Só a direita pode criticar Gilmar Mendes, a esquerda não

O que penso de Gilmar Mendes? Creio que o mesmo de todo brasileiro decente, não cooptado por algum agrupamento nutrido de interesses: que sua atuação é desastrosa, vergonhosa, desanimadora e digna de um Impeachment.

Penso que Gilmar representa um Brasil bravateiro, cujo esgoto a céu aberto não atinge as narinas ungidas dos amigos dos poderosos.

Penso que Gilmar representa o “você sabe com quem está falando”.

Penso que Gilmar representa o “tem que manter isso aí”.

Já dissemos aqui que Acórdão Político é com Gilmar Mendes.

Agora, coloquemos os trens nos trilhos. Não há esquerdista e defensor do petismo com moral e desenvoltura para criticá-lo. Só quem tem isonomia e autonomia para tecer críticas ao ministro são aqueles que desde o princípio do terremoto político brasileiro demonstraram que não tinham político corrupto algum sob esconderijo ou salvaguarda.

Fomos nós que saímos as ruas para apoiar a Lava-jato e derrubar o também corrupto governo petista, chamados então de golpistas pelos que agora se arvoram à condição de guardiões da ética pública.

Não podemos aceitar a usurpação desta condição. A esquerda já detém o monopólio do discurso dentro do ambiente acadêmico. Nossa posição como efetivos combatentes anti-corrupção precisa ser estabelecida, sem que inimigos pontuais do projeto que a esquerda planeja a permitam assumir o discurso ético.

Gilmar é só mais uma vergonha do Brasil, uma vergonha como tantas outras que a esquerda brasileira vaticinou ao longo dos últimos anos.

Só a direita pode criticar Gilmar Mendes, a esquerda não.

Por Renan Alves da Cruz

Related Post

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *