Poema ufanismo sem fim!

Recebemos do nosso amigo Sérgio Alvarenga, da Direita Minas, um poema que sintetiza à perfeição o Brasil desses tempos. O titulo do poema, ufanismo sem fim, deixa claro que diante de tanta corrupção, ausência de educação, segurança, etc, ser patriota, não poucas vezes, soa como um grande ufanismo…

Leia também

A cultura brasileira faliu. Agora você precisa cuidar da cultura dos seus filhos!

Cantor Seal desmascara Oprah Winfrey

Vamos ao poema!

Ufanismo sem fim

Como explicar tanta humilhação?

Para que tanta corrupção?

Sem ética ou pudor

Ceifam uma legião em estupor…

 

Reféns de uma quadrilha,

De covardes assaltantes,

Punguistas meliantes,

Uma nação sequestrada por infames…

 

Sem legislativo ou executivo,

Sem judiciário,

Uma espúria de senado,

Corrompidos desgraçados…

 

Tiram a vida, saúde e educação,

Tudo que dignifica uma nação,

Vivem sua desmedida ambição,

Referendados por castrada constituição…

 

Filas nos hospitais,

Lagrimas de pobres mortais,

Que veem pais, filhos e netos.

Tratados como abjetos…

 

Onde está a esperança?

Diante de tanta ignorância,

Somos obrigados a escolher

Quem fará o povo sofrer…

 

Muitos partidos,

Uma só armadilha,

Desta hoje pútrida nação,

São uma verdadeira quadrilha…

 

Valorizar a vida e a dignidade humana

É para poucos, apenas loucos

Não respeitam seus semelhantes,

Em sua covardia delirante…

 

Narcotraficantes, latifundiários,

Acobertados por um cúmplice judiciário,

Assassinos honorários,

De uma população de novos escravos…

 

Nenhum presidente irá resolver

O que só o povo pode fazer,

Não adianta escolher e votar

Só em quem irá apenas nos roubar…

 

Travestidos de excelência,

São pútridas excremências…

Acorda gigante adormecido

Vamos nos livrar dos bandidos…

 

Trago a herança de um país inteiro,

Que virou um puteiro,

Samba, futebol e carnaval,

Inércia, alienação e cara de pau…

 

Hoje nos resta a utopia,

De momentos inesquecíveis,

Momentos de nostalgia,

Que deveriam ser verossímeis…

 

Incríveis,

Dias que não chegarão,

Lutemos por dias de gloria,

Para que um dia usufruirão…

 

Toda uma legião,

Herdeiros de nosso sangue,

Continuarão, então,

Nossa luta que não é em vão.

Encerramos

Ao ler uma produção dessas, não há como não ficarmos esperançosos em relação à cultura brasileira. Ainda há fagulhas de talento e excelência… Ou será excesso de ufanismo crermos nisso?

Voltemos à Direita

Salário dos políticos, quanto deveria ser?

Muito se fala sobre o elevado salário dos políticos brasileiros:  deputados federais e senadores, deputados estaduais e vereadores. Além dos ocupantes do Executivo. O valor embolsado por nossas excelências fica ainda mais robusto quando se acrescenta à conta os inúmeros benefícios tais como auxilio moradia, apartamento funcional, passagens aéreas e diversas outras verbas cuja fonte, como não poderia deixar de ser, é o suado salário mínimo que a grande maioria dos brasileiros recebem, sem nenhuma outra verba extra.

De fato, o salário dos nossos congressistas figura entre os maiores do mundo, maior, inclusive, que o salário dos políticos de países de primeiríssimo mundo como Japão, Alemanha e Noruega.

Já escrevemos um interessante artigo sobre reforma política. Clique AQUI, leia e entenda nosso ponto de vista.

Por conta das enormes disparidades econômicas e sociais do Brasil, muitos defendem o fim dos supersalários para deputados e senadores. Particularmente, faço parte dessa turma. Mas, qual deveria ser o salário dos políticos? Qual métrica deveria ser utilizada? Em recente vídeo, o youtuber Nando Moura afirmou que como salário, nossos políticos deveriam receber um pirulito.

Decerto seria uma medida extremada que mais causaria danos do que benefícios. No entanto, trata-se de um tema de enorme interesse da sociedade, todavia,  não é abordado, até o momento, por nenhum dos pré-candidatos ao cargo de presidente da República. Alô Jair Bolsonaro!

Mas então, qual a sugestão? Acredito que todos nós estamos de acordo que os benefícios concedidos a essas autoridades representam um verdadeiro tapa na cara do trabalhador brasileiro. Assim, não há dúvidas de que eliminar auxílios e verbas seria uma medida de bom senso. E quanto aos representantes de outros estados, o que fazer quanto à moradia e deslocamento para seus estados de origem?

Leia também:

O PT está com medo de você! Durma com este barulho!

Por que sou conservador?

Bem, estamos em pleno século XXI. Qualquer pessoa de qualquer lugar do Brasil e do mundo pode manter-se bem informada sobre o que está acontecendo no estado do Pará, por exemplo. Então, que se limite o benefício das passagens aéreas a tão somente uma passagem por mês. Quanto à moradia, que nossas autoridades ocupem moradias populares, construídas unicamente para este fim, e não os luxosos apartamentos funcionais. Que o parlamentar ocupe casas e apartamentos luxuosos, por sua própria conta.

Por fim, quanto ao salário dos políticos que tão bem nos representam, entendo que por ser uma função que requer dedicação integral por parte do eleito, seria contraproducente estabelecer uma remuneração simbólica de um salário mínimo, por exemplo. Por quê? Porque tal medida afastaria da vida pública aqueles indivíduos que têm boa formação acadêmica. Assim, tendo em vista esse ponto, acredito ser de bom tom adotar o seguinte critério para estabelecer a remuneração parlamentar:

Cada deputado ou senador receberá a média salarial de sua profissão ou formação acadêmica, com a ressalva de tais vencimentos não ultrapassarem o teto de R$ 15.000. Nada mais justo, não? Se a média salarial de um médico é de R$ 14.000, como parlamentar ele receberá esse mesmo valor. Bom senso e coerência como principio basilar!

Logicamente que o que vai acima requer estudos mais aprofundados. Trata-se de um tema que obrigatoriamente deve sim, ser debatido e por estarmos em ano eleitoral, nada mais oportuno do que trazer essa questão à mesa de discussão. O que não é justo e compreensível é o trabalhador brasileiro ter um salário mínimo inferior a mil reais e seus representantes terem altos salários e todos os tipos de regalias e mordomias.

Supersalários e mordomias são um dos principais fatores que levam nossa política a ser tomada por oportunistas de plantão e aventureiros. E isso tem que acabar!

E você, concorda com nossa opinião? Responda nossa enquete e mande-nos seu comentário!

 

Por Jakson Miranda

Cantor Seal desmascara Oprah Winfrey

O cantor Seal é dono de alguns dos hits mais tocados na década de 90, como “Crazy”, “Kiss from a Rose”, entre outros. Ou seja, é uma pessoa que faz parte do show business, é uma pessoa que conhece bem o show business e faz (fazia) parte do mundo vivido pela beautiful people hollywoodiana.

Como conhecedor das entranhas do mundo das estrelas, coube ao cantor Seal desmascarar a hipocrisia de Oprah Winfrey.

Após fazer um “discurso” “histórico” e “poderoso” (se tivesse soltado um peido teria sido considerado histórico e poderoso. Não duvide das formas de protesto de certas feministas) na premiação do Globo de Ouro, contra os abusos sexuais sofridos e relatados por diversas atrizes, a grande mídia logo tratou de apontar uma suposta candidatura de Oprah Winfrey à Casa Branca. Rápidos como coelhos, logo trataram de parir uma pesquisa que colocavam a celebridade dez pontos à frente de Donald Trump. Eis o ponto de euforia histérica da turma.

Leia também:

O calcanhar de Aquiles de Jair Messias Bolsonaro

Ratinho detona Globo: ‘tem muito viado’

Só não contavam com as declarações do cantor britânico. Disse Seal sobre o caso de assedio sexual e a apresentadora Oprah Winfrey: “Quando faz parte do problema há décadas mas de repente todos acham que é a solução“.

Vejam a foto e a frase que o cantor postou em uma rede social

 

Na primeira, Oprah beija carinhosamente o diretor Harvey Weinstein, acusado de assédio. Em seguida, a apresentadora e o diretor conversam animadamente.

Enfim, coube ao cantor Seal, desmascarar a hipocrisia de bilionária Oprah que nada mais é do que mais uma seguidora cega do politicamente correto, ou seja, detentora de um discursozinho pronto para o grande público, mas que por outro lado, possui um estilo de vida cujas atitudes em nada coadunam com aquilo que tagarela para os pobres incautos que  acreditam nos anjos de Los Angeles.

Por Jakson Miranda

O calcanhar de Aquiles de Jair Messias Bolsonaro

Em sua carreira política, Jair Messias Bolsonaro já foi filiado a oito partidos, indo em 2018 para o nono. Nesse aspecto, enquanto a grande mídia critica o deputado, pondero que as referidas e recorrentes mudanças se dão primordialmente por falta de um escopo ideológico dos partidos políticos brasileiros.

Todavia, admitimos que nesse particular, reside, a meu ver, o ponto frágil do deputado Jair Messias Bolsonaro. Oras, se os partidos políticos brasileiros não primam por sólidas diretrizes que representem os valores da sociedade, por que não criar uma legenda que atenda a essa demanda? Sim, seria mais uma, porém, seria um partido de valores sólidos e autentico.

Em junho passado escrevemos um artigo intitulado Emmanuel Macron envia recado a Bolsonaro. Abaixo, reproduzimos alguns pontos do texto:

Apesar de se apresentar como um outsider e contra o establishment, Donald Trump contou com o apoio logístico, nada mais, nada menos, que do Partido Republicano, além de ser ele próprio um magnata. Observem que a situação de Bolsonaro é diametralmente oposta! Não tem um grande partido que lhe dê suporte e não é um magnata. A não ser por seus filhos, podemos contar nos dedos outros políticos que devam apoiá-lo e trabalhar em suas bases eleitorais em prol de Bolsonaro.

Leia também:

Escreva um artigo sobre o julgamento de Lula e concorra a um livro

O que mais a militância gayzista quer?

Em síntese, é impossível que Jair Bolsonaro saia do PSC e filie-se a um partido maior. Qual? Vou além, é impossível que Bolsonaro saia do PSC e vá para um partido que não esteja envolvido em algum escândalo de corrupção recente. Ou seja, Jair Bolsonaro é um exercito de um homem só.

É nesse contexto que ecoa hipoteticamente, Emmanuel Macron enviando um recado para Bolsonaro.

Diria Macron  a Bolsonaro: “Eu vi o interior do nosso sistema político, que interrompe a maioria das ideias porque elas podem ameaçar a máquina, os partidos tradicionais e os interesses velados”.

O diagnóstico de Macron para o sistema político francês não é diferente do diagnóstico que Donald Trump fez do sistema político americano e não é diferente do que qualquer brasileiro consegue fazer do nosso sistema político. E enquanto Donald Trump contou com o apoio (a contragosto em alguns momentos) do portentoso Partido Republicano, Emmanuel Macron optou por criar seu próprio partido. Não se enganem, goste-se de suas ideias ou não, o atual presidente da França tem plenas condições de mesmo após o fim do seu mandato, continuar a ser um importante líder no tabuleiro político da França e Europa.

Enquanto isso, Bolsonaro vive a migrar de um partido tradicional a outro.

Nesse ponto, o recado não vem de Macron e deixa de ser um recado hipotético. Somos nós que ansiamos por um partido político conservador no Brasil que mandamos um recado para Bolsonaro: Por que ao invés de perambular de um partido a outro o deputado não encabeça a criação de um partido que efetivamente represente a direita?

Encerramos

A falta de um partido politico efetivamente conservador é o principal calcanhar de Aquiles do deputado Jair Messias Bolsonaro. Obrigando-o a recorrer com frequência ao expediente de ter que mudar de legenda, o que não é bom para seu projeto político e menos ainda para o Brasil.

Por Jakson Miranda

Ratinho detona Globo: ‘tem muito viado’

O apresentador Ratinho, do SBT, que fala a linguagem do povão e por isso ainda hoje faz sucesso, detona as novelas da Globo. Para o apresentador, nas teledramaturgias da emissora carioca, ‘tem muito viado’.

Veja o video

Ao postar o vídeo, Ratinho atraiu para si as hordas dos intolerantes, e com certeza, será acusado de “homofobia”. Todavia, vamos pinçar o que disse Ratinho:

“… A Globo colocou viado até em filme de cangaceiro, gente. Naquele tempo não tinha viado não. Você acha que tinha viado naquele tempo? É muito viado! É viado as seis horas da tarde. É viado as oito da noite. É viado as nove da noite. É viado as dez da noite! Mas é muuito viado. Eu não sei o que tá acontecendo? Não tem tanto viado assim, ou tem? Será?”

A fala do apresentador do SBT é bastante esclarecedora porque, em essência, se  trata de uma colocação bem interessante. Primeiro, Ratinho questiona a Globo por ter inserido a temática gay em um filme de cangaceiro. Naquele tempo não tinha viado não. Pois é. Embora o homossexualismo remonte aos tempos bíblicos, é difícil imaginar que no bando de Lampião tivessem gays ou lésbicas. Será que Maria Bonita era na verdade um homem? Brincadeiras à parte, é difícil crer que no Nordeste do final do século XIX e início do XX as pessoas estivessem tão desesperadas de desejo por outras do mesmo sexo.

Leia também:

Bolsonaro é o preferido entre os jogadores de futebol

Em Bauru, professor de História propaga sua ladainha idiotizante

Ratinho lembra ainda que em toda a programação da Globo há a inserção da temática gay: É viado as seis horas da tarde. É viado as oito da noite. É viado as nove da noite. É viado as dez da noite! Mas é muuito viado. Eu não sei o que tá acontecendo? Não tem tanto viado assim, ou tem”?

Aí centra-se o principal eixo da questão. Por mais que se advogue o respeito aos homossexuais, lembrando que cada um deve ser respeitado, independente do que faz entre quatro paredes, é exagerada a forma como a maior emissora do país aborda a questão em seus folhetins que pouco tratam da questão do respeito ao homossexual, optando por mostrar homens se pegando, mulheres se agarrando em cenas vergonhosas que beiram o sexo explicito.

Assim, fica visível o caráter obsessivo da Globo sobre essa questão e quanto mais insistir nisso, mais vai ficando claro que o Brasil está se cansando da Globo Lixo. O fundo do poço será o seu auge!

Por Jakson Miranda

Frio nos EUA é culpa do aquecimento global

É culpa do aquecimento global o intenso frio que parte dos Estados Unidos está enfrentando nesses últimos dias. De forma impressionante, por culpa do aquecimento global, faz-se calor no verão e frio intenso no inverno.

Para disfarçar seu neopanteísmo, alguns bobos, apoiados pela ONU, propalam a ideia de que as mudanças climáticas pela qual passa a Terra desde que é Terra, são consequência negativa da ação do homem.

Leia também:

Veja o que essa professora fez! O próximo pode ser o seu filho.

GREGÓRIO DUVIVIER: O ATEU QUE NÃO CONHECE A BÍBLIA

Assim, se no verão chega-se a altas temperaturas, isso se dá por culpa do aquecimento global. Se no inverno as temperaturas ficam abaixo de zero, não há outro culpado senão o aquecimento global. Essa é a lógica dos “expertinhos”.

Também aqui, temos a lógica marxista de “luta de classes”. Há os bonzinhos e os maus. Há os que defendem o meio ambiente e aqueles que querem destruir. Há os iluminados e aqueles que vivem no obscurantismo. Será que algum ser humano em sã consciência odeia a natureza e age para destruir o meio ambiente? Pela lógica dos defensores do aquecimento global, sim!

Fazendo troça da vergonha alheia, o presidente Donald Trump não deixou passar barato e mandou ver:

No leste, pode ser a noite de fim de ano mais fria registrada. Talvez pudéssemos usar um pouco desse bom velho aquecimento global que o nosso país, não os outros, ia pagar bilhões de dólares para combater. Agasalhem-se!

E não é apenas nos EUA que o frio chegou de forma rigorosa. Também por culpa do aquecimento global, dezenas de voos foram cancelados devido a neve no Reino Unido. Uau!

Provocações à parte, a questão é que não há um consenso se o planeta está passando por um processo de aquecimento ou de esfriamento. Sim, para quem ainda não sabe, há especialistas que defendem a tese de que a terra entrou em uma mini era glacial. Os EUA e o Reino Unido que o digam!

Por Jakson Miranda

 

Cristãos: os únicos que não podem se sentir ofendidos

No mundo contemporâneo, todo mundo o tempo todo está se sentindo ofendido por algo e reclamando direitos. Não há grupo identificatório que não esteja participando de alguma gritaria em prol da satisfação de suas necessidades.

O vitimismo atinge patamares estelares: homossexuais, militantes raciais, muçulmanos, seguidores de religiões de matriz africana, feministas, abortistas, maconheiros… todo mundo tem seu canal próprio de escândalo para exigência de seus direitos.

E tais demandas acabam sempre amplificadas pelo poder midiático, que, em sua inclinação progressista indisfarçável, transforma quaisquer destes manifestos em verdadeiros movimentos sociais vultuosos, mesmo que o evento em si tenha contado com meia dúzia de imbecis defendendo maconharias estúpidas na frente do MASP.

Quando qualquer crítica é realizada contra a violência praticada por grupos terroristas islâmicos o papel é rapidamente invertido. A Globo News consegue transformar um atentado terrorista de islâmicos contra cristãos num motivo para advogar o quão injusto é taxar os muçulmanos de terroristas!

Se o tema é intolerância religiosa, as vitimadas serão sempre as religiões de matriz africana. O tom usado faz parecer que há um verdadeiro exército das Cruzadas exterminando seus praticantes, ou que os mesmos precisam se reunir em catacumbas para se esconder do ímpeto censório dos cristãos intolerantes.

Leia também:

Totalitarismo LGBT

Ativista gay quer limites à liberdade de crença

A Revolução Anticristã

Primeiro o Gayzismo, depois o feminismo

Em relação aos homossexuais então nem se fala. Espirre alto perto de um homossexual e você pode ser acusado de homofobia. Se disser então que perante a Bíblia a homossexualidade é pecado, estará sujeito às acusações de propagador de crime de ódio, não importa que os “ofendidos” não sigam seu parâmetro de fé e, portanto, não liguem para o que você considera ou não pecado, assim como também não se leva em consideração o fato de que dizer que algo é pecado não obriga ninguém a concordar com isso ou mesmo parar de pecar.

Mas não. É ofensa. É radicalismo. É ódio.

Os únicos que não podem se sentir ofendidos por nada são os cristãos.

Se reclamarem, serão acusados de censores das opiniões alheia, afinal, no atual pós-moderno, só é liberdade a liberdade dos não cristãos.

Assim, mesmo quando sob vítima de atentados islâmicos, os cristãos que não ousem manifestar indignação, não no mundo multicultural que legitima que os muçulmanos exprimam suas diferenças culturais através do morticínio de quem não siga seus preceitos.

E mesmo que seu ardor corânico recaía sobre os homossexuais, os mesmos juízes não darão um pio, e se algum cristão ousar apontar a contradição, será ele o acusado de intolerância.

De igual modo, que os cristãos não se metam a criticar os artistas ou militantes gayzistas que praticarem vilipêndio contra sua crença. Não importa que a “arte” seja um Cristo sendo violentado sexualmente ou alguém realizando atos masturbatórios com cruzes.

Nestes casos, e tão somente nestes, o grupo ofendido não tem o direito de reclamar. Nestes casos, e somente nestes, vale a liberdade de expressão do ofensor.

Cristão conservador, no novo modal contemporâneo, não possui liberdade de expressão.

Cristão conservador, no novo modal contemporâneo, é sempre o ofensor.

 

Por Renan Alves da Cruz

 

Publicado no portal Gospel Prime

Jair Bolsonaro fala a verdade e ameaça a Globo

Jair Bolsonaro fala a verdade e com isso, ameaça a Globo, pois se eleito, pagará a emissora, por publicidade, aquilo que ela de fato merece.

Como sabemos, o pré-candidato a presidente da República, segue o estilo Trump em relação às fake news, que nada mais são do que a grande mídia. E qual é o estilo? Confrontar os veículos de imprensa que vivem de distorcer os fatos. Ou seja, Jair Bolsonaro fala a verdade, doa a quem doer.

Leia também:

Ideologia de gênero chega à Igreja Luterana. Rasgaram a Bíblia!

Qual a ideologia da Direita Conservadora?

Ao falar a verdade, em vídeo gravado recentemente, Bolsonaro ameaça a Globo. Não, não entendam ameaça como perseguição e o próprio Bolsonaro esclarece isso. Veja o vídeo

Não há muito o que ser escrito. Apenas reafirmar que Bolsonaro fala a verdade sobre a Globo e o mesmo valeria para qualquer outro grande veiculo da imprensa.

Sinceramente, todos os dias procuro um motivo para não votar em Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018, porém, o pré-candidato só me traz motivos que me convencem que não há outra escolha. É melhor Jair se acostumando!

Por Jakson Miranda

As repetidas demonstrações da natureza antidemocrática do PT: parte 4

Por Alexandre B. Cunha, publicado no portal O Direitista: 

Este é o quarto de uma série de seis textos nos quais são discutidas algumas das recentes demonstrações da natureza antidemocrática do PT. Analisa-se abaixo como o comportamento dos seus militantes durante o desenrolar dos episódios que culminaram no impeachment de Dilma Rousseff evidenciou, mais uma vez, o desapreço daquela organização pela democracia.

Os petistas afirmaram repetidamente que o afastamento de Dilma era um golpe de estado. Todavia, o impeachment do presidente da República está previsto na Constituição Federal e em outras normas legais do país. Adicionalmente, a Sra. Dilma Rousseff teve amplo direito de defesa e a tramitação do pedido de impeachment na Câmara e no Senado foi regulada pelo STF. Vale lembrar que na época oito dos onze integrantes daquela corte haviam sido indicados por Lula e Dilma. Como não existe golpe de estado sem que uma norma legal seja violada, a alegação dos militantes socialistas é tão verdadeira quanto uma nota de três reais.

Ao afirmarem que o impeachment era um golpe, os petistas tentaram deslegitimar um instrumento integrante do ordenamento político e jurídico da nossa República. Sejamos claros: isto se constitui em um ataque frontal à democracia. Essa postura se torna ainda mais condenável quando se leva em conta que o PT apoiou diversos pedidos de impeachment dos presidentes Fernando Collor, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso (link 1 e link 2).

Leia também: 

As repetidas demonstrações da natureza antidemocrática do PT: parte 1

As repetidas demonstrações da natureza antidemocrática do PT: parte 2

Evidentemente, o PT não poderia se contentar em exibir tão somente o reprovável comportamento descrito acima. O partido precisava ser ainda mais antidemocrático… Em pelo menos duas ocasiões os petistas sugeriram que estavam dispostos a utilizar a violência contra os brasileiros que defendiam o afastamento de Dilma Rousseff. A primeira delas ocorreu no dia 24 de fevereiro de 2015, quando Lula afirmou que João Pedro Stedile (presidente do MST) iria colocar o “exército dele do nosso lado” para “brigar” com os manifestantes favoráveis ao impeachment. A fala em questão é reproduzida no vídeo abaixo.

A segunda ocasião se verificou no dia 13 de agosto de 2016. Naquela data, diversos militantes socialistas se reuniram no Palácio Planalto para participar de um evento denominado “Diálogo com Movimentos Sociais”, o qual tinha como objetivo demonstrar que eles eram contrários ao impeachment de Dilma. Ao manifestar o seu apoio àquela que arquitetou uma das maiores crises econômicas já enfrentadas pelo Brasil, o Sr. Vagner Freitas (presidente da CUT) declarou que os petistas deveriam “ir pras ruas, entrincheirados com arma na mão, se tentarem derrubar a presidenta Dilma Rousseff” e que “nós seremos o exército que vai enfrentar essa burguesia na rua”. Segue-se um vídeo com o ‘pacífico’ pronunciamento.

Em síntese, o PT usou e abusou do direito de apresentar e apoiar pedidos de impeachment de presidentes que não pertenciam ao partido. Apesar disso, os petistas foram, e ainda são, suficientemente despudorados para afirmar que o afastamento de Dilma foi um golpe. Adicionalmente, eles ameaçaram utilizar armas e exércitos contra os brasileiros honestos que se manifestavam pacificamente pelo legal afastamento de uma presidente incompetente e despreparada. Somente uma organização antidemocrática é capaz de se comportar dessa forma.

 

Por Alexandre B. Cunha, publicado no portal O Direitista: 

 

Em 2018, Rodrigo Maia será o candidato da politicagem

O deputado federal Rodrigo Maia, do DEM, hoje, não apenas preside a Câmara dos Deputados. É o homem que no meio político, dá sustentação ao governo de Michel Temer. Exatamente por isso, o parlamentar que para alguns é conhecido como Botafogo, ganha cada vez mais força.

Sua ascensão é tanta que há alguns dias Rodrigo Maia conseguiu emplacar para o Ministério das Cidades um quadro que em muito irá melhorar a qualidade de vida da sociedade brasileira: Alexandre Baldy.

Para o grande público, Baldy pode passar despercebido ou ao menos, ser visto como uma figurinha nova que de tanta competência, é galgado ao posto de ministro. Pois bem, não é bem assim. Apesar de ser jovem, Alexandre Baldy já foi apontado como aliado de Carlinhos Cachoeira.  Esse é o homem que Maia indicou para ministro.

Leia também:

Por que raios Bolsonaro não encabeça a criação de um partido de direita?

Para datafolha Lula lidera, mas quem cresce é Bolsonaro

Assim, Maia vai influindo no governo Temer e embora de forma discreta, vai pavimentando seu nome para candidato a presidente em 2018. Sua estratégia, ou ao menos seu nome, segundo a revista Isto É, tem o apoio de Michel Temer.

Nos encontros com políticos e jornalistas, Michel Temer não cansa de repetir que considera essencial a entrada na corrida sucessória de um candidato que represente o legado de seu governo. Até agora, não fala de nomes. Mas em Brasília, começam a surgir comentários sobre as chances de o deputado Rodrigo Maia desempenhar o papel previsto pelo presidente”.

Faz sentido. Rodrigo Maia facilita a governabilidade do mandato de Temer e este, garante-lhe o apoio do PMDB. No Rio, Maia já tem nome para lhe apoiar, seu pai, César Maia. Que tanto pode sair candidato a governador como para senador.

Como veem, as peças se encaixam perfeitamente. Para o DEM é uma perspectiva de volta gloriosa ao poder. Para o PMDB, na ausência de um nome mais palatável, poder indicar o vice e manter-se no poder, é o melhor dos mundos.

Não devemos nos enganar. Em 2018, o PMDB e Cia virão para cima, eles tem a máquina a seu favor e usarão isso, tal qual fez o PT. Talvez esteja aí, o grande desafio de Bolsonaro.

Trocando em miúdos. O nome de Luciano Huck não passa de um balão de ensaio. O que está mesmo em articulação, é a candidatura de Rodrigo Maia. Será ele o nome do “centro”, contra a sandice de um retorno de Lula e contra a “extrema” direita de Bolsonaro.

Não, não. Rodrigo Maia, caso se confirme o prognóstico, não será o candidato do “centro”. Será o candidato da politicagem. Será o candidato do mais do mesmo. Será o candidato do “tem que manter isso aí, viu”?

Alexandre Baldy é a carta de boas vindas que Maia manda aos brasileiros. Não concorda? Deixe sua opinião:

Por Jakson Miranda