Intervenção militar e o blá,blá,blá de Reinaldo Azevedo

Xiiii… Dei uma saidinha da internet, (sim é possível) e quando volto, encontro um texto de Reinaldo Azevedo esculhambando aqueles que defendem uma intervenção militar contra a esquerda que se encontra no poder em Brasília.

Sou a favor de que as Forças Armadas intervenham? Até esse momento, não. Todavia, quem vai negar que por conta do período 1964 a 1985, as Forças Armadas se tornaram o grande “monstro” dos ditos intelectuais e da “classe pensante” do país? Será que tudo o que se narra acerca daquele período é verdade? Será que uma intervenção militar é algo tão repulsivo?

Reitero que nesse momento, não sou a favor de uma intervenção militar, daí a chamar aqueles defendem tal medida de burros, de brucutus e de constituírem hordas, há uma diferença muito grande, pelo simples fato de que não se trata de argumento, mas sim, de tentar vencer o debate gritando mais alto.

Por que, quem defende a intervenção é burro? Reinaldo Azevedo não responde.

Por que, quem defende a intervenção militar é brucutu? Qual a lógica? Reinaldo Azevedo não responde?

Por que, quem defende a intervenção militar, faz parte de hordas? Reinaldo Azevedo silencia a esse respeito.

Pois bem. Quando uma sociedade reconhece que um determinado grupo político, (governo/presidente) não merece estar mais no comando de uma nação, é dada a essa sociedade o direito de reagir a tal governo. E essa reação ocorre nos seguintes níveis:

  • Por meio das leis (eleições, impeachment, ações em tribunais de justiça, etc, etc)

  • Pela desobediência pacifica: Negar-se a cumprir qualquer determinação do governo/tirano

  • A fuga para outro país

  • E por ultimo, em último caso, o uso da força.

Entendem por que ainda não sou a favor de uma intervenção militar? Sim, porque no caso brasileiro, ainda não atravessamos as três etapas anteriores. Entendem por que acho um absurdo chamar os que defendem já nesse momento a intervenção, de burros? Apenas pelo fato de que eles acreditam que não há nada mais viável a ser feito?

Ademais, Reinaldo Azevedo não me engana mais. Já o criticamos Aqui e Aqui. Seu texto de hoje, além de dá uma piscadela para a esquerda petista ou tucana, revela também, certa incoerência de “Tio Rei”. Incoerência? Como assim?

Leiam isso:

Sim, caros, este é o paradoxo da chamada Primavera Árabe: com eleições livres, vencem partidos islâmicos — e é uma vontade da maioria! — que fatalmente transformarão o estado numa extensão da religião. Para que isso não corra, é preciso, então, que existam salvaguardas e impedimentos. Mas esses elementos de contenção e salvaguardas, vejam só!, só podem ser impostas por intermédio das Forças Armadas, que, então, têm de dizer à maioria que ela não pode tudo.

(…)

Os militares não puseram fim à “Primavera Democrática”. Isso é uma aberração. Puseram fim a um governo que ousou recorrer às regras da democracia para instaurar uma ditadura religiosa. Em que vai dar? Não sei. Depende agora do que fará a Irmandade Muçulmana. Só não venham me apresentar Mursi e sua turma como heróis do regime democrático, defenestrados por militares malvados. Aqueles milhões na praça a aplaudir o Exército como herói da libertação devem querer dizer alguma coisa.

Trata-se de um texto de Reinaldo Azevedo, escrito em 2013 e vejam só! Defendendo a INTERVENÇÃO MILITAR no Egito.

Os milhões na praça não eram burros? Não eram brucutus? Não faziam parte de hordas?  Quer dizer então que para Reinaldo Azevedo, é legitimo uma intervenção militar contra os radicais islâmicos, porém, é inadmissível uma intervenção militar, contra uma ditadura petista/comunista. Pura incoerência escondida em meio a muito blá,blá,blá, retórico.

 

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

Mentiras adverbiais: as muletas gramaticais da esquerda

Para choro e desespero da esquerda: Documentário sobre Olavo de Carvalho

O comunismo não morreu

O Impeachment e a Bíblia

ESQUERDA SEM CULPA, LIVRE PARA CONTINUAR ERRANDO

 

 

 

6 comentários em “Intervenção militar e o blá,blá,blá de Reinaldo Azevedo”

  1. Você falou as palavras que ficaram entaladas na minha garganta, Jackson. Sou fã do Reinaldo Azevedo desde que comecei a ler seus artigos, mas há algumas coisas nele que não posso subscrever, e sua posição sobre a ditadura militar, tal como explicitada nesse artigo surpreendente, é uma delas. Será algum resquício do esquerdismo dele? Um pouco de tucanismo?
    Você colocou os pingos nos i´s (sem trocadilho…). Parabéns!

  2. Nossa!, matou a pau! eu fui leitor do Reinaldo e minha opinião é que ele ficou vaidoso ao ponto de achar que sabe mais do que tudo e do que todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *