BOICOTE, com união é possível

(Artigo publicado em 05/05/2019)

No Brasil, ainda impera nas grandes empresas a ideia de que tudo podem. Principalmente nas campanhas de publicidade que fazem. Muitas vezes, agem como se o consumidor não tivesse discernimento ou fosse obrigado a consumir aquela marca ou produto. De fato, a ação do boicote ainda é pouco utilizada por nós brasileiros.

Ato que requer uma iniciativa individual, mas uma vez compartilhada, tal ação pode resultar em um movimento coletivo.  O boicote tem por característica a recusa em consumir determinado produto de determinada marca.

Leia também:

Menor que McDonald’s, Burger King “desafia” Bolsonaro

Sobre o boicote ao O Boticário

A princípio o boicote pode ser entendido como uma punição financeira, cujo objetivo é o de denunciar e envergonhar seus alvos. Não é uma proposição equivocada, todavia, a denúncia e o constrangimento não são os principais objetivos do boicote.

Quando determinada empresa resolve seguir uma linha de afronta a valores compartilhados pela grande maioria da população de uma sociedade, essa marca ofende a sociedade como um todo e constrange indivíduos em particular.

O Brasil constitui uma sociedade de maioria cristã. Defendemos a vida. Defendemos a família monogâmica, composta por homem, mulher e filhos. Somos conservadores e repudiamos a revolução cultural fortemente presente nos meios acadêmicos, midiáticos e escolares. Como cristãos e conservadores, defendemos uma série de outros valores e repudiamos uma série de práticas “modernas”.

Portanto, para que serve o boicote?

Diante de ações publicitárias que descaradamente afrontam nossos princípios, o boicote tem por objetivo algo que vai além da punição financeira ou vergonha pública. É antes disso, uma tomada de posição a fim de exigir dos autores e propagadores da afrontosa publicidade, RESPEITO AOS VALORES QUE PROFESSAMOS. 

Nessa concepção, devemos buscar cada vez mais nossa união em defesa de nossas crenças. Assim sendo, em determinadas situações, devemos encarar como obrigação abrirmos mão de egos e pontuais divergências. Caso contrário, o inimigo se sentirá cada vez mais forte e despudorado.

A direita precisa saber que a guerra ainda não acabou. Boicote, com união é possível!

Por Jakson Miranda

SIGAM-NOS PELAS REDES SOCIAIS E ASSINEM NOSSA NEWSLETTER!

Um comentário em “BOICOTE, com união é possível”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *