Danilo Gentili aciona a justiça contra o jornalista petista José Trajano

O jornalista José Trajano foi demitido há algumas semanas atrás da ESPN, emissora que o abrigava há duas décadas.

Trajano, petista indisfarçado, usava com frequência a tribuna de um dos principais programas da emissora, o Linha de Passe, para emitir opiniões pró-PT. Como se trata de um programa de futebol, às vezes o dito cujo tinha que tramar uma linha argumentativa bastante inventiva para conseguir misturar alhos e bugalhos.

Nos últimos tempos, no entanto, com tanta efervescência política acontecendo, Trajano, junto com seu velho comparsa Juca Kfouri, ainda empregado da ESPN, sequer tentava fingir que emitia balidos políticos por algum motivo transversal ao tema do programa, e fazia proselitismo petista sem cerimônia.

A recorrência parece ter irritado seus patrões.

Com a cara de pau peculiar, Trajano atribuiu sua demissão a uma perseguição política, recusando-se a reconhecer que sua função na emissora não era a de comentarista político…

Ao longo dos anos, José Trajano acumulou vergonhas em virtude de seu viés ideológico. Nos últimos tempos, entretanto, a metralhadora de excrementos que municiava sua boca parecia especialmente carregada.

Uma das situações mais inomináveis aconteceu este ano, em Maio, certamente contribuindo para que a ESPN, mesmo com sua, digamos… plasticidade, não o tolerasse mais.

Em seu programa Linha de Passe, José Trajano se elegeu representante de uma ala de funcionários da ESPN que repudiava a participação de Danilo Gentili num outro programa da emissora, que ocorrera dias atrás.

Sem citar nomes, mas fazendo-se entender, exatamente na semana da participação de Gentili, Trajano discursou, falando da própria emissora:

“O canal abrigou esta semana um personagem engraçadinho, que se porta como se fosse um sujeito que faz apologia do estupro. Em nome do humor, dizendo que no humor cabe tudo. Esse grupo ficou irritado e enojado com a presença dele”.

 Como qualquer cidadão indignado, que recebesse sobre si a acusação de leniência para com um crime da gravidade do estupro, Danilo Gentili o interpelou judicialmente.

Danilo pede mil reais de indenização. Uma quantia simbólica. Não deixando dúvidas de que o intento principal é dar uma lição a um inconsequente ensimesmado.

Palermas criticaram Danilo por não respeitar a “liberdade de opinião” de Trajano. Para eles, o humorista, alvo de muitos processos em função de suas piadas, estaria sendo incoerente, na medida em que evoca a liberdade de expressão quando é réu, mas tenta coagir quem lhe critica.

Este raciocínio, típico hoje em dia, é a evidência cristalina do subnível intelectual dos pretensos debatedores.

No dia em que Danilo Gentili permitir que alguém o acuse de ser o apoiador de um crime hediondo sem reagir, não estará demonstrando apreço pela liberdade de expressão, mas sim, dando azo a que todos nós o consideremos perpetrador da acusação imputada!

Não reagir, neste caso, é a suprema covardia.

Parabéns ao Danilo pelo posicionamento. Homens de valor não toleram determinadas imundícies.

E parabéns a ESPN. Ainda há muito esgoto para limpar. Mas, a limpeza começou, e o ar já está cheirando melhor.

 

Por Renan Alves da Cruz

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *