CHAMEM-ME DE REACIONÁRIO

De volta, amigos! Depois de um longo período longe do blog, volto com este esclarecedor artigo (Chamem-me de reacionário) em que falo de certa verve reacionária que deve existir entre os conservadores. Sim, podem me chamar de reacionário! Como dizia Nelson Rodrigues, “A melhor maneira de não ser canalha, é ser reacionário”!

Touché! Peguei vocês, hein? Acharam que eu iria citar outra famosa frase dita pelo “tio” Nelson? (Risos)

Vamos ao texto.

Por muitos anos o termo direita foi taxado como algo ofensivo. A novilíngua padronizada implantada pelos progressistas catalogou a direita como algo associado à ditadura, ao imperialismo e ao preconceito contra homossexuais e negros. Fazem o mesmo quando o assunto é “catalogar” alguém como reacionário.

Ao realizar uma busca no Google, encontramos, por exemplo, conservadores versus reacionários, ou seja, quem é conservador opõe-se aos reacionários. Por incrível que pareça, um nome caro à direita faz parte do coro conservador X reacionário, falo do escritor português João Pereira Coutinho.

“Não há nada de conservador em Trump ou Le Pen. Ambos são exemplos vivos da “mente naufragada”. Ambos defendem um passado – de proteção econômica, fechamento nacional e isolamento internacional – que nunca existiu como modelo de perfeição.

São reacionários porque incapazes de pensar os problemas do presente sem recorrer ao “era uma vez…” que é típico de crianças, não de adultos”.

Não posso deixar de registrar que no mesmo texto em que escreve as linhas acima, Coutinho identifica o conservadorismo como uma ideologia. Erro crasso que um estudioso como Coutinho não deveria cometer. Inexiste uma ideologia conservadora!

Outro que segue a lógica de João Pereira Coutinho é o querido Caio Coppolla. Veja o vídeo.

O erro que Coppolla comete em seu didático vídeo é associar reacionários a “um passado glorioso, abundante e feliz”, em síntese, um nostálgico. Ao mesmo tempo, Caio apresenta o conservadorismo como algo que tem olhos na “tradição, costumes, instituições e leis”. Porra! Mas a tradição, os costumes, as instituições e leis não são elementos do PASSADO? (passado glorioso…)

Leia também: 

Qual a ideologia da Direita Conservadora?

Na minha concepção, querer dissociar ou contrapor o reacionarismo ao conservadorismo redunda em abraçar no presente uma visão utilitarista, usando as bases mestras dos princípios conservadores apenas como muletas. Em outras palavras, enquanto que o progressismo avança na sociedade, fixando seus tentáculos em diversas instituições, corrompendo costumes, findando tradições e impondo leis, os conservadores ao invés de reagirem (reacionários) vão apenas “trabalhando” para que esse avanço progressista cause o menor dano possível (utilitarismo). Dito isto, a conclusão simples é a de que não podemos valer-se dos ideais conservadores para conservarmos coisas que não prestam!

Por fim, para contrapor tanto Caio Coppolla quanto João Pereira Coutinho, é imperativo registrarmos o que diz um importante conservador do século XX. Falo de T.S. Elliot.

“Os únicos reacionários hoje são aqueles contrários à ditadura do financeiro e à ditadura da burocracia não importando sob qual nome político se reúnam; e aqueles que têm alguma lei e algum ideal que não seja totalmente desse mundo. Mas o movimento em direção a assim chamada direita (…) é bem mais profundo do que podem elaborar as simples maquinações dos interesses conscientemente projetados (…).”

Apenas complemento que os reacionários também são aqueles contrários à ditadura de uma cultura degradante.

Me chamem de reacionário!

“Sou reacionário. Minha reação é contra tudo que não presta”. Tá aí a famosa frase do “tio” Nelson.

Por Jakson Miranda

Um comentário em “CHAMEM-ME DE REACIONÁRIO”

  1. Na verdade o reacionário é alguém preso não a um passado das tradições, mas, é alguém preso ao tradicionalismo que difere da tradição, visto ser a tradição a fé viva de pessoas mortas, mas, o tradicionalismo, que a maioria dos reacionárias se apega sem perceber é a fé morta de pessoas vidas. Compreendeu? Os chamados conservadores brasileiros não são um bom exemplo a seguir, o fanatismo e apoio frente as bizarrices de bolsonaro é prova disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *