Janot defende ideologia de gênero nas escolas e promove preconceito religioso

Rodrigo Janot promove preconceito religioso e defende ideologia de gênero nas escolas

Será contra a ideologia de gênero nas escolas qualquer pessoa sensata sabedora de que certas demandas cabem aos pais e não a escola. Dito isto, ponderamos que embora apoiemos a saída do presidente Michel Temer e isso passa nesse momento, pela denuncia que a PGR irá fazer, sabemos quem é Rodrigo Janot. O arquivo do nosso blog está aí e são inúmeras as criticas que já fizemos ao Procurador-Geral da República.

O Procurador-Geral da República Rodrigo Janot é da mesma cepa de Dias Toffoli, Lewandowski e Gilmar Mendes, ou seja, muitas das vezes não servem ao judiciário, mas o utilizam de acordo com suas preferências pessoais, políticas e ideológicas.

E não se enganem, a pauta “progressista” não sai da agenda dessa turma.

Nessa esteira, sabemos que há atualmente uma verdadeira jihad contra os princípios cristãos que moldam nossa sociedade e nesse caso, poucos se importam em promover, de forma velada ou não, preconceito religioso.

De fato, há preconceito religioso no Brasil e não se trata de preconceito religioso contra umbandistas, budistas, muçulmanos ou hinduístas, o que seria e é uma atitude reprovável, mas, o alvo preferencial da discriminação religiosa, ora vejam! É contra os cristãos. Preferencialmente os cristãos evangélicos.

Os exemplos de preconceito contra a religião cristã evangélica no Brasil são inúmeros e vai desde o discurso ateu esquerdista de um professor na sala de aula, ou seja, preconceito religioso na escola, a associação entre a defesa dos princípios bíblicos e o obscurantismo, intolerância, ignorância e por aí vai.

Leia também:

Rodrigo Janot e STF: Vergonha em dose dupla

Viagem a 2030: Ideologia de Gênero no Brasil

Neymar e a Cristofobia do COI

Os que unem forças para perseguir os cristãos e os valores que o cristianismo apregoa compõem uma verdadeira “salada”. Vão desde esquerdistas, ateus, radicais islâmicos e seguidores do movimento LGBT. Notem a incoerência das ideias de cada um dos grupos citados acima. Registramos ainda que há uma enorme diferença entre os seguidores do movimento LGBT e o individuo homossexual.

Como sabemos, são muitas as armas e os ardis que a turma utiliza. Nesses tempos, uma das preferências dessa gente é propagar, sobre o falso verniz da “diversidade”, a ideologia de gênero. E eles não se intimidam e buscam a todo custo inserir a ideologia de gênero nas escolas. Não se trata de discutir, em sala de aula, preconceitos, mas sim, doutrinar nossas crianças em favor da escolha de uma identidade de gênero.

Pois bem, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, está fazendo exatamente o que afirmamos no titulo deste post: promove preconceito religioso em favor da ideologia de gênero nas escolas!

Oportunamente, a noticia não foi muito divulgada e aparentemente, não houve grande discussão nas redes sociais, mas, a informação veiculada pelo Extra não deixa dúvidas quanto ao que pensa Rodrigo Janot em relação a religião cristã e o que pensa Janot em relação a ideologia de gênero.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) começou uma ofensiva contra leis municipais que proíbem o ensino de “ideologia de gênero” nas escolas mantidas pelas prefeituras. Até agora, já foram apresentadas sete ações contra as cidades do Novo Gama (GO), Cascavel (PR), Paranaguá (PR), Blumenau (SC), Palmas (TO), Tubarão (SC) e Ipatinga (MG). O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, entende que tais leis têm fundo religioso e estimulam o sofrimento, violência, marginalização e evasão escolar de homossexuais.

Nesse trecho da matéria fica escancarado que o Procurador-Geral da República associa a religião e no caso implicitamente refere-se  a religião cristã, à violência contra homossexuais.

Vejam essa outra

… Segundo ele, cada uma das sete leis “é obscurantista, porque almeja proscrever o próprio debate sobre uma realidade humana”.

O que afirmamos? Fazer uma correlação entre religião e obscurantismo é ou não é preconceito e intolerância?

Em resumo, Rodrigo Janot defende a ideologia de gênero nas escolas valendo-se do repugnante argumento de que a referida ideologia é a única e melhor solução em favor do respeito às diferenças. Não enxerga assim, que a ideologia de gênero nas escolas nada mais é do que uma violenta e arbitrária imposição contra crianças e jovens em processo de desenvolvimento físico, intelectual e moral.

Por Jakson Miranda

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS! 

[aps-counter]

5 comentários em “Janot defende ideologia de gênero nas escolas e promove preconceito religioso”

  1. Detalhe: o preconceito contra o Catolicismo é muito pior, pois vem há décadas nos livros “didáticos, ou melhor, de doutrinação. Não precisa ir longe. Basta pegar os temas:

    * Idade Média (“Idade das Trevas”, no linguajar esquerdista);

    * Cruzadas;

    * Inquisição;

    * Renascimento;

    * Protestantismo;

    * Escravidão;

    * Revolução Francesa.

    Na minha época ainda se ensinava que a Pio XII lançou mão de vários recursos da Igreja, inclusive conventos de clausura, para salvar judeus do nazismo. Hoje, as mentiras comunistas da “Operação Trono-12” estão rolando soltas por aí.

  2. Este Janot já demonstrou no episódio da jbs que é completamente tapado e torpe. Não me surpreende em nada estar promovebdo esta esparrela esquerdóide.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *