Barroso e Gilmar Mendes batem boca no STF

Os ministros do Supremo Tribunal Federal, Roberto Barroso e Gilmar Mendes protagonizaram um duro bate boca no plenário.

Vejam o filme

Leiam trecho de matéria do site de Veja:

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusou nesta quinta-feira o também ministro Gilmar Mendes de ser leniente com o crime de colarinho branco, disse que o colega “não trabalha com a verdade” e afirmou que ele vive “destilando ódio”. Barroso disse ainda que Gilmar muda de jurisprudência de acordo com o réu.

Leia também:

O perigoso protagonismo dos ególatras do STF

Só a direita pode criticar Gilmar Mendes, a esquerda não

Todas essas declarações foram feitas em um bate-boca entre os dois durante a sessão do plenário desta quinta, quando julgavam um caso sobre a extinção de Tribunal de Contas dos municípios do Ceará.

“Não transfira para mim essa parceria que Vossa Excelência tem com a leniência em relação à criminalidade do colarinho branco”, disse Barroso. A presidente do STF, ministra Cármen Lucia, precisou intervir, lembrar aos dois que estavam no plenário e pedir para que voltassem ao tema do julgamento.

A discussão começou quando Gilmar fez referência à situação financeira difícil que vive o Rio de Janeiro, estado natal de Barroso, que respondeu lembrando que em Mato Grosso, estado de Gilmar Mendes, “está tudo muito preso”, em referência a vários políticos detidos recentemente em esquemas de corrupção. E acrescentou, numa provocação a Gilmar. “Nós prendemos, tem gente que solta”.

Encerramos

Barroso e Gilmar Mendes são o que são, ou seja, ao trocarem as duras ofensas um contra o outro, não seria muito diferente se as falassem, na intimidade de uma suíte, diante de um espelho na terapêutica conversa do EU para COMIGO.  Aliás, alguma coisa boa pode sair das três instâncias do poder?

Por Jakson Miranda

 

Related Post

Comments

comments

2 comentários em “Barroso e Gilmar Mendes batem boca no STF”

  1. Se não mudar o critério para escolha dos ministros, seremos obrigados a conviver com essa tipo de baixaria, cada um defendendo o ponto de vista do ‘padrinho’ ou partido que o indicou. Justiça que é bom mesmo, nada. Comadres fofocando na janela tem mais credibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *