Filme cristão é proibido na França

Ano passado postamos aqui o trailer do filme cristão ” A Estrela de Belém”. Na ocasião, usamos o seguinte titulo: A estrela de Belém promete ser boa animação para a criançada

Reveja o trailer

Pois bem, já há alguns dias saiu a informação de que o filme cristão foi proibido na França. Leia matéria do site Gospel Prime:

A cidade de Langon, no Estado de Gironde, como quase toda a França usa um padrão duplo nas questões religiosas. Ao mesmo tempo que permite orações muçulmanas nas ruas às sextas-feiras, fechando ruas e desviando o trânsito para garantir a “liberdade” de seus cidadãos, usa o argumento de Estado laico toda vez que a questão envolve o cristianismo.

Leia também:

Radicalismo islâmico: desconhecimento, medo ou complacência?

Discussões sobre intolerância religiosa sempre são anticristãs

Uma animação norte-americana sobre o Natal, chamada “A Estrela do Natal” em francês (por aqui é A Estrela de Belém) foi proibida de ser apresentada para alunos das escolas públicas de Langon. O argumento é que ela era “cristã demais”.

O longa conta a história do nascimento de Jesus pela ótica dos animais que estariam envolvidos na jornada da Sagrada Família até Belém. Mais de 80 alunos de uma escola municipal assistiam ao filme no cinema Le Rio, quando alguns professores pediram que a exibição fosse interrompida, mesmo estando perto do fim.

Encerramos

Aqueles que Proibiram as crianças de verem o final de um filme cristão certamente não proibiriam a exibição de um filme sobre Maomé.

Aqueles que praticam uma desmascarada Cristofobia, não titubeiam em exibir para crianças em tenra idade, filmes e “aulas” em clara apologia à ideologia de gênero.

O que ocorre na França não é muito diferente do que ocorre no Brasil, quando o Ministério Público ordenou que uma rede de supermercados suspendesse a distribuição de uma cartilha cristã.

Proíbe-se filme cristão. Proíbe-se devocionais cristãos. Logo mais, o cristianismo como um todo será proibido, em nome da democracia e do respeito às diferenças.

Por Jakson Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *