Delação da Odebrecht implica Geraldo Alckmin

A Lava Jato cada vez mais se aproxima de políticos tucanos

Delação da Odebrecht, que está sendo assinada por funcionários e executivos da empreiteira, implica Geraldo Alckmin, governador de São Paulo.

Leia reportagem da Folha de São Paulo

A Odebrecht afirmou no acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato que realizou pagamento de caixa dois, em dinheiro vivo, para as campanhas de 2010 e 2014 do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Executivos da empreiteira mencionam duas pessoas próximas ao governador como intermediárias dos repasses e afirmam que não chegaram a discutir o assunto diretamente com Alckmin.

Segundo a delação, R$ 2 milhões em espécie foram repassados ao empresário Adhemar Ribeiro, irmão da primeira-dama, Lu Alckmin. A entrega do recurso, de acordo com os termos da delação, ocorreu no escritório de Ribeiro, na capital paulista.

Em 2010, o tucano foi eleito no primeiro turno com 50,63% dos votos válidos –o segundo colocado na disputa foi o ex-ministro Aloizio Mercadante (PT).

Em 2014, o caixa dois para a campanha de reeleição de Alckmin teve como um dos operadores, segundo a empreiteira, o hoje secretário de Planejamento do governo paulista, Marcos Monteiro, político de confiança do governador.

Encerramos

A Lava Jato cada vez mais se aproxima de políticos tucanos e essa aproximação, se confirmada, pode reconfigurar substancialmente as eleições em 2018. Quem se salvará?

A delação da Odebrecht assusta toda a classe política. Que a justiça seja feita, doa a quem doer.

Por Jakson Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *