Em Bauru, professor de História propaga sua ladainha idiotizante

Alguém conhece o senhor Carlos Alexandre D’Incão? Provavelmente não! Da minha parte, o pouco que sei sobre a figura repassarei aqui neste post, mas, uma rápida pesquisa no Google e descobrimos que existe um Instituto de ensino D’Incao. Sim, o instituto, pertence a Carlos Alexandre e o mesmo se orgulha dos seus feitos, oferece curso pré-vestibular gratuito para alunos de baixa renda . O mestre também se orgulha de ter se formado pela USP.

Fico cá a imaginar a carga de doutrinação que seus alunos recebem nesses cursos. Quem poderá salvá-los e evitá-los de saírem por aí papagaiando as falácias de Marx? Quem poderá evitá-los que saiam por aí delirando sobre o “golpe do impeachment”? São os possíveis resultados de um ensino doutrinário e idiotizante com o selo da USP.

Querem um exemplo?

Diante de tamanho preparo intelectual e atuação na sociedade bauruense, o nobre professor Carlos D’Incão tem espaço cativo no Jornal da Cidade. Em recente artigo publicado no dia 06/04/2016, com o titulo: Sobre o PT e outros Demônios, (AQUI)  o valente professor não se envergonha em defender o PT e seu vergonhoso e desastroso governo.

O referido artigo não passa de um conjunto de asnices que nada deixa a desejar a nenhuma peça humorística. Nosso professor consegue se superar como escritor de piadas. Entre tantos absurdos, Carlos D’Incão resolveu defender as empreiteiras envolvidas na Lava-Jato. Segue o argumento do laureado “mestre”:

“Os EUA querem realinhar a América Latina como seu tradicional quintal. Caso seja necessário que se prenda altos executivos de empreiteiras nacionais que insistem em vencer no exterior as concorrências com as empreiteiras norte-americanas, suecas e canadenses (como é o caso da Odebrecht) que assim seja. O PT permitiu o Brasil crescer muito. Está na hora de adormecer esse gigante”.

Por favor, não riam. Este é o fino do argumento de uma mente formada na USP! E há o sério risco de que tal argumento seja aceito como possível, plausível e de profunda reflexão.

Que Carlos D’ Incão pense assim, é preocupante. Que ele transmita esse tipo de falácia a seus alunos como se verdades fossem, é aterrador. Também não deixa de ser aterrador, que um importante jornal de uma importante cidade do interior paulista, permita que suas páginas abriguem esse tipo de delírio como se argumentos lógicos fossem. Os assinantes e leitores do jornal exigem que a inteligência deles seja respeitada.

Propagar ladainhas idiotizantes é um crime contra a honestidade intelectual e isso deve ser denunciado.

 

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

Lula – O condenado

Pense positivo, pense Dilma

Tico Santa Cruz: o vocalista de uma banda de rock, que quem gosta de Rock não ouve

 

 

7 comentários em “Em Bauru, professor de História propaga sua ladainha idiotizante”

  1. O sujeito é doente mental, cheio de processos na justiça, um vigarista a toda prova. A propósito, este jornal onde ele publica seus papéis-higiênicos é uma porcaria que vive reproduzindo colunas do estelionatário Luiz Nassif. Por ai se vê o nível do panfleto.

  2. Entrei aqui por engano. Cruz-credo!
    Vocês da direita precisam começar a aprender a pensar. Mas pensar com lógica, serenidade. Desenvolver raciocínio e entender que cabeça serve para pensar, refletir, ponderar e não apenas para separar orelhas. Aprendam a respeitar professores. Se vocês sabem ler eles são os responsáveis, mas se não sabem pensar… tentem. Dói um pouco, mas compensa.

    • Entendo que você tenha se esforçado ao máximo para pensar em alguma coisa compreensível para dizer no comentário e tenha ficado com dor de cabeça. A esquerda morre de enxaqueca quando o assunto é pensar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *