Baderna geral da esquerda provoca morte de trabalhadora – De quem será a culpa?

(Post publicado em 18/06/19)

Seria mais um dia normal na vida da trabalhadora Edi Alves Guimarães, de 53 anos. De casa para o trabalho, do trabalho para casa. Seria. Ocorre que no meio do caminho ela se deparou com a baderna geral protagonizada pela esquerda.

Como de hábito, os vagabundos que não trabalham e atrapalham a vida de quem quer trabalhar, saíram as ruas e atearam fogo em pneus, na grande Belo Horizonte. Edi Alves, que estava em um ônibus, inalou fumaça, passou mal, foi internada e infelizmente, não resistiu.

Lembram-se do caso do cinegrafista da Band? Pois é. Edi é mais uma vitima que deverá ser colocada na conta de crimes cometidos pela esquerda. De baderna em baderna eles provocam o caos – que é o que querem – e ceifam vidas, que eles não dão importância.

Leia também: 

Nazismo mata! Comunismo também.

Não é exagero especularmos que os baderneiros tenham comemorado as chamas e a fumaça se espalhando. Fazia parte da estratégia, bem como as mortes que eles provocam, cujos corpos são usados como degraus para a tomada do poder.

Que fique claro, a morte da humilde trabalhadora que deixa órfãos oito filhos, não foi uma fatalidade. Foi um crime e como tal, deve ser investigado e os responsáveis punidos.

Sim. A morte de Edi Alves tem culpados e queremos que os mesmos sejam responsabilizados por isso! A sociedade de bem exige a prisão dos homicidas.

Por fim, fica a indagação: será que diante de casos como esses, alguém continuará a nutrir simpatia pela esquerda e dormir tranquilo?

Por Jakson Miranda

SIGAM-NOS PELAS REDES SOCIAIS E ASSINEM NOSSA NEWSLETTER!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *