EUA querem acabar com a corrupção no futebol: Tremei, petralhas!

Eu estava disposto a tirar esse dia de folga e não publicar nada no blog, mas que folga que nada. Leio uma noticia ou outra e não resisto. Tenho que comentar!

Foi deflagrada hoje uma operação surpresa a pedido de autoridades norte-americanas. Nessa operação, foram detidos sete dirigentes da FIFA, entidade máxima do futebol. Entre os detidos, está o ex-presidente da CBF, José Maria Marin. Só mesmo a justiça do mundo civilizado para lembrar-nos de que a justiça existe para ser justa, ou seja, autuar quem trafega à margem da lei.

José Maria Marin, um senhor de 81 anos, protagonizou em 2012 uma cena pra lá de inusitada no meio futebolístico nacional. Representando a CBF na premiação final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, Marin foi flagrado embolsando uma medalha. Vejam o vídeo:

Segundo um dirigente do Corinthians à época, todos os jogadores receberam a medalha, porém, alguns membros da comissão técnica, não.

O diretor das categorias de base do Corinthians, Fernando Alba, afirmou ao Estado que todos os atletas receberam medalhas, entretanto, alguns membros da diretoria e da comissão técnica ficaram sem a premiação.

“Todos jogadores receberam a medalha, inclusive o Matheus (goleiro). Ele saiu machucado e não participou da festa, mas depois entregaram para ele a medalha. Mas alguns membros da comissão técnica e da diretoria não receberam. Eu mesmo, não recebi a minha, mas tudo bem”, disse o dirigente

Na ocasião, o episódio rendeu criticas sim, entretanto, o fato ficou relegado apenas ao folclore do futebol. Hoje, a saga Marin teve um encontro com a justiça.

José Maria Marin, não é o único, que fique claro. É público o notório o quanto que outro senhor, Ricardo Teixeira, reinou absoluto como “dono” do futebol brasileiro. Me surpreende ele não ser um dos detidos.

Agora, vejamos o que informa o site de Veja.com

2014 – Richard Weber, responsável da seção de investigações criminais da Direção do Imposto de Renda (IRS) americano, chamou o escândalo de “Copa do Mundo da fraude” e disse que “a Fifa levou um cartão vermelho”. Ele disse ainda que a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, também será alvo de investigações, mas não apresentou nenhuma irregularidade até o momento.

Já a promotora federal do distrito de Brooklyn, Kelly Currie, avisou que a detenção de altos dirigentes “é apenas o início do nosso esforço para combater a corrupção no futebol”. Apesar da crise, a Fifa manteve a eleição presidencial, entre o atual mandadário Joseph Blatter, e o príncipe da Jordânia, Ali Bin al-Hussein, para esta sexta-feira.

Voltamos

Os EUA ainda não têm tradição no Soccer, mas, se tomarem gosto pelo esporte, a FIFA certamente terá que curvar-se à transparência. É o que esperamos.

No caso brasileiro e a Copa 2014, será que estaremos diante de mais um escândalo de proporções colossais para o Planalto? Não duvido, porém, mesmo que não chegue a tanto, os sinais que a justiça americana nos envia é de deixar envergonhados nossos políticos e principalmente, nossa justiça.

Por aqui, tornou-se algo corriqueiro nos períodos de reformas e construções dos estádios para a Copa 2014, ouvir-se falar em cifras milionárias em um dia e vinte e quatro horas depois os números serem atualizados, sempre para cima. O caso do estádio do Corinthians é emblemático, mas, não só ele. Alguns “elefantes brancos” foram construídos com dinheiro público. Poucos se preocuparam com o destino das verbas bem como, com o custo-benéfico da empreitada. Qual custo-benefício?  Cadê as obras de mobilidade? Cadê o legado social? Quem, pobre mortal, teve sua vida minimamente melhorada com a realização da Copa do Mundo no Brasil?

Creio que já passou da hora da nossa justiça e nossa imprensa investigativa, se debruçarem sobre as contas do evento. Talvez tenhamos aí mais uma fonte de pagamento de propinas á lobistas e por que não, a partidos políticos.

Nesse momento, muitos corruptos e corruptores Brasil afora estão tremendo. Será que temos petralha com crise nervosa?

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

O exemplo de Guga e a falência do esporte brasileiro

Andres Sanchez e a espúria mistura entre política e futebol

Boca Juniors X River Plate: outra vergonha que poderia ter sido evitada. Vamos fazer como Margaret Thatcher?

Lula na CPI da Petrobrás?

CPI do BNDES é imprescindível

Um comentário em “EUA querem acabar com a corrupção no futebol: Tremei, petralhas!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *