A tolerância de Boechat: O intolerante

A mais nova polemica envolve o jornalista Ricardo Boechat e o Pastor Silas Malafaia. Ao abordar o caso da garota que fora atingida por uma pedrada quando saia de um culto de candomblé, Boechat afirmou que “No âmbito de igrejas neo-pentecostais que estão acontecendo atos de incitação à intolerância religiosa”. Tal afirmação levou o Pastor Silas, pelo twitter a criticar a fala de Boechat. Ouçam o áudio.

Não concordo com 99% das práticas neo-pentecostais, digo isto no âmbito teológico, todavia, como fica claro, a critica de Ricardo Boechat trata-se de uma generalização rasteira não atingindo apenas os neo-pentecostais, mas, a todo e qualquer cristão evangélico. Sendo Boechat jornalista, sua fala só revela o quanto ele ignora ou finge ignorar que intolerância é crime, portanto, antes de opinar, caberia a ele denunciar aonde e quem especificamente pratica tais atos.

Destaco que Ricardo Boechat afirma que os evangélicos são sensíveis quando se critica alguma abordagem referente ao meio evangélico. Não, Boechat, os evangélicos não são sensíveis a criticas. Os evangélicos são sensíveis a inverdades como as que você e tantos outros propagam a respeito dos cristãos.

Verdadeiramente, a fala do jornalista não é nenhuma novidade. Assim como ele, os ativistas gays, bem como os ativistas da esquerda radical, usam os mesmos termos – intolerantes – ao se referirem aos evangélicos. Será que realmente os evangélicos são intolerantes? Será que à medida que crescem os números de evangélicos no país, crescerão também atos de intolerância praticados por estes? A isto, digo o seguinte: No dia em que um individuo ou algum grupo auto-declarado cristão praticar atos de intolerância, não só deve responder pelos seus atos na justiça, como também, demonstra desconhecer o que realmente é ser cristão.

Onde está a intolerância? Vejam esse  vídeo.

Não se trata de um simples chilique. Não se trata de uma mera explosão de raiva. A fala de Ricardo Boechat, por mais que ele tenha tentado mascarar no primeiro áudio, revela quem ele realmente é e quais são suas idéias em relação a Pastor evangélico. Não há aí nada diferente do que há muito ocorre no Brasil: Os evangélicos são estigmatizados como idiotas que se deixam roubar por pastores ladrões; a esse preconceito antigo, se soma a mentira preconceituosa de que os evangélicos são fundamentalistas e intolerantes. Ambas as mentiras e preconceitos, são visivelmente compartilhados pelo jornalista.

Finalizo esse texto pontuando que Ricardo Boechat vive em um país democrático, embora não seja um democrata, e usufrui da liberdade de expressão inerente as democracias. Valendo-se do Estado democrático, usa sua profissão para de forma ardilosa e oportunista, confundir critica com preconceito e tomar preconceito como critica. Nesse ponto, sob o verniz da liberdade de expressão, exercita seus abusos, agredindo o decoro e o pudor que em última analise podem sem esforço algum, resultar em intolerância e por que não, perseguição.

O intolerante jornalista quer emplacar em cada evangélico a pecha de intolerante para que ele, Ricardo Boechat, seja o Nero do jornalismo. Para quem já flertou com Black Blocs, as vestes ideológicas do imperador da Roma Antiga, não será um avanço, mas certamente, ele as vestirá com enorme satisfação. Todavia, diferente do imperador romano, não será lembrado nos livros de História, mas, nos anais da justiça.

 

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

A calçada de Jô Soares

As Idéias de Richard Dawkins em nada contribuem para um mundo melhor

Quem patrocina a imoralidade? O funk e o sagrado

Globo, junto com você?

Jean Wyllys foge de debate com Malafaia

Está consumado!

 

 

 

Um comentário em “A tolerância de Boechat: O intolerante”

  1. Seria mesmo evangélicos a agredir o grupo?
    O jornalista está certo de que evangélicos formariam grupos para agredir outras religiões.
    No início ele diz neopentecostais. No Brasil tem diversas denominações neopentecostais.
    Da parte do jornalista, não seria uma injúria contra os evangélicos?
    Não deixou ele claro que evangélicos são perigosos e podem se tornar como grupos que assistimos em outros países, que poderia ser ISIS e outras intolerâncias religiosas?
    Acaso o evangélicos dirigem esta Nação Brasilesa?
    Concordo de que ele deveria ter pensado melhor, antes de tal comentário. Com isto ele gerou uma opinião de perseguição aos evangélicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *