DECRETO DA POSSE DE ARMAS: O cidadão não pode, os políticos também não

(Post publicado em 19/06/19)

O presidente Jair Bolsonaro publicou o decreto da posse de armas com o objetivo de melhor regulamentar a Lei do Estatuto do Desarmamento uma vez que a referida lei é contrária a vontade popular expressa em referendo de 2005.

Todavia, o senado federal em votação no dia de ontem, entendeu de forma diferente e resolveu derrubar o decreto presidencial. Se esse mesmo entendimento for seguido pela Câmara dos Deputados e é provável que seja, tudo volta a ser como era antes, ou seja, o cidadão de bem terá enormes dificuldades em se defender enquanto que os bandidos continuarão a exibir sua ousadia e poder de fogo.

É lógico que o Estatuto do Desarmamento só funciona mesmo para o simples cidadão que não possui recursos de bancar segurança armado 24 horas por dia. Já para os milionários empresários, artistas globais (que apoiam a população desarmada) e políticos não há problemas. Eles podem contratar quantos seguranças acharem necessários.

No caso dos políticos, mais especificamente senadores e deputados, além de terem suas casas e apartamentos vigiados 24 horas, também contam com o aparato da Policia Legislativa.

Leia também:

DECRETO SOBRE USO DE ARMAS: Você é contra?

Fato é que nossos políticos vivem em uma bolha. Pouco entendem da realidade daqueles que eles dizem representar – o povo – e atuam olhando apenas para o próprio umbigo.

Bem, já que a maioria dos senadores votaram contra o decreto da posse de armas, entendendo que o Estatuto do Desarmamento deverá ser mantido da forma como foi criado, cabe a nós, cidadãos, exigir que nossos sábios representantes sejam coerentes e também desarmem também a policia legislativa.

Vamos  fazer nossa parte e deixar nosso APOIO à IDEIA LEGISLATIVA (clique AQUI) que Desarma as polícias legislativas e seguranças da Câmara, Senado e STF.

Por Jakson Miranda

SIGAM-NOS PELAS REDES SOCIAIS E ASSINEM NOSSA NEWSLETTER!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *