Guilherme Boulos, o playboyzinho agitador, é cotado para se candidatar à Presidência!

Comece a semana com esta!

Segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo, uma articulação entre certos grupelhos de esquerda, a saber, uma parcela dissidente do PT, um grupo do PSOL  e o MTST(!) visa projetar um nome capaz de capitanear a nau canhota no novo momento político brasileiro, visando as eleições de 2018.

Os “presidenciáveis” cogitados são Tarso Genro (PT), Chico Alencar (PSOL) e, pasmem, o onipresente Guilherme Boulos!, o playboy símbolo da esquerda mimada, coordenador do MTST.

Não considero que dinossauros da esquerda brasileira aceitem prostrar-se à empáfia ofegante de um Guilherme Boulos, mas, analisando a situação baseado no “onde há fumaça há fogo”, a notícia não passa despercebida, chegando ao nível do estupefaciente.

A pancada nas eleições municipais parece lhes ter causado um atordoamento ainda não superado.

Fernando Haddad, defenestrado em grande estilo em São Paulo, concedeu uma entrevista ao mesmo jornal, em que, com sua retórica ostentosa, afirmou que a esquerda terá que se reinventar, e que as próximas eleições serão disputadas entre “a direita e a extrema-direita”.

A despeito de as definições de direita e extrema-direita de Haddad valerem tanto quanto um vaso sanitário com a descarga quebrada, sua opinião, sendo ele um intelectualzinho afobado de esquerda, serve pelo menos como termômetro.

Não tenha dúvida de que a sugestão do nome de Guilherme Boulos surge no bojo das discussões de momento a respeito dos outsiders e do cansaço da população com a política tradicional.

É a esquerda querendo aplicar, no seu lado sinistro, o marketing que funcionou para Trump e Dória, guardadas as diferenças entre eles.

Ninguém é inocente a ponto de achar que os intentos de Boulos não são políticos. É claro que cedo ou tarde ele se candidatará a algum cargo, mas confesso, que em minhas elucubrações secretas, sempre pensei que sairia para deputado pelo PC do B ou pelo PSTU. Quem sabe até prefeito ou governador pelo PCO, mas candidatar-se a presidente, liderando uma frente de esquerda é muita cretinice arrogante!

Entretanto, torço que dê certo. Será lindo ver Bolsonaro espancá-lo nas urnas em 2018.

Fico só ansioso em saber como Boulos lidaria com uma derrota num pleito.

Aceitaria ou sairia com uns mascarados para queimar uns pneus?

 

Por Renan Alves da Cruz 

2 comentários em “Guilherme Boulos, o playboyzinho agitador, é cotado para se candidatar à Presidência!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *