A dupla face imoral da esquerda

 

Ver a defesa do indefensável ganhar cada vez mais adeptos é algo que aflige os que ainda ouvem o clamor de suas consciências.

As contradições notórias dos divulgadores de ideologias afrontadoras aos valores morais desafiam a lógica e a racionalidade. E, no entanto, seus efeitos são cada vez mais visíveis e devastadores.

Como conseguir aceitar tal nível de mau-caratismo e cara de pau?

– Defendem que a idade de consentimento sexual seja reduzida para 12 anos, afirmando que uma criança nessa faixa etária já possui maturidade para lidar com as responsabilidades da iniciação sexual, porém, são frontalmente contrários à Redução da Maioridade Penal, mesmo para 16 anos, defendendo que uma “criança” de 16 não possui a capacidade de compreender a totalidade das implicações de seu ato.

Que maturidade oportunista é essa, tão eloquente aos 12 para o sexo e tão retraída aos 16 para o entendimento do convívio em sociedade?

– Defendem que o homossexualismo não é uma “opção” ou uma construção social, e sim algo que vem desde o nascimento, porém, quando se voltam à defesa do feminismo, recorrem imediatamente ao argumento contrário. Meninos e meninas são diferentes por conta de uma construção de gênero, fabricada pelo modelo “patriarcal opressor”. Se pararmos de influenciar as crianças a serem “meninos” e “meninas”, e os deixarmos como uma página em branco, eles escolherão seu modo de vida, sem as nossas “imposições”.

Ou seja, só homossexuais nascem com sua inclinação sexual já definida. Os gêneros “homem” e “mulher” podem ser “decididos depois”?

– Apontam que a liberação do aborto, além de “libertar” o corpo da mulher, diminuiria os efeitos da criminalidade. No entanto, são eles mesmos que impedem que apliquemos medidas mais rígidas de controle de criminalidade, tornando o Brasil um dos líderes do ranking mundial de impunidade.

Querem fingir-se preocupados com supostos criminosos que sequer nasceram, mas se omitem frente aos que assombram nossas cidades todos os dias.

– Defendem que a cultura indígena seja garantida e intocada, mesmo nos atos que claramente constituem barbárie, como o infanticídio praticado contra gêmeos, deficientes e meninas primogênitas, entretanto, trabalham sem descanso para destruir e desqualificar a cultura judaico-cristã, indiscutivelmente a que mais contribuiu para a formação das civilizações, acusando-a de opressora.

Há índios enterrando vivas crianças inocentes, enquanto o cristianismo é o grupo que mais se sensibiliza e age contra o próprio aborto, outra forma de infanticídio.

Oras, quem são os opressores e quem são os nobres?

Quem muda de opinião conforme a conveniência?


P.s. Escrevi este artigo baseado na ministração realizada na Igreja Evangélica Ramá em 29/03/2015 pela Pra. Rita Ferreira, a quem credito a autoria do conceito, que apenas transcrevi.

Por Renan Alves da Cruz

 

Leia também: 

O Impeachment e a Bíblia

O silêncio e a Trapaça

Fernando Haddad: dos 50 tons de vermelho das ciclovias às salas de aula

A redoma da mídia brasileira a Lula, o inmensalável e impetrolável

Renato Janine Ribeiro é o novo Ministro da Educação e eu, como professor, estou de luto.

 

 

7 comentários em “A dupla face imoral da esquerda”

  1. Matéria muito boa. Realmente o que estamos vivendo e vendo acontecer no nosso país é um absurdo. Todas as informações que compartilhei vem dos vídeos postados no YouTube pela Dra. DAMARES, Pastora, advogada e professora. Os vídeos estão postados para todos verem. E sei por ser uma mulher de Deus tem feito a diferença no lugar de unção que Deus a colocou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *