Grupo islâmico quer impedir que líder cristão ore na posse de Trump

O que vocês acham de um determinado grupo islâmico tentar barrar que um líder cristão esteja presente na cerimônia de posse do presidente eleito Donald Trump? Pois é! Não se trata de algo inimaginável.

O republicano Donald Trump tomará posse no próximo dia 20. Estamos falando de um dos momentos mais singulares que ocorrerá no país de maior importância política e econômica da atualidade.

Falo do funcionamento pleno da democracia. E por falar em democracia, um grupo islâmico, mas precisamente o Conselho de Relações Americano-Islâmicas (CAIR) quer convencer Donald Trump a não permitir que Franklin Graham ore na cerimônia de posse do novo presidente.

Vou repetir!

Um grupo islâmico quer impedir que Franklin Graham, filho do famoso pastor Billy Graham, ore na posse de Donald Trump.

É evidente que o presidente eleito não acatará tal “conselho” e poderá receber orações para que Deus abençoe sua gestão e seu país. Muito provavelmente, Graham não será o único religioso presente na cerimônia. É igualmente provável que Graham não seja o único a clamar as bênçãos de Deus sob o novo governo.

O suposto problema remonta ao ano de 2015, quando Franklin Graham fez a seguinte declaração pelas redes sociais:

Todo muçulmano que vem para este país tem o potencial para ser radicalizado e morrem para honrar a sua religião e Muhammad“.

Se ele quis mesmo dizer o que vai acima, alguém pode enxergar aí uma fala imprudente, uma vez que não são todos os muçulmanos que se radicalizam. Mas, usar tal fala para barrar sua presença em um evento que representa os valores democráticos de uma nação? Aí já é demais, não?!

Além disso, é importante sabermos o que realmente Franklin Graham pensa sobre os muçulmanos. Leiam outra declaração sua:

“Os muçulmanos são ofendidos quando as pessoas zombam da sua fé. Eu discordo do Islã. Mas só porque eu discordo, eu não vou zombar deles ou recorrer à violência. Nós precisamos mostrar respeito às pessoas de outras raças e crenças. O que aconteceu com a civilidade e o respeito?”

O que vocês acham? Está claro e não há sombra de duvidas de que o referido Conselho quer mesmo é impor censura e perseguição religiosa em pleno solo americano, Quanta ousadia!

Onde estão o respeito, a civilidade e o espírito democrático? Com a palavra, os lideres islâmicos.

Por Jakson Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *