Eba, acabou o carnaval! Bolsonaro sofrerá impeachment?

(Artigo publicado em 06/03/2019)

Não é que no último dia oficial de carnaval a porca imprensa brasileira e toda a esquerda encheram-se de pudores moralistas e reagiram a um vídeo divulgado pelo presidente em uma rede social?

Imprensa e esquerda que aplaudem criança tocando em homem nu (diziam que era uma expressão artística).

Imprensa e esquerda que aplaudem e se calam diante de aberrantes casos de escárnio a religião cristã, sejam esses escárnios praticados por ativistas gays ou escolas de samba.

Qual a moral que esse pessoal tem para pedir o impeachment do presidente que postou um vídeo denunciando a imoralidade e de crime de atentado ao pudor protagonizado por dois “foliões”? 

Lógico, apressam-se nessa grita contra o presidente para não terem que abordar e discutir o real problema: O conteúdo do vídeo.

Agem como falsos moralistas para escamotear uma vergonhosa imoralidade digna de filme pornô, feita à luz do dia em uma rua pública e não aceitam e muito menos reconhecem que a mensagem que o presidente Bolsonaro passou é a de que safadeza tem limites, até mesmo no carnaval. Para essa gente, não há limites para a safadeza e não reconhecem nenhum pudor.

Mas e aí, Bolsonaro sofrerá impeachment? Por isso?  Levantar tags na madrugada sugerindo tal medida não passa de uma ação fruto de delírios de quem está sofrendo os efeitos carnavalescos: excesso de álcool e muita “pegação”.

Por falar em excesso de álcool e muita pegação, não devemos nos furtar em especular sobre a finalidade de tal festa. Há quem diga que o carnaval é um patrimônio do Brasil e zelar por esse “bem” é um ato de patriotismo. Uau! Todos nós sabemos como o carnaval brasileiro é conhecido no resto do mundo, certo?!

Pois bem, abordando a finalidade do carnaval, poderíamos dizer que na condição de seres humanos, vivendo em comunidade e fazendo parte de diversos tipos de relacionamentos, concordamos que não há contra indicações em festejarmos algo, muito pelo contrário. O ser humano, seja ele brasileiro ou não, gosta de festa e de compartilhar com os amigos suas alegrias e esquecer os problemas e tristezas.

Todavia, não é isso que podemos dizer sobre o carnaval. No carnaval, não são esquecidos os problemas e não se aliviam as tristezas, muito pelo contrário, aumentam! Não é difícil imaginar e concordar com tal realidade.

Aliás, nos próximos dias, divulgarão o número de mortos nas rodovias do país. Seria prudente e instrutivo que também fosse divulgado o número dos casos de coma alcoólico, overdose, DSTs, gravidez, divórcios, agressões domésticas, depressão, etc, do período de carnaval.

Diante dos dados tenho absoluta certeza de que a população não reclamaria se esses dias fossem taxados como prejudiciais à saúde.

Essa é a real natureza do carnaval! Um evento que ao cabo, não deixa nada de positivo e proveitoso no organismo, na alma e na mente de quem dele participa.   

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *