeto político de 19 anos, chegou a vez do excelentíssimo deputado fugir da raia para Silas Malafaia.

A primeira fuga, para Kataguiri, viralizou, expondo a fragilidade argumentativa de Wyllys. Chamado para um debate, ainda com direito à escolha do formato, pelo rapaz que minorara, tendo então, acreditando no que afirmou, a oportunidade de consagrar-se diante do desafeto de direita, Jean refugou. Saiu bloqueando no facebook e no twitter milhares de pessoas que queriam entender por que ele estava com medo de um debatedor a quem atribuía tão baixa qualidade.

Agora, foi a vez de Jean fugir do pastor Silas Malafaia. O deputado concordou em participar do programa de Pedro Bial, o Na Moral, junto com o pastor, mas não compareceu à gravação, como revelou o próprio pastor Silas em seu twitter.

Tweet do pastor Silas Malafaia sobre ausência de Wyllys que foi apagado

Eu estava ansioso para ver Wyllys argumentar com Malafaia, ou com qualquer conservador apto a expor suas inomináveis contradições.

Pelo jeito não será dessa vez.

Jean Wyllys prefere debater com Guilherme Boulos e Leonardo Sakamoto. Ventríloquos da mesma estirpe que ele.

O nobre deputado não poderá explicar como consegue defender a agenda homossexual, a islâmica e Che Guevara, notório executador de homossexuais, tudo ao mesmo tempo.

 O professor Olavo de Carvalho, em artigo recente, expôs o ilogismo com invejável simplicidade:

A pessoa e os feitos do sr. Jean Wyllys ilustram esse estado de coisas da maneira mais didática que se pode imaginar. Na sua ânsia de juntar num front comum tudo quanto lhe pareça anti-ocidental e anticristão, ele exige que as escolas esmigalhem de vez os cérebros das crianças com aulas simultâneas de gayzismo e de islamismo.  Cada pequeno brasileiro será portanto informado de que ele deve fazer aquilo que, se ele fizer, será punido com pena de morte

Na jugular! Wyllys precisaria explicar como realizaria a mágica de quebrar este paradoxo.

Ele sabe que, se confrontado com a mixórdia de absurdos que defende, será desmascarado. Logo, Jean não se prestará a encarar nada se não estiver totalmente blindado. Se a Globo chamasse, ao invés de Malafaia, o Frei Betto, Jean Wyllys provavelmente seria o primeiro a chegar para a gravação!

Mas com Malafaia não, nem com Kataguiri, nem com qualquer outro conservador.

Se confrontado, seria humilhado. Há ideias que nem a melhor retórica sustenta. E Jean não correrá o risco de ser acuado. Não agora que foi votadíssimo e arrumou um lugar para, se não se prestar a ser ridicularizado, ser sua fonte de renda vitalícia.

Analisando friamente, porém, sua fuga nem é tão surpreendente.

Se eu defendesse o que Jean Wyllys defende, também não me meteria à besta de debater com quem quer que fosse!

 

Por Renan Alves da Cruz 

 

Leia também: 

Bolsonaro é condenado por Homofobia. Estamos sob a lei da mordaça

Viva o aparelho excretor reprodutor!

Por que Sou Conservador?

O mimimi de Leonardo Sakamoto

A importância de Ler Guilherme Boulos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *