Delação de Marcelo Odebrecht alarma políticos

Delação premiada de Marcelo Odebrecht deixa os políticos em pânico.

Delação de Marcelo Odebrecht deixa os políticos em pânico! Segundo a revista Veja, já são 300 anexos envolvendo nomes importantes da política nacional.

A delação Odebrecht, ou simplesmente, delação do “fim do mundo”, se confirmada, será uma importantíssima vitória da Lava Jato. Logicamente que quando digo lava-jato, me refiro também a todos os cidadãos que apoiam e aprovam as investigações da PF nesse âmbito.

Acredito que a medida que Marcelo Odebrecht fala e dá detalhes de tudo o que viu e fez com figuras graúdas dos diferentes partidos políticos, fica a impressão de que um ranking político vai sendo montado.

Tal ranking dos políticos tende a mensurar quem é o menos corrupto, quem tem mais chances de sobreviver até 2018 e quem será o primeiro a cair em “desgraça”?

Nesse contexto, as consequências não poderiam ser diferentes. Políticos e partidos políticos com um nível de descrédito cada vez maior perante a opinião pública.

Leiam trecho da reportagem de Veja

VEJA desta semana mostra as dimensões superlativas e o potencial explosivo da delação premiada de 75 executivos da empreiteira Odebrecht, incluindo seu ex-presidente Marcelo Odebrecht. Distribuído em mais de 300 anexos – 300 novas histórias sobre a corrupção no Brasil –, o acordo a ser assinado com o Ministério Público envolve os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, o atual, Michel Temer, tucanos de alta plumagem, como José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin, peemedebistas fortemente ligados a Temer, como o senador Romero Jucá e o ministro Geddel Vieira Lima, e os dois principais nomes do PMDB no Rio de Janeiro: o prefeito Eduardo Paes e o ex-governador Sérgio Cabral. As revelações na delação da empreiteira, que faturou 125 bilhões de reais em 2015 e reuniu 400 advogados para costurar o acordo, levam procuradores da força-tarefa da Lava Jato a constatar que “se os executivos comprovarem tudo o que dizem, a política será definida como a.O. e d.O. — antes e depois da Odebrecht”. O sempre comedido juiz federal Sergio Moro também dá dimensão da turbulência que se aproxima ao comentar: “Espero que o Brasil sobreviva”.

Encerramos

O que vai acima desmoraliza todos aqueles que tentaram e tentam frear ou desmoralizar a Lava Jato. Desde articulistas de grande repercussão à pseudo-humoristas, como o pessoal do Porta dos Fundos que apontaram uma suposta “seletividade” dos investigadores.

A delação de Marcelo Odebrecht comprova que a roubalheira na Petrobrás, descoberta pela Lava Jato, era só a ponta do iceberg.

Certeza que já tínhamos, a monstruosa teia de corruptos e corruptores vão além do PT e Lula e provam que estamos sendo vítimas de um sistema político carcomido.

Respondendo ao juiz Sérgio Moro ao confessar que “espera que o Brasil sobreviva”, afirmamos que sim, o Brasil sobreviverá, pois, diferentemente daqueles que dizem nos representar, somos uma maioria de pessoas honestas, decentes e trabalhadoras. Queremos somente justiça, doa a quem doer.

(Participe do nosso sorteio e concorra a um livro do Olavo de Carvalho)

Por Jakson Miranda

Adquira o ebook Por que sou conservador e ajude o Voltemos à Direita.

Assine nossa NEWSLETTER e receba artigos em primeira mão. É fácil, rápido e seguro!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *